Nova cepa probiótica da Morinaga Milk, Bifidobacterium breve A1, pode prevenir a instalação do mal de Alzheimer.

(Fig. 1) Effects of B. Breve A1 in improving spatial recognition, learning and memory capabilities (Graphic: Business Wire)

TÓQUIO--()--Morinaga Milk Industry Co., Ltd. (TOKYO:2264), importante empresa de laticínios japonesa, anunciou hoje os resultados de um novo estudo que investiga os efeitos preventivos da sua nova cepa probiótica Bifidobacterium breve A1 em um modelo do mal de Alzheimer. Os pesquisadores descobriram que a B. breve A1 melhorou a capacidade de reconhecimento espacial, além de capacidades de aprendizagem e memória, em ratos com deficiência cognitiva, indicando que a referida cepa tem uma função importante na prevenção da instalação do mal de Alzheimer em seres humanos.1

O número de pacientes afetados por demência aumenta em todo o mundo. Um relatório avalia que havia 46,8 milhões de pessoas em todo o mundo vivendo com demência em 2015 e projeta que até 2050 esse número chegará a 131,5 milhões.2 O mal de Alzheimer é responsável por grande proporção dos casos de demência. Como muitas doenças crônicas, o Alzheimer se desenvolve lentamente por várias décadas antes da instalação dos sintomas, apesar da deterioração do cérebro começar nos estágios iniciais. Depois que a doença se desenvolve, é difícil revertê-la ou mesmo impedir o seu avanço. Por isso, encontrar medidas eficazes de prevenir a instalação da doença é a principal prioridade dos pesquisadores.

O "eixo intestino-cérebro", que é a conexão funcional entre cérebro e microbiota intestinal, atraiu a atenção mundial. Como os probióticos são conhecidos por ter efeitos benéficos sobre a microbiota intestinal, eles são um tratamento promissor para a saúde do cérebro. Na verdade, tanto as bifidobactérias e os lactobacilos já demonstraram efeitos benéficos na ansiedade e na depressão.

Aproveitando a pesquisa, a Morinaga Milk investigou a capacidade dos probióticos de prevenir o avanço do mal de Alzheimer, em colaboração com o Professor Keiko Abe da Universidade de Tóquio e o Kanagawa Institute of Industrial Science and Technology. O estudo, publicado no periódico Scientific Reports, revelou o potencial de a B. breve A1 prevenir a instalação do mal de Alzheimer.

Metodologia do estudo

Os ratos receberam amiloide β injetado, substância que supostamente provoca o mal de Alzheimer, para induzir a disfunção cognitiva em um modelo de mal de Alzheimer. Os ratos do grupo de tratamento ativo receberam B. breve A1 (1 × 109 por dia) oralmente durante 10 dias (grupo B. breveA1). Os ratos do grupo de controle receberam soro (grupo de soro) ou um inibidor de colinesterase, um medicamento prescrito para demência (grupo de controle positivo). A função cognitiva foi avaliada por um teste de labirinto Y e um teste de prevenção passiva.

Teste comportamental de labirinto Y confirma melhoria da capacidade de reconhecimento espacial

"Alternação espontânea" indica a tendência dos ratos normais de escolherem um caminho diferente do caminho anterior percorrido, indicando que eles se lembram dos caminhos já percorridos. No estudo, os ratos submetidos ao amiloide β que receberam soro apresentaram redução marcante na taxa de alternação espontânea no teste de labirinto Y em comparação aos ratos normais. Entretanto, o grupo B. breve A1 apresentou melhoria significativa na taxa de alternação espontânea, em comparação com o grupo do soro. Esses resultados indicam que o grupo B. breve A1 melhora a capacidade de reconhecimento espacial (Fig. 1, à esquerda).

Teste comportamental de prevenção passiva revela melhoria da capacidade de aprendizagem e memória

Durante o teste de prevenção passiva, os ratos precisam aprender a evitar um estímulo negativo ficando distantes de uma determinada área. Se conseguirem, isso indicará que eles se lembram da experiência negativa. Da mesma forma que no teste comportamental de labirinto Y, os ratos no grupoB. breve A1 ficaram por mais tempo na área sem o estímulo negativo, em comparação ao grupo do soro. Esse resultado indica que o B. breve A1 melhora as capacidades de aprendizagem e memória (Fig. 1, à direita).

B. breve A1 quase tão eficiente quanto ao medicamento comum do Alzheimer

As melhorias do teste de labirinto Y e do teste de prevenção passiva foram semelhantes em magnitude às observadas no grupo de controle positivo tratado com inibidor de colinesterase, medicação comumente prescrita para o mal de Alzheimer, indicando que o B. breve A1 tem potencial semelhante para melhorar a deficiência cognitiva induzida por amiloide.

Expressão do gene do hipocampo é fundamental para mecanismo de ação

A Morinaga Milk se concentrou no hipocampo, a área do cérebro associada às capacidades de aprendizagem e memória, desempenhando uma análise de expressão de gene abrangente no hipocampo dos ratos. Os pesquisadores descobriram que a expressão de muitos genes foi alterada, especificamente, grupos de genes associados a reações imunológicas e inflamação foram alterados, provocando anormalidades imunológicas e inflamação excessiva nos ratos afetados que ingeriam soro. Ao contrário, a expressão da maioria desses genes continuou normal em ratos afetados que ingeriam B. breve A1 (Fig. 2).

Os resultados levaram o Dr. Jin-zhong Xiao, Gerente geral do Instituto de ciências de próxima geração (Next Generation Science Institute) da Morinaga Milk a declarar: "A ingestão da B. breve A1 eliminou a inflamação e as reações imunológicas excessivas nos cérebros dos ratos e melhorou a função cognitiva." Ele continuou e acrescentou: "A inflamação crônica do cérebro é característica do mal de Alzheimer. A capacidade do B. breve A1 de eliminar a inflamação do hipocampo é a chave por trás da sua capacidade de prevenir o avanço da doença." A empresa planeja continuar a pesquisar os efeitos do B. breve A1 em humanos para explorar mais seu potencial terapêutico e prevenir a instalação do mal de Alzheimer.

Sobre a Morinaga Milk

Morinaga Milk Industry Co., Ltd. é uma das empresas líderes em produtos lácteos do Japão. A Morinaga começou a pesquisa de bifidobactérias nos anos 1960, inspirada pelo fato de que as bifidobactérias são as bactérias predominantes que residem nos intestinos de bebês amamentados por leite materno. Em 1969, a Morinaga isolou sua cepa principal Bifidobacterium longum BB536 de um bebê. A Morinaga se destaca em tecnologia inovadora e oferece vários produtos lácteos e outros ingredientes funcionais benéficos para clientes em todo o mundo.

 

Referência

1.   Y. Kobayashi et al. Therapeutic potential of Bifidobacterium breve strain A1 for preventing cognitive impairment in Alzheimer’s disease. Scientific Reports 7(1). Dez. 2017.
2.

World Alzheimer Report 2016

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Morinaga Milk Industry Co., Ltd.
Mai Nozawa, +81-3-3798-0152
m-nozawa@morinagamilk.co.jp
http://www.morinagamilk.co.jp/english/

Contacts

Morinaga Milk Industry Co., Ltd.
Mai Nozawa, +81-3-3798-0152
m-nozawa@morinagamilk.co.jp
http://www.morinagamilk.co.jp/english/