Pesquisa ISACA identifica as cinco maiores barreiras que as mulheres enfrentam na área de tecnologia

Remuneração desigual, falta de mentores e persistente preconceito de gênero permanecem sendo obstáculos.

An ISACA survey of women in tech identifies persistent pay gaps, the top barriers they face, and why they remain underrepresented in the field. (Graphic: Business Wire)

???pagination.previous??? ???pagination.next???

ROLLING MEADOWS, Illinois--()--A desigualdade salarial em comparação com seus colegas do sexo masculino, preconceito de gênero no local de trabalho e uma falta de exemplos femininos estão entre as principais barreiras enfrentadas pelas mulheres que trabalham no campo da tecnologia, de acordo com uma nova pesquisa pela associação global de tecnologia ISACA.

Conforme detalhado no relatório publicado hoje “O futuro da força de trabalho na área de tecnologia: quebrando barreiras de gênero”, que coincide com o Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta semana, as pesquisadas identificaram as cinco principais barreiras experimentadas pelas mulheres na área da tecnologia como sendo:

1. Falta de mentores (48 por cento)

2. Falta de exemplos femininos no campo (42 por cento)

3. Preconceito de gênero no local de trabalho (39 por cento)

4. Oportunidades desiguais de crescimento em comparação com os homens (36 por cento)

5. Remuneração desigual para a mesma capacitação (35 por cento)

“As mulheres são muito sub-representadas na força de trabalho global na área de tecnologia. Esta não é apenas uma preocupação em nível de sociedade, mas também um problema de mão de obra, dada a carência de profissionais capacitados na área de tecnologia enfrentada por muitas empresas”, disse Jo Stewart-Rattray, CISA, CISM, CGEIT, CRISC, FACS CP, diretora do conselho da ISACA e diretora de segurança de informações e garantia de TI na BRM Holdich. “As conclusões da pesquisa da ISACA reforçam o fato de que há muito trabalho a ser feito. Ao oferecer mais oportunidades, inclusive programas de desenvolvimento de carreira, podemos trazer um avanço já bastante atrasado em termos de assegurar que as mulheres sejam mais equitativamente representadas na força de trabalho na área de tecnologia.”

Ao serem perguntados sobre oportunidades de crescimento profissional, 75 por cento das pesquisadas declararam que seus empregadores não têm um programa de desenvolvimento de lideranças de gênero. Além disso, 8 de cada 10 mulheres relataram que seus supervisores são do sexo masculino, e apenas oito por cento declararam nunca haver sofrido preconceito de gênero no local de trabalho.

A pesquisa descobriu que as mulheres querem, especificamente, mentores, exemplos a seguir e boas oportunidades de criar redes de relacionamento.

De fato, fica claro que as mulheres desejam aprender e se beneficiar da presença de outras mulheres na área de tecnologia. Mas, no topo da lista de barreiras para as mulheres na pesquisa da ISACA está “oportunidades limitadas de criar redes de relacionamento” e “falta de uma forte rede de relacionamento profissional”, diz o relatório.

A ISACA aborda a falta de oportunidades de criar redes de relacionamento no seu programa Conectando mulheres líderes na área de tecnologia, iniciado em 2015, e que conecta mulheres no setor de tecnologia.

Em termos globais, a disparidade de remuneração permanece sendo um desafio, com 25 por cento das pesquisadas da África, 29 por cento da Ásia, 53 por cento da Europa, 48 por cento da América Latina, 60 por cento do Oriente Médio, 42 por cento da América do Norte e 80 por cento da Oceania relatando que seus colegas do sexo masculino tendem a ser mais bem remunerados, sem um motivo claro.

“Como um setor, devemos nos comprometer em mudar esses números e quebrar as barreiras para as mulheres na área de tecnologia”, disse Tara Wisniewski, diretora geral de grupos de defesa e assuntos públicos da ISACA. “Já passou do tempo de se abordar essas questões e a ISACA tem a responsabilidade de resolvê-las.”

Em 2017, a ISACA apresentará diversas oportunidades educativas relacionadas ao seu programa Conectando mulheres líderes na área de tecnologia, inclusive uma série de webinars Mulheres na área de tecnologia. O próximo webinar está programado para 18 de maio. Programas Mulheres na área de tecnologia também ocorrerão na Conferência CACS América do Norte da ISACA em Las Vegas, Nevada, Estados Unidos, de 1 a 3 de maio, bem como na Conferência EuroCACS em Munique, na Alemanha, de 29 a 31 de maio.

Um relatório de pesquisa e perspectivas de mulheres na área de tecnologia está disponível em www.isaca.org/women-in-tech-study.

Metodologia da pesquisa

O estudo O futuro da força de trabalho na área de tecnologia: quebrando barreiras de gênero, foi conduzido pela Internet entre os membros da ISACA do sexo feminino. Mais de 500 indivíduos participaram da pesquisa, realizada em novembro de 2016.

Twitter: https://twitter.com/ISACANews

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

ISACA
John Julitz, +1.847.660.5769, communications@isaca.org
Kristen Kessinger, +1.847.660.5512, communications@isaca.org

Contacts

ISACA
John Julitz, +1.847.660.5769, communications@isaca.org
Kristen Kessinger, +1.847.660.5512, communications@isaca.org