GSMA insta os políticos a fazer avançar a economia digital

Para alcançar o sucesso diante dos avanços tecnológicos rápidos, os governos devem agir urgentemente em uma série de políticas

LONDRES--()--A GSMA lançou hoje um novo relatório que incentiva os governos a perseguirem políticas que estimulem o investimento e promovam o desenvolvimento das economias digitais, construindo um futuro digital inclusivo para seus cidadãos. O relatório “Embracing the Digital Revolution: Policies for Building the Digital Economy” (em tradução livre, “Abraçando a revolução digital: políticas para construir a economia digital”), desenvolvido em colaboração com a Boston Consulting Group (BCG), apela aos responsáveis políticos para que promovam o progresso digital e se preparem para as mudanças que estão por vir, ao mesmo tempo que destaca o risco de inação.

“A tecnologia digital e móvel tem proporcionado benefícios sociais e econômicos de grande alcance, tanto a nível global quanto nacional”, disse John Giusti, diretor de Regulação da GSMA. “À medida que a revolução digital e móvel continua em ritmo acelerado, as novas tecnologias – inteligência artificial, robótica e a Internet das Coisas – prometem grandes benefícios, mas também disrupções contínuas resultantes da digitalização de muitos setores da indústria. Políticas voltadas para o futuro podem permitir que cidadãos, empresas, sociedades e países prosperem, melhorando vidas e meios de subsistência, ao mesmo tempo em que mitigam os possíveis efeitos adversos que podem acompanhar a mudança econômica.”

O Poder do Digital

A digitalização permite às empresas operar de forma mais eficiente e ter acesso a novos mercados e clientes. A digitalização permite às empresas operar de forma mais eficiente e ter acesso a novos mercados e clientes. As tecnologias digitais podem conectar melhor governo e cidadãos e causar um grande impacto no dia-a-dia, desde compras e serviços bancários até entretenimento e conexão com amigos e familiares. O relatório prevê, por exemplo, que as tecnologias digitais irão influenciar até 45% de todas as vendas no comércio varejista até 2025.

A pesquisa da GSMA examinou o impacto positivo que a tecnologia móvel tem sobre a economia mundial. O ecossistema móvel gerou 4,2% do PIB mundial em 2015, uma contribuição de mais de US$ 3,1 trilhões de valor econômico agregado.1

As vantagens que os consumidores recebem das tecnologias móveis podem ser quantificadas usando o conceito econômico de excedente do consumidor, que é o valor que os consumidores recebem, por cima do que pagam, através dos dispositivos, aplicativos, serviços e acesso à internet. A pesquisa da BCG em seis países (Brasil, China, Alemanha, Índia, Coreia do Sul e Estados Unidos) mostrou que as tecnologias móveis criaram US$ 6,4 trilhões de excedente anual do consumidor, superior ao PIB individual de todos os países do mundo, com exceção da China e dos EUA.2

Tecnologia móvel: transformando a vida cotidiana

A tecnologia digital e móvel está transformando o cotidiano de bilhões de pessoas ao redor do mundo. Por exemplo, até pouco tempo, o sistema baseado em dinheiro para o pagamento de taxas de inscrição escolar na Costa do Marfim era motivo de vários problemas, incluindo o desperdício de tempo pelos pais em longas filas e o risco de roubo, o que ameaçava a segurança de pais e filhos, enquanto o Ministério da Educação Nacional e Técnica (MENET) via diminuir sua arrecadação de receitas. Em 2011, o MENET começou a colaborar com fornecedores de dinheiro móvel para digitalizar os pagamentos anuais das matrículas de aproximadamente 1,5 milhão de estudantes do ensino médio. No ano letivo 2014-2015, mais de 99% dos estudantes pagaram suas taxas de inscrição digitalmente, com 94% dos pagamentos sendo realizados através dos três fornecedores de dinheiro móvel do país.

A tecnologia móvel pode desempenhar um papel importante na aceleração do registro de nascimento e no fornecimento de identidades únicas em comunidades carentes. Indivíduos não registrados, sem documentação oficial, podem ter o acesso negado a serviços governamentais, bancos e outros serviços importantes. Em 2011, uma parceria entre o Governo da Tanzânia, a operadora móvel Tigo e a UNICEF definiu uma estratégia para os registros de nascimentos que visava tornar o processo mais eficiente e amplamente acessível. Quando o novo sistema de registro móvel foi inaugurado, a taxa de registro de crianças menores de cinco anos nas áreas piloto aumentou de 8% para 45% em seis meses. Desde então, o sistema registrou com sucesso mais de 420 mil nascimentos e até o final de 2019 espera-se que 90% dos recém-nascidos e 70% de todas as crianças com menos de cinco anos nessas áreas sejam registradas e tenham certificados.

Os políticos enfrentam uma escolha

Apesar dos muitos benefícios da digitalização, o ritmo da mudança cria a possibilidade de um fosso entre aqueles que estão conectados digitalmente e aqueles que não estão. Os governos têm um papel importante a desempenhar na criação de um ambiente político que permita uma sociedade digital inclusiva, onde poucos se sentem ameaçados ou deixados para trás.

O relatório incentiva os decisores políticos a serem os arquitetos da mudança, utilizando a política para impulsionar a mudança e transformar suas economias em benefício de todos os cidadãos. Os políticos têm o poder de criar os melhores resultados possíveis para o futuro tecnológico em seu país, qualquer que seja o nível de desenvolvimento socioeconômico, se um número de importantes fatores for colocado em prática:

  • Infraestrutura digital de alta velocidade, fiável e robusta
  • Pessoas dispostas e capacitadas digitalmente (cidadãos, consumidores e funcionários)
  • Empresas digitalmente competentes e engajadas
  • Um ambiente de confiança para as interações digitais
  • Um governo que estabeleça um quadro político favorável e lidere a partir do exemplo

“Os governos têm um importante papel a desempenhar na criação de um futuro digital inclusivo, estabelecendo uma estrutura política que incentive o investimento em redes, garantindo leis e regulamentos que reflitam as realidades do mundo digital atual e promovendo a digitalização em toda a economia e a sociedade”, disse Giusti.

O relatório “Embracing the Digital Revolution: Policies for Building the Digital Economy” pode ser encontrado aqui: http://www.gsma.com/publicpolicy/embracing-the-digital-revolution-policies-for-building-the-digital-economy

-FIM-

Nota aos editores

1 Fonte: GSMA Mobile Economy 2016

2 Fonte: BCG Consumer Impact Survey

Sobre a GSMA

A GSMA representa os interesses das operadoras de telefonia móvel do mundo inteiro, reunindo cerca de 800 operadoras de aproximadamente 300 empresas do amplo ecossistema da tecnologia móvel, incluindo fabricantes de aparelhos e dispositivos, empresas de software, fornecedores de equipamentos e empresas de Internet, assim como organizações de setores industriais adjacentes. A GSMA também realiza os principais eventos do setor, como o Mobile World Congress, o Mobile World Congress Shanghai, Mobile World Congress para toda a América e as conferências Mobile 360 Series.

Para mais informações, acesse o site corporativo da GSMA em www.gsma.com. Siga a GSMA no Twitter: @GSMA.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Imprensa
Para a GSMA
Sophie Waterfield, +44 7779 459923
sophie.waterfield@webershandwick.com
ou
Assessoria de Imprensa da GSMA
pressoffice@gsma.com

Contacts

Imprensa
Para a GSMA
Sophie Waterfield, +44 7779 459923
sophie.waterfield@webershandwick.com
ou
Assessoria de Imprensa da GSMA
pressoffice@gsma.com