Modern Governance 8.0: Novo Relatório do Diligent Institute e Rock Center de Stanford Revela que Diretores Corporativos Têm Menos Foco em Acionistas, sendo que o Sucesso Não é Mais Definido Apenas pelos Retornos dos Acionistas

Pesquisa mostra que 77% dos diretores corporativos acreditam que os interesses de acionistas e funcionários, comunidades locais e público em geral têm significado similar

(Graphic: Business Wire)

(Graphic: Business Wire)

NOVA YORK--()--Em um novo relatório divulgado hoje, o Diligent Institute e o Rock Center for Corporate Governance da Stanford University descobriram que os diretores consideram as necessidades de acionistas e partes interessadas ao tomar decisões estratégicas - reforçando um movimento das partes interessadas que abraça a governança moderna. O relatório, "Partes Interessadas Ocupam o Centro do Palco: Opiniões de Diretores sobre Prioridades e Sociedade", inclui respostas e entrevistas com quase 200 diretores de empresas públicas e privadas em todo o mundo. Segundo a pesquisa, a grande maioria dos diretores corporativos (89%) acredita que é importante ou muito importante para suas empresas considerar os interesses de partes interessadas que não são acionistas - como funcionários, comunidades locais e público em geral - enquanto trabalham para alcançar objetivos comerciais.

As conclusões deste relatório ecoam os sentimentos da recente Rodada de Negócios "Declaração sobre o Propósito de uma Corporação" , assinada por 183 diretores executivos das principais corporações dos EUA. Pela primeira vez, estes líderes adotaram o compromisso de abordar os interesses de todas as partes interessadas - e não apenas dos acionistas - nas estratégias corporativas.

"Nosso relatório contextualiza os compromissos assumidos pela Business Roundtable neste outono e demonstra que os diretores corporativos encontram um equilíbrio saudável tanto entre as necessidades dos acionistas, como as dos funcionários e da sociedade. Os diretores indicaram que priorizar as necessidades dos funcionários é vital para criar valor aos acionistas a longo prazo", comentou Brian Stafford, Diretor Executivo da Diligent. "Além disto, descobrimos que os diretores prestam atenção considerável às partes interessadas importantes, particularmente sua força de trabalho, em seu planejamento de negócios a longo prazo; abraçando a noção de que fazer o bem às suas partes interessadas - especialmente clientes, funcionários e comunidades em que operamos - também deve dar às empresas uma vantagem competitiva."

Apesar de os diretores sentirem-se satisfeitos com o trabalho que sua empresa realiza para atender aos interesses das partes interessadas (92%), os diretores manifestaram preocupação com as percepções das partes interessadas. Apenas 57% dos diretores acreditam que suas partes interessadas mais importantes compreendem com precisão o trabalho que a empresa está realizando para atender aos interesses das partes interessadas.

"Em termos de reconhecimento do valor que atribuem aos interesses dos funcionários e da comunidade, os diretores corporativos sentem que o público em geral está perdendo a história", disse David Larcker, Diretor da Iniciativa de Pesquisa em Governança Corporativa de Stanford, Membro do Conselho Consultivo do Diligent Institute e coautor do relatório. "Ou talvez a história não esteja sendo contada o suficiente pelas próprias empresas - ou uma combinação."

Embora os diretores reconheçam que existam tensões entre os interesses dos acionistas e das partes interessadas, a maioria acredita que suas empresas conseguem um equilíbrio bem-sucedido, mitigando esta tensão. Em geral, os diretores rejeitam a noção de que suas empresas têm um horizonte de investimento de curto prazo na administração de seus negócios. O estudo também mostra que os diretores estão amplamente satisfeitos com seus esforços ambientais, sociais e de governança; no entanto, eles não acreditam que o mundo exterior entenda ou aprecie o trabalho que realiza.

"Os líderes realmente focados na estratégia de negócios a longo prazo entendem o papel integral que outras partes interessadas desempenham na consecução de seus objetivos. Aqueles que adotam esta abordagem estão se tornando praticantes da governança moderna - uma categoria que a Diligent introduziu no mercado no início deste ano e uma nova estrutura para os diretores governarem", afirmou Stafford. "De muitos modos, a carta de Larry Fink foi precursora da governança moderna. Os diretores do conselho agora estão melhorando a visibilidade em suas organizações e em seus setores, enquanto priorizam os interesses das partes interessadas."

Em termos de tendências fora dos EUA, os resultados da pesquisa mostraram que organizações fora dos EUA enfrentam maior pressão de constituintes externos para fazer mais pelas partes interessadas do que as empresas americanas. Mais da metade dos diretores de empresas não americanas disseram receber alta ou moderada pressão de grupos de defesa, enquanto apenas 30% dos diretores dos EUA concordam. O mesmo contraste também se aplica em termos de pressão dos investidores.

"Nossos dados mostram que diretores fora dos EUA prestam mais atenção a uma ampla gama de interesses das partes interessadas", disse Brian Tayan, pesquisador do Rock Center e coautor do relatório. "No entanto, ao mesmo tempo, tendem a ficar menos satisfeitos com seus esforços de sustentabilidade do que os diretores dos EUA. Pode ser que mantenham as empresas que governam em um padrão mais alto ou que os diretores dos EUA façam um trabalho melhor ao colocar seus planos em ação."

Sobre a Diligent

A Diligent está liderando o caminho na governança moderna. A Diligent capacita os líderes a transformar a governança em uma vantagem competitiva por meio de percepções incomparáveis e aplicativos SaaS integrados e altamente seguros, ajudando as organizações a prosperar e resistir no complexo cenário global de hoje. Os aplicativos confiáveis e baseados em nuvem da empresa agilizam o trabalho diário dos comitês e da diretoria, apoiam a cooperação e o compartilhamento seguro de informações em toda a organização, gerenciam os dados de subsidiárias e da entidade e fornecem percepções e informações que os líderes precisam para mitigar déficits de governança e aproveitar novas oportunidades.

Sendo a maior rede global de diretores e executivos corporativos, a Diligent conta com mais de 16.000 organizações e 650.000 líderes em mais de 90 países. Com o premiado atendimento ao cliente em todo o mundo, a Diligent atende a mais de 50% das empresas da Fortune 1000, 70% do FTSE 100 e 65% do ASX.

Acesse www.diligent.com para saber como a governança moderna ajuda as organizações a superar seus pares e a concorrência.

Sobre a The Rock Center for Corporate Governance

The Arthur and Toni Rembe Rock Center for Corporate Governance é uma iniciativa conjunta da Stanford Law School e da Stanford Graduate School of Business. O centro foi criado para promover o entendimento e a prática da governança corporativa em um ambiente interdisciplinar em que acadêmicos, líderes empresariais, formuladores de políticas, profissionais e reguladores podem se reunir e trabalhar juntos.

Acesse https://www.gsb.stanford.edu/faculty-research/centers-initiatives/cgri para mais informação.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Diligent Corporation
Greg Nyhan, 646-215-6884 
gnyhan@mww.com

Contacts

Diligent Corporation
Greg Nyhan, 646-215-6884 
gnyhan@mww.com