Estudo investiga a utilidade da medição não invasiva contínua de hemoglobina com o Masimo SpHb® para refletir a hemodiluição iatrogênica em tempo real durante a administração de fluido incremental

NEUCHÂTEL, Suíça--()--Masimo (NASDAQ: MASI) anunciou hoje que, em um estudo recente publicado na revista Anesthesia & Analgesia, os pesquisadores avaliaram a capacidade do monitoramento contínuo e não invasivo da hemoglobina com o Masimo SpHb® para detectar o desenvolvimento da hemodiluição aguda depois da administração gradual de fluido, ao comparar com a hemoglobina de laboratório medida invasivamente (BHb), em pacientes submetidos a cirurgias grandes.1

No estudo, o Dr. Şerban Bubenek-Turconi e seus colegas, da Universidade de Medicina e Farmácia Carol Davila, o professor C.C. Iliescu, do Instituto de Doenças Cardiovasculares em Bucareste, Romênia e o Sheba Medical Center de Tel Aviv, Israel, examinaram os efeitos da carga de fluido incremental, como parte da terapia perioperatória direcionada a objetivo (goal-directed therapy, GDT) na oferta de oxigênio, e se o monitoramento da SpHb não invasivo poderia rastrear de modo confiável o desenvolvimento da hemodiluição aguda (que pode necessitar de transfusão de sangue que pode, de outro modo, ser evitada). Eles analisaram os dados de 40 pacientes adultos que se submeteram a cirurgia gastrointestinal ou vascular importante. A SpHb foi medida continuamente usando o Masimo Root® com o Radical-7® Pulse CO-Oximeter®. A Bhb e a pressão parcial de oxigênio (PaO2) foram intermitente e invasivamente medidas usando um analisador de gases sanguíneos, o radiômetro ABL800. O débito cardíaco (Cardiac Output, CO) e o volume sistólico (Stroke Volume, SV) também foram obtidos por meio das modalidades invasivas. A oferta de oxigênio (DO2) foi calculada como: CO*((Hb*1.38*SpO2)+PaO2*0.0031)). Os valores de parâmetro foram registrados depois da indução anestésica, antes do início da cirurgia (T0) e cinco minutos depois de sucessivos desafios de fluidos (Fluid Challenges, FC) coloidais de 250 ml (T1, T2 e T3). Os pacientes receberam o segundo e o terceiro desafio de fluido se, em cada etapa, o SV aumentou no mínimo 10%. 40 pacientes receberam o primeiro FC, 32 receberam o segundo e 20 receberam o terceiro, para um total de 92 FCs administrados.

Os pesquisadores descobriram que: “Comparados com os valores basais (T0), BHb e SpHb diminuíram em uma média de 5,3% ± 4,9% e 4,4% ± 5,2%, respectivamente, depois do primeiro FC (T1; n = 40), em 9,7% ± 8,4% e 7,9% ± 6,9% depois do segundo FC (T2; n = 32), e em 14,5% ± 6,2% e 14,6% ± 5,7% depois do terceiro FC (T3; n = 20).” Usando a análise de Bland-Altman de todos os 132 valores de SpHb e BHb combinados, os pesquisadores descobriram um viés médio de valores de precisão de -0,3 ± 1,5 g/dl e limites de concordância de -2,7 a 3,3 g/dl. Eles também descobriram que as alterações nas taxas de concordância na SpHb e na BHb depois da administração de 250, 500 e 750 ml de fluido foram 83%, 90% e 100%, respectivamente. Eles notaram que os resultados mostraram uma “excelente” concordância depois de 750 ml, apesar da precisão absoluta limitada, que pode ter sido afetada negativamente por uma “variabilidade inerente bem reconhecida do dispositivo Hb do laboratório que serviu como o nosso método de referência”.

Os pesquisadores concluíram: “em resumo, nosso estudo mostra que a hemodiluição iatrogênica aguda ocorre invariavelmente depois da administração de fluido, que pode levar à diminuição paradoxical em DO2, especialmente naqueles que “não respondem” e cujo desenvolvimento se tornou visível pelo monitoramento contínuo da SpHb quando >500 ml de coloides são administrados. Mais estudos são necessários para examinar o benefício clínico potencial do monitoramento da SpHb para identificar hemodiluição aguda”.

A SpHb não tem a finalidade de substituir o exame de sangue laboratorial. Decisões clínicas relativas a transfusão de glóbulos vermelhos devem ser baseadas no julgamento do médico, considerando, entre outros fatores: condição do paciente, monitoramento contínuo da SpHb e exames de diagnóstico laboratoriais usando amostras de sangue.

@MasimoInnovates | #Masimo

Sobre a Masimo

A Masimo (NASDAQ: MASI) é uma empresa médica global que desenvolve e produz uma vasta gama de tecnologias líderes no setor, o que inclui soluções inovadoras de aferição, sensores, monitores de pacientes, automação e conectividade. Nossa missão é melhorar os resultados do paciente e reduzir o custo do tratamento. A SET® da Masimo, por meio de oximetria de pulso Motion and Low Perfusion™, introduzida em 1995, mostrou em mais de cem estudos independentes e objetivos que supera outras tecnologias de oximetria de pulso.2 A SET® da Masimo também demonstrou ajudar médicos a reduzir a retinopatia de prematuridade em neonatos,3 aumentou a detecção de CCC em recém-nascidos4 e, ao ser usada para monitoramento contínuo com o sistema Patient SafetyNet™ da Masimo em enfermarias de pós-cirurgia, reduziu custos e ativações de resposta de emergência rápidas.5-7 Estima-se que a SET® da Masimo seja usada em mais de cem milhões de pacientes e hospitais líderes e outros locais de assistência médica ao redor do mundo8 e que seja a oximetria de pulso principal em nove de cada dez hospitais listados no Rol de honra de notícias e relatório dos melhores hospitais do mundo nos Estados Unidos em 2018-2019.9 A Masimo continua a aprimorar a SET® e anunciou em 2018 que a precisão de SpO2 em sensores RD SET™ em condições de movimento foi melhorada significativamente, o que proporcionou aos médicos mais confiança de que os valores de SpO2 dos quais eles dependem refletem com precisão o estado fisiológico do paciente. Em 2005, a Masimo introduziu a tecnologia rainbow® Pulse CO-Oximetry, permitindo o monitoramento não invasivo e contínuo dos componentes sanguíneos que anteriormente só podiam ser verificados invasivamente, inclusive a hemoglobina total (SpHb®), teor de oxigênio (SpOC™), carboxihemoglobina (SpCO®), metemoglobina (SpMet®), os índices Pleth Variability Index (PVi®), RPVi™ (rainbow® PVi) e o Oxygen Reserve Index (ORi™). Em 2013, a Masimo introduziu o monitoramento de paciente Root® e a Connectivity Platform (plataforma de conectividade), construídos do zero para serem o mais flexíveis e expansíveis possível para facilitar a adição de outras tecnologias de monitoramento da Masimo ou de terceiros; adições fundamentais da Masimo incluem o equipamento de monitoramento de função cerebral de próxima geração SedLine®, oximetria regional O3® e capnografia ISA™ com tubos de amostragem NomoLine®. A família de Pulse CO-Oximeters® de monitoramento pontual inclui dispositivos projetados para uso em diversas situações clínicas e não clínicas, incluindo tecnologia sem fio e usáveis, tais como Radius-7® e Radius™ PPG, dispositivos portáteis como Rad-67™, oxímetros de pulso de dedo como o MightySat® Rx e dispositivos disponíveis para uso, seja em um hospital ou em casa, como o Rad-97™. As soluções de automação e conectividade hospitalar da Masimo estão baseadas na plataforma Iris® e incluem Iris Gateway™, Patient SafetyNet, Replica™, Halo ION™, UniView™, e Doctella™. Outras informações sobre a Masimo e seus produtos estão disponíveis no site www.masimo.com. Os estudos clínicos publicados sobre os produtos da Masimo estão disponíveis em www.masimo.com/evidence/featured-studies/feature/.

ORi e RPVi não receberam liberação FDA 510(k) e não estão disponíveis para venda nos Estados Unidos. A marca comercial Patient SafetyNet é usada sob licença da University HealthSystem Consortium.

Referências

  1. Bubenek-Turconi S, Văleanu L, Popescu M, Panaitescu E, Tomescu D, Cacoveanu M, and Perel A. Continuous Noninvasive Hemoglobin Monitoring Reflects the Development of Acute Hemodilution After Consecutive Fluid Challenges. Anesth Analg. 2019. DOI: 10.1213/ANE.0000000000004323.
  2. Estudos clínicos publicados sobre a oximetria de pulso e os benefícios do Masimo SET® estão disponíveis no nosso site em http://www.masimo.com. Estudos comparativos incluem estudos independentes e objetivos compostos por resumos apresentados em reuniões científicas e artigos de periódicos revisados por especialistas.
  3. Castillo A et al. Prevention of Retinopathy of Prematurity in Preterm Infants through Changes in Clinical Practice and SpO2 Technology. Acta Paediatr. Fev 2011;100(2):188-92.
  4. de-Wahl Granelli A et al. Impact of pulse oximetry screening on the detection of duct dependent congenital heart disease: a Swedish prospective screening study in 39,821 newborns. BMJ. 2009;Jan 8;338.
  5. Taenzer AH et al. Impact of pulse oximetry surveillance on rescue events and intensive care unit transfers: a before-and-after concurrence study. Anesthesiology. 2010:112(2):282-287.
  6. Taenzer A et al. Postoperative Monitoring – The Dartmouth Experience. Anesthesia Patient Safety Foundation Newsletter. Spring-Summer 2012.
  7. McGrath SP et al. Surveillance Monitoring Management for General Care Units: Strategy, Design, and Implementation. The Joint Commission Journal on Quality and Patient Safety. 2016 Jul;42(7):293-302.
  8. Estimativa: Dados arquivados sobre a Masimo.
  9. http://health.usnews.com/health-care/best-hospitals/articles/best-hospitals-honor-roll-and-overview.

Declarações prospectivas

Este comunicado de imprensa inclui declarações prospectivas conforme definido na seção 27A da Lei de Valores Mobiliários de 1933, e seção 21E da Lei de Bolsa de Valores de 1934, em conexão com a Lei de Reforma de Controvérsias de Títulos Privados de 1995. Essas declarações prospectivas incluem, entre outras, declarações associadas à potencial eficácia do Masimo SpHb®. Essas declarações prospectivas têm como base as expectativas atuais quanto a eventos futuros que nos afetam e estão sujeitas a riscos e incertezas, todos de difícil previsão e muitos deles além do nosso controle, os quais podem fazer com que nossos resultados sejam materialmente diversos e adversos em relação àqueles expressos em nossas declarações prospectivas, como resultado de diversos fatores de risco que incluem, entre outros: riscos associados às nossas suposições quanto à capacidade de repetição dos resultados clínicos; riscos associados à nossa convicção de que as tecnologias exclusivas de medição não invasiva da Masimo, inclusive a SpHb da Masimo, contribuem para resultados clínicos positivos e para a segurança dos pacientes; riscos associados à nossa convicção de que as inovações médicas não invasivas da Masimo oferecem soluções economicamente acessíveis e vantagens exclusivas; bem como outros fatores mencionados na seção “Fatores de risco” dos nossos relatórios mais recentes protocolados na Comissão de Títulos e Valores Mobiliários (SEC, Securities and Exchange Commission), os quais podem ser obtidos gratuitamente no site da SEC em www.sec.gov. Apesar de acreditarmos que as expectativas refletidas em nossas declarações prospectivas sejam razoáveis, não sabemos se nossas expectativas serão corretas. Todas as declarações prospectivas incluídas neste comunicado de imprensa são expressamente qualificadas em sua totalidade pelas declarações de advertência precedentes. Advertimos os leitores a não confiar indevidamente nessas declarações prospectivas, que dizem respeito apenas à data de hoje. Não assumimos qualquer obrigação de atualizar, corrigir ou esclarecer tais declarações ou os “Fatores de risco” descritos em nossos mais recentes relatórios protocolados junto à Comissão de Valores Mobiliários (SEC), seja ou não como resultado de novas informações, eventos futuros ou de outra forma, exceto conforme possa ser exigido pelas leis de valores mobiliários aplicáveis.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Contato de mídia:
Masimo
Evan Lamb
949-396-3376
elamb@masimo.com

Contacts

Contato de mídia:
Masimo
Evan Lamb
949-396-3376
elamb@masimo.com