Estudo global da 3M revela: A ciência é subvalorizada

Quase metade dos participantes globais são céticos ou indiferentes à ciência; entretanto, o otimismo e as expectativas para o futuro da ciência em geral continuam altos.

3M State of Science Index (Graphic: Business Wire)

ST. PAUL, Minnesota--()--A ciência precisa de um defensor. Esta é a conclusão à qual chegou a 3M depois da análise do seu primeiro State of Science Index (SOSI) anual, um estudo global que expõe as atitudes da população em geral em relação à ciência. Inicialmente, os resultados do estudo sugerem que o sentimento em relação à ciência é esmagadoramente positivo: metade dos participantes acreditam que carros voadores se tornarão realidade durante sua vida e 87% acham a ciência fascinante, não tediosa.

Entretanto, em outra análise, a pesquisa revela que muitas pessoas não têm certeza do impacto que a ciência tem em suas vidas: quase 40% acreditam que a vida diária poderia não ser muito diferente se a ciência não existisse (38%). Uma onda de ceticismo também predomina em torno da ciência. O estudo descobriu que quase um terço (32%) da população global é cética em relação à ciência e 20% desconfia dos cientistas.

O independente State of Science Index feito em 14 países foi encomendado pela 3M (MMM), uma empresa global de ciência e inovação, e foi realizado pela Ipsos, uma empresa global de pesquisa de mercado. O estudo explora a imagem da ciência no mundo. Os participantes responderam perguntas sobre seu conhecimento, entendimento e gosto pela ciência, bem como sobre a imagem e o futuro da ciência.

"Nós decidimos procurar sentir o que o público em geral pensa e sente em relação à ciência e seu impacto no mundo. A ciência é valorizada e acreditada, ou não é apreciada?" disse John Banovetz, diretor de tecnologia da 3M. "Esta rica compreensão dá destaque à ciência e revela diferenças nas atitudes entre países emergentes e países desenvolvidos, homens e mulheres e até entre gerações. O mundo está se tornando cada vez mais avançado tecnologicamente, e a ciência está conduzindo estes avanços da tecnologia. Esperamos que, ao tornar os dados da pesquisa disponíveis e acessíveis, iremos inspirar defensores da ciência e futuros cientistas em todos os lugares e trazer para o mundo mais gosto pela ciência."

Principais percepções do estudo

  • Para muitos, a ciência é vista como sendo acessível apenas para os “gênios.” O estudo descobriu que mais de um terço das pessoas são intimidadas pela ciência, com 36% concordando que só os gênios podem ter uma carreira na ciência.
  • Mais trabalho precisa ser feito para abordar a diferença de gênero na ciência. As mulheres são menos envolvidas e interessadas em ciência que os homens. Elas dizem mais comumente que os homens que não sabem nada sobre ciência (21% versus 15%) e demonstram bem menos probabilidade de acreditar que uma carreira em engenharia poderia ser satisfatória (9% versus 25%). Entretanto, as mulheres têm mais interesse em medicina que os homens (20% versus 14%) e nas ciências da vida (15% versus 10%).
  • A ciência é mais apreciada no nível macro, da sociedade, que no nível micro, do dia a dia. Significativamente mais pessoas acreditam que a ciência é mais importante para a sociedade em geral (63%) que para a vida diária (46%).
  • As pessoas têm grandes expectativas para a ciência. Cerca de três a cada quatro acreditam que a ciência pode resolver diferentes desafios globais inspirados pelas Metas de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. Globalmente, as pessoas estão otimistas em relação à ciência poder resolver os desafios relativos ao acesso à energia renovável barata (75%) e ao fornecimento de energia (74%). As pessoas também estão se voltando para a ciência para resolver os desafios relativos ao tratamento de doenças (75%), água tratada e esgoto (73%) e acesso à internet (73%). Mas a confiança na ciência para resolver os seguintes desafios globais é bem mais baixa: mudança climática (46%), fome (45%), envelhecimento da população (41%) e desemprego (33%).
  • As pessoas estão muito pouco cientes da ciência e de seu impacto em suas vidas. A maioria (66%) pensa que o impacto que a ciência tem em suas vidas diárias é "pouco ou nenhum."
  • Quase metade da população gostaria de ter buscado uma carreira em ciência. Enquanto uma pequena maioria de pessoas (54%) não se arrepende de ter seguido uma carreira não ligada a ciência, quase a metade gostaria de ter escolhido uma carreira em ciência (46%).
  • Os céticos e os apoiadores da ciência estão juntos em relação aos seus filhos e à próxima geração. No que se refere à próxima geração, os céticos e os não céticos da ciência estão surpreendentemente alinhados: 82% incentivariam os filhos a seguir carreira em ciência e 92% dos pais querem que seus filhos saibam mais sobre ciência; ao mesmo tempo, 33% pensam que os estudantes precisam de um melhor entendimento de como a ciência melhora o mundo para inspirá-los a querer uma carreira.

Os dados completos do estudo, inclusive a discriminação individual de 14 países e a capacidade das pessoas para explorar ainda mais os dados, podem ser encontrados em 3M.com/scienceindex.

Otimismo pelo futuro da ciência

Apesar do ceticismo e do mau entendimento geral sobre a ciência, a empolgação pelo futuro dos avanços científicos é alta. Quando perguntados sobre o que eles acreditam que a ciência alcançará durante sua vida, as respostas que mais apareceram incluíram robôs em todos os locais de trabalho (64%), robôs em todas as casas (55%) e carros voadores (51%). Além disso, há expectativas de vida submarina (41%) e de habitação em Marte (35%), tudo dentro do curso da nossa vida.

Em geral, o estudo descobriu que os países emergentes são mais otimistas sobre futuros avanços científicos que os participantes de países desenvolvidos. Os países emergentes tendem mais a pensar que carros voadores (58% emergentes versus 43% desenvolvidos) e controle do clima (43% versus 22%) poderiam ser possíveis no curso da sua vida.

“Mesmo os grandes avanços científicos são produto de múltiplas descobertas em anos de trabalho,” disse Banovetz. "Se os estudantes pensarem que só os gênios podem ter uma carreira em ciência e as pessoas continuarem indiferentes à ciência, como poderemos prosperar como sociedade e continuar a inovar? Para assegurar um futuro melhor, precisamos estar vigilantes em relação a ajudar as pessoas a entenderem todas as incríveis oportunidades e inovações que a ciência nos trouxe, bem como a dedicação, o rigor e o investimento necessário para alcançar esses resultados."

O compromisso da 3M com a ciência

Reconhecendo a necessidade de defender a ciência, a 3M nomeou a Dra. Jayshree Seth como a primeira advogada da ciência da 3M. A Dra. Seth será uma embaixadora que vai estimular e contribuir para os diálogos sobre a imagem da ciência e a importância que ela tem para melhorar as vidas em todo o mundo.

Uma cientista talentosa com PhD em engenharia química e 60 patentes em seu nome, a Dra. Seth recebeu o distinto título de cientista corporativo, a mais alta posição dentro da comunidade técnica na 3M. Além de suas realizações em inovação científica, a Dra. Seth é apaixonada por mentoria de jovens cientistas e de outros funcionários da 3M.

"Como estudante, às vezes eu mesma lutei com matérias de ciência. Eu tive a sorte de ter professores inspiradores e uma família que me encorajou, que realmente acreditou nos benefícios da ciência," disse a Dra. Seth "Em minha função como advogada da ciência, aumentarei a conscientização e derrubarei barreiras contra a apreciação e a empolgação da ciência. Quero que as pessoas saibam que não é necessário ser um gênio para ser cientista. Quero que as pessoas entendam como a ciência melhora a vida e conduz as inovações de que dependemos em todos os minutos de todos os dias. E, finalmente, quero ser parte da solução que cria uma nova geração de advogados da ciência. Isso é particularmente importante porque prevê-se que até 2050 a população mundial deverá crescer de 7 bilhões para 9 bilhões e a economia deverá ser quadruplicada. 1 Precisamos que a ciência resolva os problemas e aproveite as oportunidades que vêm com o crescimento, tais como o aumento do uso de energia, a escassez de água, o congestionamento dos transportes e a poluição do ar."

A indicação da Dra. Seth para a função de advogada da ciência se sustenta no compromisso de 40 anos da 3M de estimular a próxima geração de cientistas e a melhoria da vida. Nos Estados Unidos e internacionalmente, a 3M fornece recursos substanciais para apoiar as inciativas STEM.

Nos Estados Unidos, o compromisso de 10 anos da 3M com o Desafio do Jovem Cientista Discovery Education 3M (Discovery Education 3M Young Scientist Challenge), uma competição científica importante para estudantes de ensino médio, tem conectado aspirantes a cientistas com mentores da 3M. Globalmente, a 3Mgives apoia, através do braço filantrópico da empresa em dezenas de mercados locais, programas como a parceria com o “Let’s Talk Science” no Canadá há mais de 10 anos, a Mobile Science Lab Initiative na Índia, o Desafio Científico de cinco anos, que inclui treinamento de professores e competições estudantis no Brasil, e apoia as equipes de First Robotics e competições de WorldSkills em todo o mundo.

Em 2018, a 3Mgives fará um investimento significativo nas iniciativas internacionais STEM. Por exemplo, a empresa participará de um novo programa STEMania na Arábia Saudita para promover a igualdade de gêneros e encorajar mulheres jovens no grau elementar e intermediário a buscarem carreiras STEM.

Metodologia do estudo

A Ipsos conduziu o estudo com 14.036 adultos em 14 países entre 14 de junho e 26 de agosto de 2017. A pesquisa foi feita através de uma combinação de entrevistas online e offline. Aproximadamente 1.000 pessoas maiores de 18 anos foram pesquisadas em cada país. Países incluídos no estudo: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Brasil, Canadá, China, Cingapura, Estados Unidos, França, Índia, Japão, México, Polônia e Reino Unido. A amostragem de cada país foi nacionalmente representativa com base em idade, gênero, região e raça/etnicidade (onde aplicável). Com 95% de nível de confiança, a margem de erro para os 14 países tem um total global de +/- 0,83 ponto percentual. Os países emergentes e desenvolvidos foram agrupados da seguinte maneira:

  • Desenvolvidos: Alemanha, Canadá, Cingapura, Estados Unidos, França, Japão, Reino Unido
  • Emergentes: África do Sul, Arábia Saudita, Brasil, China, Índia, México, Polônia

Sobre a 3M

Na 3M, aplicamos a ciência de forma colaborativa para melhorar a vida diariamente. Com US$ 32 bilhões em vendas, nossos 91 mil funcionários conectam-se com clientes em todo o mundo. Saiba mais sobre as soluções criativas da 3M para os problemas do mundo em www.3M.com ou no Twitter @3M ou @3MNews.

1 https://www.oecd.org/env/indicators-modelling-outlooks/49846090.pdf

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Ketchum
Paula DeGangi, 646-935-4029
paula.degangi@ketchum.com
ou
3M, Corporate Marketing
Robert Brittain, 651-733-7034
rbrittain@mmm.com

Contacts

Ketchum
Paula DeGangi, 646-935-4029
paula.degangi@ketchum.com
ou
3M, Corporate Marketing
Robert Brittain, 651-733-7034
rbrittain@mmm.com