Líderes em tecnologia médica discutirão dados abertos durante a Cúpula Mundial Anual de Tecnologia, Ciência e Segurança do Paciente

Empresas de dispositivos médicos se comprometem a compartilhar dados que podem salvar a vida dos pacientes

Joe Kiani, Founder and Chairman of the Patient Safety Movement Foundation, discusses the importance of open data and interoperability of medical devices. (Photo: Business Wire)

LONDRES--()--O campo da tecnologia médica abrange um mercado multibilionário (em dólares), e a competitividade corporativa tem sido há muito considerada como essencial para manter a liderança. Mas Joe Kiani, presidente do conselho e diretor executivo da empresa de tecnologia médica Masimo, está reunindo concorrentes incríveis em prol da segurança dos pacientes.

Como um forte defensor da segurança dos pacientes, Kiani fundou a Patient Safety Movement Foundation para deter as mortes desnecessárias que ocorrem diariamente em hospitais devido a erros médicos evitáveis. A meta é a erradicação das mortes evitáveis até 2020.

Uma das formas para alcançar uma meta tão agressiva, diz Kiani, é um conceito chamado "interoperabilidade", e ele quer usar dados abertos para criar uma "Rede de comunicação superrápida de dados do paciente" para alcançá-la.

"Antes de mais, é a coisa certa a fazer", diz Kiani. "Pessoas estão morrendo devido à falta de compartilhamento de dados – algoritmos que podem alertar os clínicos e ajudá-los na tomada de decisões não podem ser usados porque os dados de dispositivos médicos e os registros médicos eletrônicos têm sido historicamente bloqueados pelos fabricantes".

Desde a primeira Cúpula Mundial Anual de Tecnologia, Ciência e Segurança do Paciente em janeiro de 2013, Kiani reuniu centenas de clínicos, diretores executivos hospitalares, diretores executivos de tecnologia médica, partes interessadas governamentais e defensores de pacientes líderes de todo o mundo para discutir as etapas necessárias para chegar mais perto da meta da Fundação de erradicar as mortes evitáveis em hospitais.

O primeiro desafio é como conseguir que empresas de tecnologia médica concorrentes como Philips, Medtronic, Masimo e GE trabalhem a interoperabilidade em conjunto. A solução é através de compromissos de dados abertos (Open Data Pledges) para reunir dados coletados por diversos dispositivos médicos. O compartilhamento de dados é a chave, juntamente com proteções da privacidade dos pacientes, mas o prêmio continua sendo a segurança dos pacientes. As informações existem, prontas para qualquer empresa ou empreendedor encontrar uma forma de transformar o conceito de "interoperabilidade e, com ela, algoritmos de previsão e apoio às decisões" em realidade.

O que começou com nove empresas optando por se inscrever no compromisso de dados abertos em 2013 agora cresceu para quase 100 empresas, inclusive as gigantes GE, IBM Watson, Medtronic e Philips, que assinaram o compromisso. E neste ano, o diretor executivo da Medtronic, Omar Ishrak, conduzirá o painel sobre tecnologia de cuidados de saúde na 6ª Cúpula Mundial Anual de Tecnologia, Ciência e Segurança do Paciente em Londres. É um sinal claro de que mais empresas estão começando a ver a necessidade da interoperabilidade para erradicar mortes evitáveis em hospitais.

"Isso é o que torna a Cúpula Mundial Anual de Tecnologia, Ciência e Segurança do Paciente deste ano tão empolgante", diz Kiani. "Nós seremos capazes de reunir líderes do setor, inovadores e até rivais na busca da segurança dos pacientes".

"A erradicação de mortes evitáveis em ambiente hospitalar até 2020 é uma meta pela qual vale a pena cooperar", diz Kiani. "A Cúpula reúne experiência, tecnologia e a capacidade de projetar planos e implementação acionáveis que podem salvar vidas".

Os palestrantes da 6ª Cúpula Mundial Anual de Liderança em Tecnologia de Cuidados de Saúde do Paciente são:

  • Moderador Omar Ishrak, presidente do conselho e diretor executivo da Medtronic – Antigo presidente e diretor executivo da General Electric Healthcare Systems, uma divisão de 12 bilhões de dólares da GE. É co-presidente da Comunidade de Saúde e Assistência à Saúde do Fórum Econômico Mundial, além de ser membro do Conselho de Administração da Intel, a empresa de tecnologia global.
  • Matt Darling, co-fundador da SmartWard – A formação multifacetada de Darling inclui encontrar soluções de hardware e software em segurança virtual, sistemas de segurança fundamental e defesa.
  • Frans van Houten, diretor executivo da Royal Philips – van Houten também é presidente do Conselho dos Comitês Executivo e de Administração. Sua experiência em inovação e transformação de negócio gerou melhores resultados na Philips por meio de alienações direcionadas e a aquisição de negócios de tecnologia de saúde complementares. Estes incluem a líder em terapia orientada por imagem Volcano, sediada nos Estados Unidos, e o líder em técnicas de análise Wellcentive.
  • Anders Wold, presidente e diretor executivo da GE Healthcare Clinical Care Solutions - Wold juntou-se à GE com a aquisição da Diasonics/Vingmed Ultrasound, uma empresa recém-criada de tecnologia sediada na Noruega. Ele tem 32 anos de experiência no setor de ultrassom, inclusive gerenciamento de produtos, vendas e marketing, enquanto esteve sediado em Cingapura, Paris e Noruega. Ele liderou o negócio Global Ultrasound de 2009 a 2016, promovendo seu crescimento até se tornar o líder global no setor.
  • Dr. Charles Murphy, diretor de segurança do paciente do Inova Heart and Vascular Institute - O dr. Murphy continua ativo em cuidados diretos aos pacientes como médico de tratamentos de cuidados intensivos e diretor médico da unidade de tratamento intensivo cardiovascular do Inova. Antes, foi diretor adjunto de segurança do paciente da Duke Health System.

Para mais informação, acesse o site da Patient Safety Movement Foundation. Membros da mídia podem solicitar um passe de imprensa acessando http://bit.ly/2mCeyay entrando em contato com Tanya Lyon – telefone (949) 351-2858 ou por email tanya.lyon@patientsafetymovement.org.

Sobre a Patient Safety Movement Foundation:

Mais de 200.000 pacientes dos EUA e três milhões em todo o mundo morrem todos os anos de causas evitáveis. A Patient Safety Movement Foundation (PSMF) foi constituída com o apoio da Masimo Foundation for Ethics, Innovation, and Competition in Healthcare para erradicar as mortes evitáveis até 2020 (0X2020). Aprimorar a segurança do paciente exige um esforço de colaboração de todas as partes interessadas, o que inclui pacientes, prestadores de serviços de saúde, empresas de tecnologia médica, governos, empregadores e pagadores privados. A PSMF trabalha com todas as partes interessadas para abordar problemas com soluções práticas. A Fundação também convoca a World Patient Safety, Science and Technology reunindo algumas das melhores mentes do mundo para discussões que provoquem pensamentos e novas ideias que desafiem o status quo. Ao apresentar soluções específicas e de alto impacto para atender aos desafios de segurança do paciente, chamadas Soluções acionáveis para a segurança do paciente, incentivando empresas de tecnologia médica a compartilhar os dados sobre a compra de seus produtos e pedir que os hospitais se comprometam em implementar soluções acionáveis para a segurança do paciente, a Patient Safety Movement Foundation está trabalhando para alcançar a meta de erradicar as mortes evitáveis até 2020. Acesse o site http://patientsafetymovement.org/.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Patient Safety Movement Foundation
Tanya Lyon, (949) 351-2858
tanya.lyon@patientsafetymovement.org

Contacts

Patient Safety Movement Foundation
Tanya Lyon, (949) 351-2858
tanya.lyon@patientsafetymovement.org