Pesquisa da Veritas demonstra que o comportamento acumulador no mundo digital é generalizado, com os funcionários prontos para ceder quase qualquer coisa, menos seus dados

Pesquisa da Veritas revela que 82% dos tomadores de decisões em TI admitem serem acumuladores digitais, o que representa sérios riscos financeiros, de segurança e de gestão de dados para as organizações.

MOUNTAIN VIEW, Califórnia--()--A Veritas Technologies, líder em gestão de informações, divulgou hoje o estudo de pesquisa Data Hoarders, demonstrando que 82% dos tomadores de decisões em TI admitem ser acumuladores de dados e arquivos digitais. Na sequência do seu projeto Data Genomics que analisou dezenas de bilhões de arquivos e seus atributos de muitos dos ambientes de dados não estruturados de seus clientes, a Veritas conduziu um estudo para analisar os hábitos de armazenamento de dados dos tomadores de decisões em TI e profissionais de escritório em todo o mundo.

A pesquisa, encomendada pela Veritas, foi realizada com 10.022 profissionais de escritórios e tomadores de decisões de TI em todo o mundo para se ter uma visão de como os indivíduos gerenciam dados. Preocupações significativas a respeito do acúmulo digital foram destaque, com 73% de todos os entrevistados indicando que armazenam dados que poderiam ser potencialmente prejudiciais às suas organizações. Esses dados incluem registros pessoais não criptografados, pedidos de emprego em outras empresas, segredos da empresa não criptografados e correspondências embaraçosas de funcionários.

Os principais problemas destacados pela pesquisa incluem:

A questão do acúmulo digital é real

As conclusões reiteram que os tomadores de decisões em TI estão acumulando seus arquivos digitais e salvando 54% de todos os dados que criam. Além disso, 41% de todos os arquivos digitais criados permanecem inalterados por três anos ou mais. Apesar da pesquisa indicar que o comportamento acumulador no que se refere a dados é comum a todas as organizações, muitos profissionais de escritório, 48%, admitem que não confiariam que um acumulador de dados pudesse entregar um projeto no prazo. Os entrevistados também estão dispostos a fazer o inesperado a fim de manter os arquivos que acumularam, preferindo ceder suas roupas e finais de semana em vez de excluir seus arquivos. Quase metade, 45%, preferiria trabalhar nos finais de semana por três meses em vez de descartar todos os seus arquivos digitais. Enquanto isso, 46% preferiria jogar fora todas as suas roupas do que todos os seus arquivos digitais.

Funcionários sobrecarregados pelo dilúvio de dados

Uma maioria significativa dos tomadores de decisões em TI estavam sobrecarregados com a extensão e o volume de dados que acumulam. Cerca de 3/4 dos tomadores de decisões de TI usam um tempo que deveria ser dedicado às suas responsabilidades diárias para lidar com o acúmulo de dados. Além disso, 69% dos profissionais de escritório admitem abandonar esforços para organizar e excluir seus arquivos digitais antigos por ser muito trabalhoso.

Os funcionários fazem um grande esforço para determinar se os dados têm importância ou valor em longo prazo. Como resultado, 47% dos tomadores de decisões em TI dizem se preocupar que eventualmente tornarão a precisar dos dados.

Tomadores de decisões em TI admitem armazenar itens que podem ser prejudiciais para a empresa

O volume de dados que a empresa armazena aumenta o tempo de resposta a uma violação de dados, de acordo com 86% dos tomadores de decisões em TI. Além disso, o que está sendo retido pode ser por si só prejudicial, com 83% dos tomadores de decisões em TI e 62% dos profissionais de escritório admitindo reter itens que podem ser prejudiciais para seu empregador ou para sua própria perspectiva de carreira. Estes dados incluem: registros pessoais não criptografados, pedidos de emprego em outras empresas, segredos da empresa não criptografados e correspondências embaraçosas de funcionários. Arquivos pessoais perfazem um volume significativo do “lixo” salvo, com 96% dos tomadores de decisões em TI admitindo salvar arquivos pessoais desnecessários.

Comportamento de acúmulo de dados pode significar não conformidade com a GDPR

Em maio de 2018, o Parlamento europeu implementará a Norma geral europeia de proteção de dados (GDPR, sigla em inglês), um conjunto de leis válido em toda a UE com o objetivo de harmonizar a proteção de dados em toda a região. Tanto empresas sediadas na UE como todas aquelas fora da UE, mas fazendo negócios na região, serão afetadas. Com foco em proteger cidadãos da UE e seus dados contra o uso indevido e a fraca segurança de dados, as consequências da não conformidade serão potencialmente enormes. A multa máxima para não conformidade chega a US$ 22,3 milhões (€ 20 milhões) ou até 4% do faturamento mundial.

“Na atual era digital, virtualmente todas as organizações enfrentam os desafios criados pelo crescimento exponencial dos dados. Como resultado, profissionais de escritório e departamentos de TI têm reagido acumulando dados para uso ‘potencial’ no futuro”, diz Chris Talbott, líder de soluções na Veritas Technologies. “Para piorar as coisas, os funcionários estão baixando de tudo, de músicas e fotos pessoais a listas de compras nos mesmos servidores, o que pode levar a sérios problemas de integridade da marca, multas pesadas e investigações regulamentares, se não houver uma gestão adequada do departamento de TI”.

Essa pesquisa foi realizada pela Wakefield Research em nome da Veritas Technologies em 13 países e com mais de 10.000 profissionais de escritório e tomadores de decisões de TI.

Sobre o Data Genomics Index 2016 da Veritas

O Data Genomics Index é o primeiro benchmark de dados que detalha com precisão ambientes reais – da composição do tipo de arquivo e distribuição média de idade às proporções de tamanho dos seus arquivos individuais. A Veritas analisou dezenas de bilhões de arquivos e seus atributos de muitos dos ambientes de dados não estruturados dos clientes em 2015 para entender melhor como seus ambientes são realmente constituídos. Mais de 8.000 das extensões de tipo de arquivo mais populares foram consideradas na análise. De modo geral, esses dados representam um subconjunto representativo de todo o ambiente de sistema de arquivos de um cliente respectivo.

Sobre a Veritas Technologies

A Veritas Technologies permite que as organizações usem todo o poder de suas informações, com soluções de gestão da informação que atendem aos maiores e mais complexos ambientes do mundo. A Veritas trabalha com organizações de todos os portes, inclusive 86% das empresas globais que compõem a lista Fortune 500, melhorando a disponibilidade dos dados e apresentando percepções que impulsionam vantagens competitivas. www.veritas.com

Veritas e o logotipo da Veritas são marcas comerciais ou marcas comerciais registradas da Veritas Technologies LLC ou suas sociedades coligadas nos EUA e em outros países. Outros nomes podem ser marcas comerciais registradas de seus respectivos titulares.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Text100 para Veritas
Brette Querzoli, 415-593-8481
Brette.Querzoli@text100.com
ou
Veritas Technologies
Brooke Hamilton, +44 (0) 7713 697268
Brooke.Hamilton@veritas.com

Contacts

Text100 para Veritas
Brette Querzoli, 415-593-8481
Brette.Querzoli@text100.com
ou
Veritas Technologies
Brooke Hamilton, +44 (0) 7713 697268
Brooke.Hamilton@veritas.com