General Cable divulga resultados do terceiro trimestre de 2017

HIGHLAND HEIGHTS, Kentucky--()--General Cable Corporation (NYSE: BGC) divulgou hoje os resultados para o terceiro trimestre finalizado 29 de setembro de 2017. Para o trimestre, o prejuízo (perda) por ação divulgado foi de US$ 0,28 e o lucro operacional divulgado foi de US$ 1 milhão, incluindo US$ 27 milhões em encargos não monetários, principalmente relacionados à venda de operações na China. O lucro ajustado por ação e o lucro operacional ajustado foram de US$ 0,25 e US$ 43 milhões, respectivamente, no trimestre. Consulte a página 2 deste comunicado de imprensa para a reconciliação do que foi publicado sobre os resultados ajustados e divulgações relacionadas.

Michael T. McDonnell, presidente e diretor executivo, disse, “Estamos muito satisfeitos em anunciar que tivemos um terceiro trimestre forte. Nossa equipe continua a atuar bem em nossas iniciativas de roteiro estratégico para promover a melhoria de desempenho em nossos principais segmentos na América do Norte, Europa e América Latina, apesar da contínua e desafiadora dinâmica das indústrias. No geral, o nosso desempenho no segundo semestre permanece no caminho certo com nossas expectativas anteriormente comunicadas. Antecipamos que o segundo semestre de 2017 seja consistente com o primeiro semestre do ano e cerca de 30% acima em relação ao segundo semestre de 2016.”

Resumo do terceiro trimestre

  • Receita operacional divulgada de US$ 1 milhão, impactada sobretudo por encargos não monetários de US$ 27 milhões, principalmente relacionados à venda de operações na China
  • O lucro operacional ajustado de US$ 43 milhões aumentou US$ 11 milhões em relação ao ano anterior, uma vez que as economias de reestruturação, os preços dos produtos metálicos e a melhoria contínua do desempenho na América Latina compensaram o impacto da menor atividade de projetos submarinos
  • O programa de desapropriação (alienação) de bens quase concluído com a venda da China, trazendo o produto total para US$ 220 milhões e no alvo para atender à faixa comunicada anteriormente de US$ 250 a US$ 300
  • Mantida liquidez significativa com a disponibilidade de US$ 363 milhões na facilidade de crédito rotativo com base em ativos de US$ 700 milhões da empresa e US$ 72 milhões em caixa e equivalentes de caixa
  • O impacto dos preços mais altos dos metais foi um benefício de US$ 6 milhões quando comparado ao impacto negativo de US$ 2 milhões no período do ano anterior
  • A administração continua a atuar na sua revisão previamente anunciada de alternativas estratégicas para maximizar o valor para o acionista, incluindo uma venda potencial da empresa

Demanda do segmento do terceiro trimestre

América do Norte – O volume por unidade aumentou 12% em relação ao ano anterior, impulsionado principalmente pela maior demanda por cabos de transmissão aérea e produtos industriais, de construção e especializados (ICS).

Europa – O volume por unidade foi relativamente estável em relação ao ano anterior, já que uma demanda mais forte por produtos de utilidade elétrica, incluindo projetos terrestres prontos para uso ajudou a compensar o desempenho flexível do negócio de projetos submarinos para uso imediato e a fraqueza contínua nos mercados industriais e de construção em toda a região.

América Latina– O volume por unidade aumentou 11% em relação ao ano anterior, impulsionado pelo envio de cabos de transmissão aérea no Brasil. A região continua a sofrer com gastos desiguais em infraestrutura elétrica e projetos de construção.

Dívida líquida

No final do terceiro trimestre de 2017 e no final do quarto trimestre de 2016, a dívida total foi de US $ 1.091 milhões e US$ 939 milhões, respectivamente, e o caixa e equivalentes de caixa foram de US$ 72 milhões e US$ 101 milhões, respectivamente. O aumento da dívida líquida foi devido principalmente ao investimento em capital de giro, em parte devido ao aumento dos preços dos metais e pagamentos no valor de US$ 52 milhões relacionado à nossa resolução da FCPA até o primeiro semestre de 2017.

Medidas financeiras não-GAAP

O lucro operacional ajustado (definido como lucro operacional antes dos encargos extraordinários, não recorrentes ou incomuns e outros itens determinados), lucros ajustados por ação (definidos como lucros por ação diluídos antes dos encargos extraordinários, não recorrentes ou incomuns e outros itens determinados) e dívida líquida (definida como dívida de longo prazo acrescida da parcela corrente de dívidas de longo prazo menos caixa e equivalentes de caixa) são “medidas financeiras não-GAAP”, conforme definido nas regras da Securities and Exchange Commission (Comissão de Valores Mobiliários). As receitas ajustadas de metais e o retorno sobre as vendas ajustadas de metais por segmento, ambas as medidas financeiras não-GAAP, também são aqui fornecidas. Consulte "Informações por segmento”.

Estas medidas financeiras não-GAAP definidas pela empresa excluem, dos resultados divulgados, os itens que a administração acredita que não sejam indicativos do desempenho atual e estão sendo aqui fornecidas por serem consideradas úteis pela administração na análise do desempenho operacional da empresa e por serem consistentes com a forma como a administração analisa nossos resultados operacionais e as tendências subjacentes dos negócios. O uso destas medidas financeiras não-GAAP pode ser inconsistente com medidas similares apresentadas por outras empresas e devem ser apenas utilizadas em conjunto com os resultados informados pela empresa, de acordo com os princípios GAAP. Os resultados operacionais ajustados do segmento histórico são divulgados na Apresentação ao Investidor do terceiro trimestre de 2017, disponível no site da empresa.

Uma reconciliação do resultado operacional GAAP (perdas) e lucro diluído (prejuízos) por ação para o resultado operacional ajustado e lucro por ação é apresentada a seguir

 
Terceiro trimestre de 2017 em relação ao terceiro trimestre de 2016
  Terceiro trimestre
2017     2016
Lucro   Lucro  
Em milhões, exceto valores por ação operacional   LPA operacional   LPA
Divulgado US$ 0,8 US$ (0,28) US$ 4,7 US$ (0,29)
Ajustes para conciliar o resultado operacional/lucro por ação (LPA)
Despesas de juros de dívida conversível não monetária (1) - 0,01 - 0,01
Prejuízo (ganho) ao preço de mercado sobre instrumentos derivativos (2) - (0,18) - (0,01)
Encargos com reestruturação e desapropriação (de bens)(3) 7,7 0,09 24,1 0,29
Custos jurídicos e investigativos (4) 0,4 - 0,8 0,01
(Lucro) perda sobre venda de ativos (5) 6,3 0,12 (6,4) (0,08)
Liquidação de projetos(6) 3,5 0,04 - -
(Receita)/perdas da Ásia-Pacífico e África (7) 24,3   0,45 8,9   0,14
Total em ajustes 42,2   0,53 27,4   0,36
Ajustado US$ 43,0   US$ 0,25 US$ 32,1   US$ 0,07
 
NOTA: as tabelas acima refletem os ajustes do lucro por ação (LPA) com base na taxa de impostos efetiva do ano completo da empresa de 40% para 2017 e 50% para 2016.
(1)   O ajuste da empresa para a despesa de juros conversíveis em dívidas não monetárias reflete o acréscimo do componente patrimonial em notas conversíveis de 2029, que se reflete na demonstração de resultados como despesa de juros.
(2) (Ganhos) ao preço de mercado e perdas sobre instrumentos derivativos representam variações no período atual no valor justo de instrumentos de commodity designados como hedges econômicos. A empresa se ajusta para as mudanças no justo valor desses instrumentos de commodities, pois os lucros associados a contratos subjacentes não foram registrados no mesmo período.
(3) Custos de reestruturação e desapropriação de bens representam custos associados a programas de reestruturação e desapropriação de bens anunciados pela empresa. Exemplos disso incluem, mas não estão limitados a, custos com indenização de funcionários, depreciação de ativos, depreciação acelerada, depreciação de capital de giro, remanejamento de equipamentos, rescisões contratuais, honorários de consultoria e custos jurídicos incorridos em decorrência dos programas de desapropriação. A empresa se ajusta a esses encargos, pois a administração acredita que esses custos não continuarão após a conclusão dos programas de reestruturação e desapropriação de bens.
(4) Custos jurídicos e de investigação representam custos incorridos com empresas externas de consultoria jurídica e de contabilidade forense em conexão com a atualização de nossas demonstrações financeiras e investigações da Lei Sobre Práticas de Corrupção no Exterior. A empresa se ajusta a estes encargos, já que a administração acredita que esses custos não continuarão após a conclusão destas investigações, consideradas exceções do curso normal dos negócios.
(5) Perdas e ganhos na venda de ativos são o resultado da alienação de determinados empreendimentos da General Cable. A empresa se ajusta a esses ganhos e perdas, já que a administração acredita que esses ganhos e perdas são únicos em sua natureza e não ocorrerão como parte das operações em andamento.
(6) Liquidação de projetos representa as perdas associadas às reclamações relacionadas ao negócio de cabo de alimentação submarino alemão da empresa. A empresa se ajusta a essas perdas, pois a administração acredita que elas são únicas em sua natureza e não ocorrerão como parte das operações em andamento.
(7) O ajuste exclui o impacto das operações no segmento Ásia-Pacífico e África, que não são consideradas "operações centrais" no novo roteiro estratégico da empresa. A empresa está em processo de desapropriação ou encerramento dessas operações que não se espera que continuem como parte do empreendimento em andamento. Para fins contábeis, as operações contínuas na Ásia-Pacífico e África não satisfazem os requisitos a serem apresentados como operações descontinuadas. O terceiro trimestre de 2017 reflete principalmente a perda na venda do empreendimento da empresa na China no valor de US$ 19,9 milhões.
 

Sobre a General Cable

General Cable (NYSE:BGC), com sede em Highland Heights, Kentucky, é líder mundial em desenvolvimento, projeto, fabricação, marketing e distribuição em cabos e fios de alumínio, cobre e fibra ótica para os segmentos de energia, comunicações, industrial, construção civil e de especialidades. A General Cable é uma das maiores empresas de produção de fios e cabos do mundo, operando plantas de fabricação em seus mercados geográficos centrais e tendo representações de vendas e distribuição no mundo inteiro. Para mais informação sobre a General Cable, visite nosso site em www.generalcable.com.

Declaração de Cautela Referente às Declarações Prospectivas

Certas declarações neste comunicado de imprensa incluindo, sem limitação, declarações relacionadas a resultados financeiros futuros e desempenho, planos e objetivos, despesas de capital, entendimento da concorrência, fontes projetadas de fluxo de caixa, responsabilidade jurídica potencial, legislação proposta e ação regulatória e crenças, expectativas ou opiniões de nossa administração, são declarações prospectivas e, como tal, desejamos tirar proveito do "porto seguro" que é oferecido a tais declarações ao abrigo do Private Securities Litigation Reform Act de 1995. Declarações prospectivas são aquelas que preveem ou descrevem eventos ou tendências futuras e que não se relacionam unicamente com assuntos históricos. Geralmente, é possível identificar as declarações prospectivas como declarações que contêm as palavras “acreditar", “esperar”, “poder”, “antecipar”, “pretender”, “estimar”, “projetar”, “planejar”, “assumir”, “procurar” ou outras expressões similares, ou a negativa destas expressões, embora nem todas as declarações prospectivas contenham essas palavras identificadoras.

Os resultados reais podem diferir materialmente dos resultados discutidos nas declarações prospectivas em vista de vários fatores, riscos e incertezas sobre muitos dos quais não temos controle. Esses fatores, riscos e incertezas incluem, mas não estão limitados a: (1) condições econômicas gerais, particularmente aquelas nos setores de construção, energia e tecnologia da informação; (2) a volatilidade no preço das matérias-primas, em especial o cobre e o alumínio; (3) a revisão anunciada de alternativas estratégicas, incluindo uma potencial venda da empresa, e a decisão de participar ou não em qualquer alternativa estratégica, podem causar interrupções no negócio; (4) nossa capacidade de manter ou negociar e consumar novos negócios ou relações estratégicas ou transações; (5) despesas de depreciação com relação aos nossos ativos de longo prazo; (6) nossa capacidade de executar nosso plano de saída de todas as nossas operações na Ásia-Pacífico e África; (7) nossa capacidade de alcançar todas as nossas economias de custos antecipadas associadas ao nosso plano de reestruturação global previamente anunciado; (8) nossa capacidade de investir no desenvolvimento de produtos para melhorar o projeto e desempenho de nossos produtos; (9) riscos econômicos, políticos e outros de se manter instalações e vender produtos em outros países; (10) concorrência de preços no país a nível nacional e local; (11) nossa capacidade de integrar e identificar aquisições bem-sucedidas; (12) o impacto da tecnologia; (13) nossa capacidade de manter relações com nossos distribuidores e varejistas; (14) as mudanças nas taxas de imposto e a exposição a novas leis tributárias; (15) nossa capacidade de adaptação aos padrões atuais e em mudança da indústria; (16) nossa capacidade de executar grandes contratos de clientes; (17) nossa capacidade de manter relações com os principais fornecedores; (18) o impacto das flutuações nas taxas de câmbio; (19) conformidade com leis e regulamentos estrangeiros e estadunidenses, incluindo a Foreign Corrupt Practices Act [Lei Sobre Práticas de Corrupção no Exterior dos EUA]; (20) nossa capacidade de negociar extensões de acordos trabalhistas; (21) nossa capacidade de continuar nossas contas a pagar não comprometidas confirmando acordos; (22) nossa exposição ao risco de contraparte em nossos acordos de hedge; (23) nossa capacidade de atingir os rendimentos dos investimentos em nossos planos de benefícios definidos; (24) possíveis passivos ambientais futuros e litígios do amianto; (25) nossa capacidade de atrair e reter funcionários essenciais; (26) nossa capacidade de realizar pagamentos em nosso endividamento; (27) nossa capacidade de cumprir os convênios em nossos contratos de financiamento existentes ou futuros; (28) redução de uma ou mais das nossas classificações de dívida; (29) nossa capacidade de manter liquidez adequada; (30) nossa capacidade de manter controles e procedimentos de divulgação efetivos e controle interno sobre relatórios financeiros; (31) o preço de negociação de nossas ações ordinárias; e (32) outros fatores materiais.

Veja o Item 1A do Relatório Anual 2016 da empresa no Formulário 10-K arquivado na SEC em 24 de fevereiro de 2017 e subsequentes registros feitos na SEC para uma discussão mais detalhada sobre alguns desses riscos.

As declarações prospectivas refletem os pontos de vista e os pressupostos da administração a partir da data deste comunicado de imprensa sobre eventos futuros. A empresa não se compromete e, através desse documento, renuncia a qualquer obrigação, a menos que seja obrigado pelas leis de valores mobiliários aplicáveis, atualizar quaisquer declarações prospectivas como resultado de novas informações, eventos futuros ou outros fatores. A inclusão de qualquer declaração neste comunicado de imprensa não constitui uma admissão por parte da empresa, ou por qualquer outra pessoa, que os eventos ou circunstâncias descritos em tal declaração são materiais.

TABELAS PARA ACOMPANHAMENTO

 
General Cable Corporation e Subsidiárias
Demonstrações consolidadas de operações
(em milhões, exceto dados por ações)
(não auditadas)
     
 
Três meses fiscais findos em Nove meses fiscais findos
29 de setembro de 30 de setembro de 29 de setembro de 30 de setembro de
2017 2016 2017 2016
Vendas líquidas US$ 994,0 US$ 924,5 US$ 2.855,3 US$ 2.948,4
Custo das vendas   884,8     821,6     2.526,6     2.615,4  
Lucro bruto 109,2 102,9 328,7 333,0
 

Despesas de vendas, gerais e administrativas

108,4 86.1 326.9 238,0
Despesas de depreciação de patrimônio da marca - 7,4 - 9,0
Despesas de depreciação de ativos intangíveis   -     4,7     -     7,5  
Lucro operacional (perda) 0,8 4,7 1,8 78,5
Outras receitas (despesas) 10,7 (2,1 ) 17,9 4,7
Receitas de juros (despesas):
Despesas de juros (19,2 ) (22,5 ) (59,3 ) (67,2 )
Receitas de juros   0,3     0,2     1,4     1,2  
  (18,9 )   (22,3 )   (57,9 )   (66,0 )
 
Lucro (prejuízo) antes do imposto de renda (7,4 ) (19,7 ) (38,2 ) 17,2
Benefício (provisão) do imposto de renda (6,8 ) 5,7 (32,3 ) (7,7 )
Resultado da equivalência patrimonial das empresas afiliadas   -     0,3     -     0,7  
Rendimento líquido (perda) inclusive participação não-controladora (14,2 ) (13,7 ) (70,5 ) 10,2
Menos: receita líquida (perdas) atribuíveis à participação não-controladora   -     0,6     2,1     (0,6 )
Receita líquida (perdas) atribuíveis a acionistas comuns da empresa US$ (14,2 ) US$ (14,3 ) US$ (72,6 ) US$ 10,8  
Ganhos (perda) por ação - Receita líquida (perdas) atribuíveis a acionistas comuns da empresa por ação ordinária
Lucro (perdas) por ação ordinária - básico US$ (0,28 ) US$ (0,29 ) US$ (1,45 ) US$ 0,22  
Média ponderada de ações ordinárias - básico   50,0     49,6     49,9     49,5  

Lucro (perdas) por ação ordinária - supondo a diluição

US$ (0,28 ) US$ (0,29 ) US$ (1,45 ) US$ 0,21  

Média ponderada de ações ordinárias - supondo a diluição

  50,0     49,6     49,9     51,7  
 
 
General Cable Corporation e Subsidiárias
Demonstrações consolidadas de operações
Informações do segmento
(em milhões)
(não auditadas)
                 
Três meses fiscais findos em Nove meses fiscais findos em
29 de setembro de   30 de setembro de 29 de setembro de   30 de setembro de
2017 2016 2017 2016
Receitas (conforme divulgado)
América do Norte US$ 578,2 US$ 496,1 US$ 1.681,4 US$ 1.565,2
Europa 223,8 212,1 619,1 663,5
América Latina 185,6 158,0 491,5 481,2
África / Ásia-Pacífico   6,4     58,3     63,3     238,5  
Total US$ 994,0   US$ 924,5   US$ 2.855,3   US$ 2.948,4  
 
Receitas (ajustadas para metal) (1)
América do Norte US$ 578,2 US$ 552,3 US$ 1,681,4 US$ 1.705,8
Europa 223,8 229,2 619,1 706,2
América Latina 185,6 186,4 491,5 550,2
África / Ásia-Pacífico   6,4     68,0     63,3     268,3  
Total US$ 994,0   US$ 1.035,9   US$ 2.855,3   US$ 3.230,5  
 
Libras de metal vendido
América do Norte 152,5 136,2 441,4 415,5
Europa 37,7 37,3 112,3 116,3
América Latina 64,3 57,8 173,2 176,8
África / Ásia-Pacífico   0,8     16,7     14,5     72,3  
Total   255,3     248,0     741,4     780,9  
 
Lucro operacional (prejuízo)
América do Norte US$ 19,0 US$ 10,0 US$ 64,7 US$ 101,5
Europa 0,1 10,8 (6,0 ) 17,0
América Latina 6,0 (7,1 ) 12,9 (10,4 )
África / Ásia-Pacífico   (24,3 )   (9,0 )   (69,8 )   (29,6 )
Total US$ 0,8   US$ 4,7   US$ 1,8   US$ 78,5  
 
Lucro operacional ajustado (perdas) (2)
América do Norte US$ 33,5 US$ 33,2 US$ 106,7 US$ 104,8
Europa 3,5 5,2 0,1 25,1
América Latina   6,0     (6,3 )   13,1     (7,2 )
Total US$ 43,0   US$ 32,1   US$ 119,9   US$ 122,7  
 
Retorno sobre vendas ajustadas de metal (3)
América do Norte 5,8 % 6,0 % 6,3 % 6,1 %
Europa 1,6 % 2,3 % 0,0 % 3,6 %
América Latina 3,2 % -3,4 % 2,7 % -1,3 %
Total 4,4 % 3,3 % 4,3 % 4,1 %
 
Despesas de capital
América do Norte US$ 10,2 US$ 13,7 US$ 43,5 US$ 30,2
Europa 6,0 4,2 23,0 13,1
América Latina 2,3 3,2 5,2 9,8
África / Ásia-Pacífico   -     0,3     0,2     0,4  
Total US$ 18,5   US$ 21,4   US$ 71,9   US$ 53,5  
 
Depreciação e amortização
América do Norte US$ 8,3 US$ 10,2 US$ 26,6 US$ 32,1
Europa 5,8 5,6 16,8 17,0
América Latina 4,1 4,3 12,3 12,7
África / Ásia-Pacífico   0,2     3,4     1,1     4,5  
Total US$ 18,4   US$ 23,5   US$ 56,8   US$ 66,3  
 
Receitas por principais linhas de produtos
Concessionária de energia elétrica US$ 334,5 US$ 329,6 US$ 988,2 US$ 1.054,1
Infraestrutura elétrica 254,3 222,7 732,3 761,1
Construção 230,1 203,6 627,2 603,7
Comunicações 126,8 115,9 375,2 360,7
Produtos laminadores de fios   48,3     52,7       132,4     168,8  
Total US$ 994,0   US$ 924,5     US$ 2.855,3   US$ 2.948,4  
 
(1) Receitas ajustadas dos metais, uma medida financeira não-GAAP, são fornecidas visando eliminar uma estimativa de volatilidade no preço de metais a partir da comparação com receitas de um período a outro.
 
(2) A receita operacional ajustada (perda) é uma medida financeira não-GAAP. A receita operacional ajustada (perda) é uma medida financeira não-GAAP. A empresa está fornecendo o resultado operacional ajustado (perdas) por segmento, pois a administração acredita que isto seja útil na análise do desempenho operacional do empreendimento e é consistente com como a administração analisa as tendências subjacentes do empreendimento. Uma reconciliação do resultado operacional divulgado do segmento (perda) até o lucro operacional ajustado do segmento (perda) é fornecida no anexo da Apresentação para Investidores do terceiro trimestre de 2017, encontrado no site da empresa.
 
(3) O retorno sobre as vendas ajustadas do metal foi calculado sobre a receita operacional ajustada (perda)
 
GENERAL CABLE CORPORATION E SUBSIDIÁRIAS
Balanço patrimonial consolidado
(em milhões, exceto dados por ação)
 

Ativos

 

29 de setembro de
2017

 

31 de dezembro de
2016

 
Ativos circulantes: (não auditado)
  Caixa e equivalentes de caixa US$ 72,2 US$ 101,1

Contas a receber, provisões líquidas de US$ 18,6 milhões em 29 de setembro de e US$ 20,2 milhões em 31 de dezembro de 2016

766,9 664,5
Inventários 733,2 768,2
Despesas antecipadas e outros   77,4     65,4  
  Total de ativos circulantes 1.649,7 1.599,2
Propriedade, fábrica e equipamentos, líquido 530,4 529,3
Imposto de renda diferido 9,3 20,4
Patrimônio de marca 11,1 12,0
Ativos intangíveis, líquido 24,4 28,3
Empresas afiliadas não consolidadas 0,2 9,0
Outros ativos não circulantes   59,4     43,4  
Total de ativos US$ 2.284,5   US$ 2.241,6  

Passivo e patrimônio líquido

 
Passivos circulantes:
Contas a pagar US$ 448,4 US$ 414,0
Passivo acumulados 328,1 419,6
Parcela atual da dívida de longo prazo   54,8     67,5  
Total de passivo circulante 831,3 901,1
Dívida de longo prazo 1.036,2 8711
Imposto de renda diferido 125,9 126,7
Outros passivos   168,1     173,8  
Total do passivo   2.161,5     2.072,7  
Compromissos e contingências
Total do patrimônio:
Ações ordinárias, valor ao par de US$ 0,01, ações emitidas e em circulação:
29 de setembro de 2017 - 49.780.438 (líquido de 9.029.528 ações em tesouraria)
31 de dezembro de 2016 - 49.390.850 (líquido de 9.419.116 ações em tesouraria) 0,6 0,6
Capital integralizado adicional 709,8 711,0
Ações em tesouraria (163,1 ) (169,9 )
Ganhos acumulados (déficit) (201,4 ) (102,2 )
Outros prejuízos detalhados acumulados   (225,7 )   (286,4 )
Patrimônio líquido total dos acionistas da empresa 120,2 153,1
Juros não controlado   2,8     15,8  
Patrimônio total   123,0     168,9  
Total do passivo e do capital próprio US$ 2.284,5   US$ 2.241,6  
 

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

General Cable Corporation
Len Texter, 859-572-8684
Vice-presidente sênior, Finanças
Controlador Global e Relações com Investidores

Contacts

General Cable Corporation
Len Texter, 859-572-8684
Vice-presidente sênior, Finanças
Controlador Global e Relações com Investidores