Takeda Apresenta Dados do ALUNBRIG™ (brigatiniba) do Teste Crucial da Fase 2 ALTA na 18a Conferência Mundial sobre Câncer de Pulmão

Apresentações Incluem Dados Atualizados do Teste e Resultados da Análise Adicional de Câncer de Pulmão em Células Não Pequenas e ALK+ Refratária à Crizotiniba –

− Dados Destacam Impulso da Empresa de Oncologia da Takeda e Diversificação das Fontes de Informação quanto a Tumores Sólidos –

CAMBRIDGE, Mass. & OSAKA, Japão--()--A Takeda Pharmaceutical Company Limited (TSE: 4502) anunciou hoje que a empresa irá apresentar quatro sumários patrocinados por ela, incluindo uma apresentação oral, na 18a Conferência Mundial sobre Câncer de Pulmão (WCLC) da Associação Internacional para o Estudo do Câncer do Pulmão (IASLC), de 15 a 18 de outubro em Yokohama, Japão. As apresentações no encontro deste ano irão destacar o progresso da Takeda no desenvolvimento do ALUNBRIGTM (brigatiniba), um inibidor da quinase anaplástica de linfoma (ALK) em câncer de pulmão em células não pequenas (NSCLC). Como parte de um profundo compromisso para avançar em pesquisas e atender às necessidades de pacientes, a Takeda aspira desenvolver os melhores tratamentos para pessoas que vivem com NSCLC.

"As apresentações no encontro deste ano apoiam o papel do ALUNBRIG como uma terapia visando pacientes com ALK+ NSCLC avançado," disse Jesus Gomez Navarro, M.D., Vice-Presidente e Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento em Clínica Oncológica na Takeda. "Dados atualizados sendo apresentados na WCLC a partir de testes cruciais ALTA reforçam, com acompanhamento mais longo, as descobertas clínicas anteriormente registradas. Estamos comprometidos em continuar a pesquisa e o desenvolvimento em NSCLC para melhorar as vidas de mais de 30.000 pacientes diagnosticados com ALK+ NSCLC em todo o mundo a cada ano."

Durante a apresentação oral, a Takeda irá indicar dados atualizados do teste crucial da Fase 2 ALTA (ALK em L Câncer de Pulmão Teste de AP26113), destacando a eficácia e a segurança do ALUNBRIG em dois regimes separados de dosagem com ALK+ NSCLC avançado, que progrediram em crizotiniba. As sub-análises adicionais de eficácia e segurança a partir do teste também serão apresentadas.

Os quatro sumários patrocinados pela Takeda aceitos para a apresentação durante a WCLC 2017 incluem:
Nota: todos os horários relacionados estão no Horário Oficial do Japão.

Sobre o Teste ALTA

O teste da Fase 2 ALTA (ALK em L Câncer de Pulmão Teste de AP26113) da brigatiniba em adultos é um teste em curso, multicêntrico, aberto e nos dois braços, que inscreveu 222 pacientes com ALK+ NSCLC localmente avançado ou em metástase que progrediram na crizotiniba. Pacientes receberam 90 mg de ALUNBRIG uma vez ao dia (n=112) ou 180 mg uma vez ao dia após um período de 7 dias anteriores com 90 mg uma vez ao dia (n=110). A principal medida de resultado da eficácia foi confirmada em todas as taxas de resposta geral (ORR) segundo os Critérios de Avaliação de Respostas em Tumores Sólidos (RECIST v1.1) conforme avaliado pelo Comitê Independente de Revisão (IRC). Medidas adicionais de resultado da eficácia incluíram ORRs avaliadas pelo pesquisador, duração da resposta (DOR), ORR intracranianas e DOR intracraniana.

Sobre o ALK+ NSCLC

O câncer de pulmão em células não pequenas (NSCLC) é a forma mais comum de câncer de pulmão, representando cerca de 85% dos 222.500 novos casos estimados de câncer de pulmão diagnosticados a cada ano nos EUA, segundo a Sociedade Americana do Câncer. Estudos genéricos indicam que rearranjos de cromossomos na quinase anaplástica de linfoma (ALK) são fatores chave em um subconjunto de pacientes com NSCLC. Cerca de 2 a 8% dos pacientes com NSCLC em metástase têm um rearranjo no gene de ALK.

O sistema nervoso central (CNS) é um local frequente para a progressão do ALK+ NSCLC, com metástases cerebrais presentes em até 70% dos pacientes após o tratamento com crizotiniba.

Sobre o ALUNBRIG® (brigatiniba)

O ALUNBRIG é um medicamento de combate ao câncer descoberto pela ARIAD Pharmaceuticals, Inc., que foi adquirida pela Takeda em fevereiro de 2017. O ALUNBRIG recebeu recentemente a Aprovação Acelerada da Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA) para pacientes com ALK+ NSCLC que progrediram na ou são intolerantes à crizotiniba. Esta indicação está aprovada sob Aprovação Acelerada com base na taxa de resposta ao tumor e duração da resposta. A aprovação contínua para esta indicação pode ser contingente após verificação e descrição do benefício clínico em um teste confirmatório.

O ALUNBRIG recebeu a Designação de Terapia Inovadora da FDA para o tratamento de pacientes com ALK+ NSCLC cujos tumores são resistentes à crizotiniba, sendo concedida a Designação de Medicamento Órfão pela FDA para o tratamento do ALK+ NSCLC, ROS1+ e EGFR+ NSCLC. Uma Aplicação de Autorização de Marketing (MAA) para o ALUNBRIG foi submetida à Agência Europeia de Medicamentos (EMA) em fevereiro de 2017.

Nos EUA, o regime recomendado de dosagem para o ALUNBRIG é:

  • 90 mg via oral uma vez ao dia pelos primeiros 7 dias;
  • se 90 mg forem tolerados durante os primeiros 7 dias, aumente a dosagem para 180 mg via oral uma vez ao dia.

O programa de desenvolvimento clínico ALTA reforça ainda mais o compromisso em curso da Takeda em desenvolver terapias inovadoras para pessoas vivendo com ALK+ NSCLC em todo o mundo e profissionais de saúde que tratam delas. Além do teste em andamento da Fase 1/2 e Fase 2 ALTA, a brigatiniba também vem sendo estudada no teste da Fase 3 ALTA 1L a fim de avaliar sua eficácia e segurança em comparação com a crizotiniba em pacientes com ALK+ NSCLC localmente avançado ou em metástase, que não tenham recebido antes tratamento com um inibidor de ALK.

Para saber mais sobre o ALUNBRIG, visite www.ALUNBRIG.com ou ligue 1-844-A1POINT (1-844-217-6468). Para mais informação sobre os testes clínicos de brigatiniba, visite www.clinicaltrials.gov.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

Doença Intersticial dos Pulmões (ILD) / Pneumonia: Reações pulmonares adversas fatais e severas com ameaça à vida consistentes com doença intersticial dos pulmões (ILD) / pneumonia ocorreram com o ALUNBRIG. No Teste ALTA (ALTA), a ILD / pneumonia ocorreu em 3,7% dos pacientes no grupo de 90 mg (90 mg uma vez ao dia) e 9,1% dos pacientes no grupo 90→180 mg (180 mg uma vez ao dia e nos 7 dias anteriores com 90 mg uma vez ao dia). Reações adversas consistentes com possível ILD / pneumonia ocorrida preliminarmente (dentro de 9 dias de início do ALUNBRIG; o início médio foi 2 dias) em 6,4% dos pacientes, com reações de Grau 3 a 4 ocorrendo em 2,7%. Monitore quanto a novos ou piora dos sintomas respiratórios (por ex., dispneia, tosse, etc.), particularmente durante a primeira semana de início do ALUNBRIG. Interrompa o ALUNBRIG em qualquer paciente com novos ou priora dos sintomas respiratórios e avalie imediatamente quanto à ILD / pneumonia ou outras causas de sintomas respiratórios (por ex., embolia pulmonar, progressão do tumor e pneumonia infecciosa). Para ILD / pneumonia de Grau 1 ou 2, reinicie o ALUNBRIG com redução da dosagem após recuperar o patamar ou interrompa permanentemente o ALUNBRIG. Interrompa permanentemente o ALUNBRIG para ILD / pneumonia de Grau 3 ou 4 ou recorrência de ILD / pneumonia de Grau 1 ou 2.

Hipertensão: No ALTA, a hipertensão foi registrada em 11% dos pacientes no grupo de 90 mg que receberam o ALUNBRIG e 21% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. Hipertensão de Grau 3 ocorreu em 5,9% dos pacientes de modo geral. Controle a pressão sanguínea antes do tratamento com ALUNBRIG. Monitore a pressão sanguínea após 2 semanas e pelo menos mensalmente depois disto durante o tratamento com ALUNBRIG. Interrompa o ALUNBRIG para hipertensão de Grau 3 apesar da terapia anti-hipertensiva otimizada. Após a diminuição ou melhoria para severidade de Grau 1, reinicie o ALUNBRIG em uma dosagem reduzida. Considere a interrupção permanente do tratamento com ALUNBRIG para hipertensão de Grau 4 ou recorrência de hipertensão de Grau 3. Tome cuidado ao administrar o ALUNBRIG em combinação com agentes anti-hipertensivos que causam bradicardia.

Bradicardia: A bradicardia pode ocorrer com o ALUNBRIG. No ALTA, frequências cardíacas menores que 50 batimentos por minuto (bpm) ocorreram em 5,7% dos pacientes no grupo de 90 mg e 7,6% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. A bradicardia de grau 2 ocorreu em 1 (0,9%) paciente no grupo de 90 mg. Monitore a frequência cardíaca e a pressão cardíaca durante o tratamento com ALUNBRIG. Monitore os pacientes com mais frequência, se não puder ser evitado o uso concomitante de medicamento conhecido que causa bradicardia. Para bradicardia sintomática, interrompa o ALUNBRIG e reveja o uso concomitante de medicamentos àqueles conhecidos que causam bradicardia. Se um medicamento conhecido de uso concomitante que causa bradicardia for identificado e interrompido ou a dosagem ajustada, reinicie o ALUNBRIG na mesma dosagem após a diminuição da bradicardia sintomática; do contrário, reduza a dosagem do ALUNBRIG após a diminuição da bradicardia sintomática. Interrompa o ALUNBRIG para bradicardia com ameaça à vida se não for identificada a contribuição de medicamento de uso concomitante.

Distúrbio Visual: No ALTA, reações adversas que conduziram ao distúrbio visual, incluindo visão embaçada, diplopia e redução da acuidade visual, foram registradas em 7,3% dos pacientes tratados com ALUNBRIG no grupo de 90 mg e 10% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. Edema macular de Grau 3 e catarata ocorreram em um paciente cada no grupo de 90→180 mg. Aconselhe os pacientes a informar quaisquer sintomas visuais. Interrompa o ALUNBRIG e obtenha uma avaliação oftalmológica em pacientes com novos ou piora dos sintomas visuais de Grau 2 ou severidade maior. Após o restabelecimento dos distúrbios visuais de Grau 2 ou 3 para severidade de Grau 1 ou o patamar, reinicie o ALUNBRIG em uma dosagem reduzida. Interrompa permanentemente o tratamento com ALUNBRIG para distúrbios visuais de Grau 4.

Elevação de Fosfoquinase de Creatina (CPK): No ALTA, a elevação de fosfoquinase de creatina (CPK) ocorreu em 27% dos pacientes que receberam ALUNBRIG no grupo de 90 mg e 48% dos pacientes no grupo de 90 mg→180 mg. A incidência da elevação de CPK de Grau 3 ou 4 foi 2,8% no grupo de 90 mg e 12% no grupo de 90→180 mg. A redução da dosagem quanto à elevação de CPK ocorreu em 1,8% dos pacientes no grupo de 90 mg e 4,5% no grupo de 90→180 mg. Aconselhe os pacientes a informar qualquer dor muscular sem explicação, sensibilidade ou fraqueza. Monitore os níveis de CPK durante o tratamento com ALUNBRIG. Interrompa o ALUNBRIG se houver elevação de CPK para Grau 3 ou 4. Após a diminuição ou restabelecimento ao Grau 1 ou patamar, reinicie o ALUNBRIG na mesma dosagem ou em uma dosagem reduzida.

Elevação da Enzima Pancreática: Em ALTA, a elevação da amilase ocorreu em 27% dos pacientes no grupo de 90 mg e 39% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. Elevações de lipase ocorreram em 21% dos pacientes no grupo de 90 mg e 45% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. A elevação da amilase de Grau 3 ou 4 ocorreu em 3,7% dos pacientes no grupo de 90 mg e 2,7% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. A elevação da lipase de Grau 3 ou 4 ocorreu em 4,6% dos pacientes no grupo de 90 mg e 5,5% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. Monitore a lipase e a amilase durante o tratamento com ALUNBRIG. Interrompa o ALUNBRIG com a elevação da enzima pancreática para Grau 3 ou 4. Após a diminuição ou restabelecimento ao Grau 1 ou patamar, reinicie o ALUNBRIG na mesma dosagem ou em uma dosagem reduzida.

Hiperglicemia: Em ALTA, 43% dos pacientes que receberam ALUNBRIG experimentaram nova ou piora da hiperglicemia. A hiperglicemia de Grau 3, baseada na avaliação em laboratório de níveis de glicose sérica em jejum, ocorreram em 3,7% dos pacientes. Dois de 20 (10%) pacientes com diabete ou intolerância à glicose no patamar requereram o início da insulina enquanto recebiam o ALUNBRIG. Avalie a glicose sérica em jejum antes do início do ALUNBRIG e monitore periodicamente após isto. Inicie ou otimize medicamentos anti-hiperglicêmicos conforme necessário. Se o controle adequado da hiperglicemia não puder ser realizado com a administração médica otimizada, interrompa o ALUNBRIG até o controle adequado da hiperglicemia ser alcançado e considere reduzir a dosagem do ALUNBRIG ou interromper permanentemente o mesmo.

Toxicidade Embriofetal: Com base em seu mecanismo de ação e descobertas em animais, o ALUNBRIG pode causar lesão fetal quando administrado em mulheres grávidas. Não há dados clínicos sobre o uso do ALUNBRIG em mulheres grávidas. Aconselhe as gestantes sobre o risco potencial ao feto. Aconselhe as mulheres em potencial de gravidez quanto ao uso de anticoncepcionais não hormonais eficazes durante o tratamento como o ALUNBRIG e por pelo menos 4 meses após a dosagem final. Aconselhe os homens vivendo com mulheres em potencial de gravidez a utilizar preservativos eficazes durante o tratamento e por pelo menos 3 meses após a última dosagem do ALUNBRIG.

REAÇÕES ADVERSAS

Sérias reações adversas ocorreram em 38% dos pacientes no grupo de 90 mg e 40% dos pacientes no grupo de 90→180 mg. As reações adversas sérias mais comuns foram pneumonia (5,5% do total, 3,7% no grupo de 90 mg, e 7,3% no grupo de 90→180 mg) e ILD / pneumonia (4,6% do total, 1,8% no grupo de 90 mg e 7,3% no grupo de 90→180 mg). Reações adversas fatais ocorreram em 3,7% dos pacientes e consistiram em pneumonia (2 pacientes), morte repentina, dispneia, parada respiratória, embolia pulmonar, meningite bacteriana e urosepsis (1 paciente cada).

As reações adversas mais comuns (≥25%) no grupo de 90 mg foram náusea (33%), fatiga (29%), dor de cabeça (28%) e dispneia (27%), e no grupo de 90→180 mg foram náusea (40%), diarreia (38%), fatiga (36%), tosse (34%) e dor de cabeça (27%).

INTERAÇÕES COM MEDICAMENTOS

Inibidores de CYP3A: Evite o uso concomitante do ALUNBRIG com fortes inibidores de CYP3A. Evite suco de toranja ou toranja uma vez que isto também pode aumentar as concentrações de plasma da brigatiniba. Se o uso concomitante de um forte inibidor de CYP3A for inevitável, reduza a dosagem do ALUNBRIG.

Indutores de CYP3A: Evite o uso concomitante do ALUNBRIG com fortes indutores de CYP3A.

Substratos de CYP3A: A administração conjunta do ALUNBRIG com substratos de CYP3A, incluindo contraceptivos hormonais pode resultar na diminuição de concentrações e perda da eficácia dos substratos de CYP3A.

USO EM POPULAÇÕE ESPECÍFICAS

Gravidez: ALUNBRIG pode causar lesão fetal. Aconselhe as mulheres em potencial de gravidez sobre o enorme risco ao feto.

Lactação: Não há dados referentes à secreção de brigatiniba no leite humano ou seu efeito no bebê de colo ou na produção de leite. Devido às potenciais reações adversas nos bebês de colo, aconselhe as mulheres lactantes a não amamentar durante o tratamento com ALUNBRIG.

Homens e Mulheres em Potencial de Gravidez:

ContracepçãoAconselhe as mulheres em potencial de gravidez ao uso de anticoncepcionais não hormonais eficazes com ALUNBRIG e por pelo menos 4 meses após a dosagem final. Aconselhe os homens vivendo com mulheres em potencial de gravidez a utilizar preservativos eficazes durante o tratamento com ALUNBRIG e por pelo menos 3 meses após a última dosagem.

Infertilidade: O ALUNBRIG pode causar redução da fertilidade em homens.

Uso Pediátrico:A segurança e a eficácia do ALUNBRIG em pacientes pediátricos não foi determinada.

Uso Geriátrico: Estudos clínicos do ALUNBRIG não incluíram números suficientes de pacientes com idade acima de 65 anos para determinar se responderam de modo diferente de pacientes mais jovens. Dos 222 pacientes no ALTA, 19,4% foram de 65 a 74 anos e 4,1% foram de 75 anos ou mais. Nenhuma diferença clinicamente relevante em segurança ou eficácia foi observada entre pacientes com mais de 65 anos e pacientes mais jovens.

Insuficiência Hepática ou Renal: Nenhum ajuste de dosagem é recomendado para pacientes com insuficiência hepática suave ou insuficiência renal suave ou moderada. A segurança do ALUNBRIG em pacientes com insuficiência hepática moderada ou severa ou insuficiência renal severa não foi estudada.

Veja todas as Informações Prescritas para uso do ALUNBRIG em www.ALUNBRIG.com

Sobre a Takeda Pharmaceutical Company

A Takeda Pharmaceutical Company Limited é uma empresa farmacêutica global dirigida à pesquisa e ao desenvolvimento, comprometida em trazer uma melhor saúde e um futuro mais promissor a pacientes, ao traduzir ciência em medicamentos que transformam vidas. A Takeda visa seus esforços de P&D em oncologia, gastroenterologia e áreas terapêuticas do sistema nervoso central além de vacinas. A Takeda conduz a P&D internamente e com parcerias a fim de permanecer na vanguarda da inovação. Novos produtos inovadores, especialmente em oncologia e gastroenterologia, bem como nossa presença em Mercados Emergentes, intensificam o crescimento da Takeda. Mais de 30.000 empregados da Takeda estão comprometidos em melhorar a qualidade de vida para pacientes, trabalhando com nossas parcerias em cuidados da saúde em mais de 70 países. Para mais informação, visite http://www.takeda.com/news.

Informações adicionais sobre a Takeda estão disponíveis através de seu site corporativo, www.takeda.com, e informações adicionais sobre a Takeda Oncology, a marca para a unidade global da empresa de oncologia da Takeda Pharmaceutical Company Limited, estão disponíveis em seu site, www.takedaoncology.com.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Takeda Pharmaceutical Company Limited
Mídia Japonesa
Tsuyoshi Tada, +81 (0) 3-3278-2417
tsuyoshi.tada@takeda.com
ou
Mídia Europeia
Kate Burd, +44 7974 151510
kate.burd@takeda.com
ou
Mídia fora do Japão / União Europeia
Amy Atwood, +1-617-551-3683
amy.atwood@takeda.com

Contacts

Takeda Pharmaceutical Company Limited
Mídia Japonesa
Tsuyoshi Tada, +81 (0) 3-3278-2417
tsuyoshi.tada@takeda.com
ou
Mídia Europeia
Kate Burd, +44 7974 151510
kate.burd@takeda.com
ou
Mídia fora do Japão / União Europeia
Amy Atwood, +1-617-551-3683
amy.atwood@takeda.com