Bank of America informa rendimento líquido de US$ 0,7 bilhão no quarto trimestre de 2012, ou US$ 0,03 por ação diluída

Os itens selecionados anunciados previamente causam impacto no lucro antes dos impostos

  • Representações e garantias, liquidação de taxas compensatórias com Fannie Mae, US$ 2,7 bilhões ou US$ 0,16 EPS
  • Provisão para acordo de aceleração de revisão independente de execução hipotecária, US$ 1,1 bilhão ou US$ 0,06 EPS
  • Despesa total de litígio, US$ 0,9 bilhão ou US$ 0,05 EPS
  • Ajustes negativos de valorização para spreads de crédito melhorados, US$ 0,7 bilhão ou US$ 0,04 EPS
  • Provisão para obrigações relativas à rescisões de seguros hipotecários, US$ 0,5 bilhão ou US$ 0,03 EPS
  • Ganhos sobre vendas da joint venture de negócios de corretagem no Japão, US$ 0,4 bilhão ou US$ 0,02 EPS
  • Ajuste positivo de valorização de MSR relativo aos serviços pós-vendas, US$ 0,3 bilhão ou US$ 0,02 EPS
  • Benefício fiscal líquido decorrentes principalmente do reconhecimento de créditos fiscais estrangeiros de algumas subsidiárias não provenientes dos EUA, US$ 1,3 bilhão ou US$ 0,12 EPS

Capital e liquidez permanecem fortes

  • Coeficiente de capital ordinário de nível I do acordo de Basileia I de 11,06% em 31 de dezembro de 2012
  • Coeficiente estimado de capital ordinário de nível I do acordo de Basileia III de 9,25% em 31 de dezembro de 2012 (NPRs de Basileia III dos EUA totalmente escalonadas)A
  • Redução da dívida de longo prazo de US$ 96,7 bilhões de 31 de dezembro de 2011, determinada por ações de gestão de vencimentos e passivos; o tempo de liquidez permanece forte em 33 meses

A dinâmica da atividade principal continua

  • A margem financeira do quarto trimestre de 2012 (base FTE)B aumentou para US$ 10,6 bilhões, em comparação com os US$ 10,2 bilhões do trimestre anterior
  • Saldo médio total de depósitos sobe US$ 28 bilhões, ou 11% (anualizado), em comparação com o trimestre anterior
  • Criação de hipotecas de primeira garantia aumentou 6% em comparação com o trimestre anterior
  • Posições de gestão global de fortunas e investimentos registra ganhos trimestrais
  • A finalização de empréstimos e arrendamentos comerciais no segmento bancário global, incluindo os empréstimos para bens imobiliários, cresceu 7% em comparação com o trimestre anterior, indo para US$ 252 bilhões
  • O Banco de Investimento manteve o segundo lugar em tarifas bancárias de investimento global e nos EUA; teve um aumento de 20% nas tarifas em comparação com o trimestre anterior, e de 58% no mesmo trimestre do ano anterior

CHARLOTTE, Carolina do Norte - USA--()--Bank of America Corporation informou hoje rendimentos líquidos de US$ 0,7 bilhão, ou US$ 0,03 por ação diluída, no quarto trimestre de 2012, em comparação com US$ 2,0 bilhões, ou US$ 0,15 por ação diluída no mesmo período do ano anterior. A receita líquida de despesas de juros baseado em equivalente totalmente tributável (Fully Taxable-Equivalent - FTE)B foi de US$ 18,9 bilhões.

A receita líquida de despesas de juros no quarto trimestre de 2012 baseado em FTE, excluindo US$ 0,7 bilhão de valorização de débito e ajustes da opção de valor de mercado, foi de US$ 19,6 bilhões; excluindo US$ 3,0 bilhões de provisões para representações e garantias e para obrigações relativas às rescisões de seguros hipotecários com relação aos acordos de liquidação com a Federal National Mortgage Association (Fannie Mae) da receita líquida de despesas de juros em base FTE, foi de US$ 22,6 bilhõesB.

Para o ano inteiro, a empresa informou rendimento líquido de US$ 4,2 bilhões, ou US$ 0,25 por ação diluída, em comparação com US$ 1,4 bilhão, ou US$ 0,01 por ação diluída em 2011.

"Nós entramos em 2013 fortes e bem posicionados para um maior crescimento", disse o diretor executivo Brian Moynihan. "Um crescimento de dois dígitos desde o ano passado em criação de hipoteca, empréstimos comerciais e rendimentos no mercado global demonstram o poder das relações estreitas com clientes e consumidores enquanto intensificamos o foco em conectar todas as nossas capacidades."

Como anunciado anteriormente, os resultados financeiros do quarto trimestre de 2012 sofreram um impacto negativo em função da provisão de US$ 2,7 bilhões relativos às liquidações com a Fannie Mae em relação às representações e garantias e às taxas compensatórias; outros itens de provisão no valor de US$ 2,5 bilhões que incluem uma provisão de US$ 1,1 bilhão para o acordo de aceleração de revisão independente de execução hipotecária (Independent Foreclosure Review - IFR), despesas totais de litígios de US$ 0,9 bilhão e uma provisão de US$ 0,5 bilhão para obrigações relativas às rescisões de seguros hipotecários; e US$ 0,7 bilhão negativo de ajustes de valorização de dívida (Debit Valuation Adjustments - DVA) e ajustes de opção de valor de mercado (Fair Value Option - FVO) devidos ao melhoramento dos spreads de crédito da empresa. Esses itens foram parcialmente compensados por um benefício fiscal de rendimento líquido de US$ 1,3 bilhão devido fundamentalmente ao reconhecimento de créditos fiscais estrangeiros de certas subsidiárias não provenientes dos EUA; um ganho de US$ 0,4 bilhão da venda da participação de 49% da empresa na Mitsubishi UFJ Merrill Lynch PB Securities anunciada anteriormente; e um ajuste de valorização positiva nos direitos dos serviços pós-vendas das hipotecas (Mortgage Servicing Rights - MSR) de US$ 0,3 bilhão com relação aos serviços de pós-venda anunciados anteriormente.

O mesmo trimestre do ano passado apresentou US$ 1,3 bilhão em ajustes negativos de DVA e FVO, US$ 1,8 bilhão de despesas totais de litígios e US$ 0,6 bilhões em encargos de depreciação de fundo de comércio nos negócios europeus de cartão de consumo. Além disso, o mesmo trimestre do ano passado incluiu, entre outros itens importantes, US$ 2,9 bilhões de ganhos antes dos impostos na venda de parte dos investimentos da empresa no China Construction Bank (CCB), US$ 1,2 bilhão de ganhos na troca de títulos fiduciários preferenciais, e US$ 1,2 bilhão de ganhos na venda de títulos de dívida.

Com relação ao mesmo trimestre do ano anterior, os resultados do quarto trimestre de 2012 foram conduzidos pela melhoria da qualidade de crédito dos portfólios mais importantes, aumento de vendas e receita comercial (excluindo o impacto do DVAE), aumento dos rendimentos de corretagem e investimento, taxas de banco de investimento mais altas, parcialmente compensados por um aumento das perdas de consumidores do setor imobiliário, refletindo as liquidações da Fannie Mae e a provisão para o acordo de aceleração de IFR. Além disso, as despesas não decorrentes de juros diminuíram com relação ao mesmo trimestre do ano anterior, impulsionadas principalmente pela redução de custos obtida através das iniciativas do Project New BAC no decorrer de 2012.

"Nós abordamos importantes problemas herdados em 2012 e nossas forças estão sendo renovadas", disse o diretor executivo Bruce Thompson. "Capital e liquidez permanecem fortes e o crédito continua a melhorar. Nosso foco principal este ano é aumentar a receita, administrar as despesas e impulsionar o crescimento dos rendimentos essenciais".

Destaques financeiros selecionados

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(Em milhões de dólares exceto por dados de ação)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Renda líquida de juros, base FTE1 $ 10.555   $ 10.959 $ 41.557   $ 45.588
Receita não decorrente de juros 8.336 14.187 42.678 48.838
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE 18.891 25.146 84.235 94.426
Receita total, líquida de despesas de juros, em base FTE, excluindo ajustes de avaliação DVA e FVO2 19.610 26.434 91.819 90.106
Provisão para perdas de crédito 2.204 2.934 8.169 13.410
Despesa não decorrente de juros3 18.360 18.941 72.093 77.090
Encargos de depreciação do fundo de comércio 581 3.184
Receita líquida $ 732 $ 1.991 $ 4.188 $ 1.446
Ganhos diluídos por ação ordinária     $ 0,03     $ 0,15     $ 0,25     $ 0,01

1 Base equivalente totalmente tributável (FTE) é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado. A renda líquida de juros em base GAAP foi de US$ 10,3 bilhões e US$ 10,7 bilhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ 40,7 bilhões e US$ 44,6 bilhões nos anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. A receita total líquida de despesa de juros em base GAAP foi de US$ 18,7 bilhões e US$ 24,9 bilhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ 83,3 bilhões e US$ 93,5 bilhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

2 A receita total líquida de despesa de juros em base FTE, excluindo os ajustes DVA e FVO, é uma medida financeira não GAAP. Os ganhos com DVA (perdas) foram US$ (277) milhões e US$ (474) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (2,5) bilhões e US$ 1,0 bilhão para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. Os ganhos com as valorizações (perdas) relativas a FVO foram US$ (442) milhões e US$ (814) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (5,1) bilhões e US$ 3,3 bilhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

3 Excluem-se encargos de depreciação do fundo de comércio de US$ 581 milhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2011, e US$ 3,2 bilhões no ano encerrado em 31 de dezembro de 2011. As despesas não decorrentes de juros, excluindo os encargos de depreciação do fundo de comércio é uma medida financeira não GAAP.

Principais destaques dos negócios

A empresa fez progresso significativo em 2012, em linha com seus princípios operacionais, incluindo os seguintes desenvolvimentos:

Foco em negócios voltados para o cliente

  • O Bank of America renegociou aproximadamente US$ 475 bilhões em créditos em 2012. Isto inclui US$ 310,5 bilhões em empréstimos comerciais não relativos a imóveis, US$ 75,1 bilhões em hipotecas para primeira residência, US$ 40,0 bilhões em empréstimos de imóveis comerciais, US$ 17,9 bilhões em cartões de consumo e de pequenas empresas nos Estados Unidos, US$ 3,6 bilhões em produtos de garantia hipotecária e US$ 27,9 bilhões em outros créditos de consumo.
  • Os US$ 75,1 bilhões em hipotecas para primeira residência financiadas em 2012 ajudaram a mais de 305 mil proprietários de residências a comprarem uma casa ou refinanciar uma hipoteca existente. Isto incluiu aproximadamente 17,5 mil hipotecas para compradores de primeira residência, originados por canais de varejo, e mais de 96 mil hipotecas para tomadores de empréstimo de média ou baixa renda. Aproximadamente 16% das primeiras hipotecas financiadas foram para aquisição de residências e 84% foram refinanciamentos.
  • A empresa originou aproximadamente US$ 8,7 bilhões em empréstimos e compromissos com pequenas empresas em 2012, um aumento de 28% em comparação com o mesmo período de 2011, refletindo um foco contínuo no apoio a pequenas empresas.
  • O Bank of America prestou assistência a mais de dois milhões de clientes com contas em 14 estados afetados pelo furacão Sandy, com programas abrangentes de assistência ao cliente incluindo contribuições financeiras para os esforços de socorro, diferimentos de pagamento e isenção de taxas.
  • Os saldos totais dos clientes na gestão global de fortunas e investimentos aumentaram 7% em comparação a 2011, impulsionados por ganhos de mercado, sólidos fluxos de ativos geridos de longo prazo (Assets Under Management - AUM), depósitos e empréstimos.
  • A empresa continuou a aprofundar e expandir as relações com os clientes. O número de clientes de serviços bancários móveis aumentou 31% em relação a 31 de dezembro de 2011, indo para 12,0 milhões de clientes, e o número de contas de cartões de crédito abertas nos EUA em 2012 cresceu 7% em relação a 2011.
  • Os ativos de corretagem do Merrill Edge aumentaram US$ 9,4 bilhões em relação ao final de 2011, indo para US$ 75,9 bilhões, impulsionados pela melhora do mercado e aumento em novas contas.
  • A empresa continuou a aumentar sua força de vendas especializada durante o trimestre, composta por consultores em soluções financeiras, agentes de crédito hipotecário e bancários especializados em pequenos negócios, indo para quase 6.200 especialistas no final do ano de 2012.
  • A empresa continuou a apoiar a economia ao:
    • Ajudar clientes a levantar um capital de US$ 605 bilhões em 2012.
    • Renegociar aproximadamente US$ 475 bilhões em empréstimos em 2012.
  • O Bank of America Merrill Lynch (BofA Merrill) continuou classificado globalmente como o n.º 2 em taxas bancárias de investimento líquidas em 2012, de acordo com a Dealogic. Os resultados do quarto trimestre de 2012 incluíram um recorde em taxas de emissão de dívida desde a fusão do Bank of America Merrill Lynch.

Continuar a criar um balanço patrimonial fortalecido

  • O coeficiente de capital ordinário de nível I do acordo de Basileia I foi de 11,06% em 31 de dezembro de 2012, uma redução de 35 bps com relação a 30 de setembro de 2012, e de 120 bps mais alto do que em 31 de dezembro de 2011.
  • O coeficiente de capital ordinário de nível I do acordo de Basileia III em base de total escalonamento está estimado em 9,25% em 31 de dezembro de 2012, acima dos 8,97% de 30 de setembro de 2012. A
  • A empresa reduziu as dívidas de longo prazo em quase US$ 100 bilhões desde o final de 2011, enquanto manteve um significativo excesso de liquidez. As fontes globais de excesso de liquidez somaram US$ 372 bilhões em 31 de dezembro de 2012, ligeiramente inferior aos US$ 380 bilhões em 30 de setembro de 2012 e US$ 378 bilhões em 31 de dezembro de 2011. A dívida de longo prazo foi reduzida para US$ 276 bilhões em 31 de dezembro de 2012, dos US$ 287 bilhões em 30 de setembro de 2012 e US$ 372 bilhões em 31 de dezembro de 2011.

Boa administração de riscos

  • As provisões para perdas de crédito foram reduzidas em 25% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, refletindo uma melhor qualidade de crédito nos principais portfólios comerciais e de consumo e os benefícios das mudanças de subscrição implementadas ao longo dos últimos anos.
  • O índice de perdas com cartões de crédito nos Estados Unidos reduziu no quarto trimestre de 2012 para o nível mais baixo desde o segundo trimestre de 2006C, enquanto que o índice de inadimplência por mais de 30 dias foi para um mínimo histórico.
  • Os índices de perdas com empréstimos ao consumidor no quarto trimestre de 2012 reduziram para seu mais baixo nível desde 2008 e os índices de perdas com empréstimos comerciais reduziram para seu menor nível desde o quarto trimestre de 2006C.

Distribuição aos nossos acionistas

  • O valor contábil tangível por ação aumentou para US$ 13,36 em 31 de dezembro de 2012, comparado com US$ 12,95 em 31 de dezembro de 2011D. O valor contábil por ação foi de US$ 20,24 em 31 de dezembro de 2012, comparado com US$ 20,09 em 31 de dezembro de 2011.
  • A empresa continuou a avançar com relação às suas questões de heranças, realizando acordos com a Fannie Mae para resolver praticamente todas as reivindicações de recompra das agências hipotecárias, pendentes e potenciais, sobre empréstimos originados e vendidos diretamente para a Fannie Mae a partir de 01 de janeiro de 2000 até 31 de dezembro de 2008 pelo antigo Countrywide e Bank of America, National Association (BANA); liquidar praticamente todas as reclamações pendentes e futuras da Fannie Mae com relação às taxas de compensação decorrentes dos prováveis atrasos de execuções hipotecárias do passado; e esclarecer as obrigações das partes no que diz respeito ao seguro hipotecário.

Boa gestão da eficiência

  • As despesas não decorrentes de juros do quarto trimestre de 2012 baixaram 6% com relação ao mesmo trimestre do ano anterior, refletindo uma baixa nas despesas de pessoal enquanto a empresa continuou a agilizar os processos e a conseguir economizar custos.
  • Em 31 de dezembro de 2012, a empresa tinha 267.190 funcionários em tempo integral, uma redução de 5.404 funcionários em comparação com o final do trimestre anterior, e 14.601 a menos que em 31 de dezembro de 2011.

Resultados por segmento de negócios

A empresa informa resultados através de cinco segmentos de negócios: Serviços bancários para pessoas física e jurídica (Consumer and Business Banking - CBB), Serviços imobiliários ao consumidor (Consumer Real Estate Services - CRES), Gestão global de fortunas e investimentos (Global Wealth and Investment Management - GWIM), Serviços bancários globais e Mercados globais, com as operações restantes registradas em Todos os demais (All Other).

Serviços bancários para pessoas física e jurídica (Consumer and Business Banking - CBB)

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(em milhões de dólares)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 7.204   $ 7.606 $ 29.023   $ 32.880
Provisão para perdas de crédito 963 1.297 3.941 3.490
Despesa não decorrente de juros 4.121 4.429 16.793 17.719
Receita líquida $ 1.428 $ 1.242 $ 5.321 $ 7.447
Retorno sobre patrimônio médio 10,48 % 9,30 % 9,92 % 14,07 %
Retorno sobre média de capital econômico1 23,94 22,08 23,01 33,52
Média de empréstimos $ 132.421 $ 147.150 $ 136.171 $ 153.641
Média de depósitos 486.467 459.819 477.440 462.087
 

Em 31 de dezembro de
2012

 

Em 31 de dezembro de 2011

Ativos de corretagem de clientes             $ 75.946     $ 66.576  

1 Retorno sobre média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado.

Destaques dos negócios

  • O balanço da média de depósitos aumentou US$ 26,6 bilhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, conduzido pelo crescimento dos produtos líquidos num ambiente de baixas taxas. As taxas médias pagas sobre depósitos foram reduzidas em 5 pontos base indo para 16 pontos base no quarto trimestre de 2012, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, devido à disciplina de preços e uma mudança no mix de depósitos.
  • Durante o quarto trimestre de 2012, os volumes de compra por conta de cartão de crédito ativo médio subiu 7% em relação ao mesmo trimestre do ano passado, o número de cartões BankAmericard Cash Rewards aumentou em cerca de 24% no quarto trimestre de 2012 indo para um total de 2,1 milhões de cartões desde que o produto foi lançado no terceiro trimestre de 2011.

Panorama financeiro

O lucro líquido com serviços bancários para pessoas físicas e jurídicas foi de US$ 1,4 bilhões, um aumento de US$ 186 milhões, ou 15%, em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, devido a custos de crédito menores e despesas não decorrentes de juros, parcialmente compensados por uma redução na receita líquida de juros, principalmente provenientes de empréstimos médios mais baixos e do contínuo ambiente de baixas taxas. Receita não decorrente de juros de US$ 2,5 bilhões permaneceu relativamente invariável.

As provisões para as perdas de crédito tiveram uma redução de US$ 334 milhões em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, indo para US$ 963 milhões devido principalmente à melhoria das inadimplências e falências dos negócios de serviços de cartão. As despesas não decorrentes de juros diminuíram US$ 308 milhões, indo para US$ 4,1 bilhões, em comparação ao quarto trimestre de 2011, como um resultado de uma menor despesa com fundos exclusivos de direitos creditícios e gastos com operação menores.

Consumer Real Estate Services (CRES)

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(em milhões de dólares)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 468   $ 3.275 $ 8.759   $ (3.154 )
Provisão para perdas de crédito 485 1.001 1.442 4.524
Despesa não decorrente de juros1 5.629 4.569 17.306 21.791
Perda líquida $ (3.722 ) $ (1.442 ) $ (6.507 ) $ (19.465 )
Média de empréstimos e arrendamentos 97.912 116.993 104.754 119.820
 

Em 31 de dezembro de
2012

 

Em 31 de dezembro de 2011

Empréstimos e arrendamentos de fim de período             $ 95.972     $ 112.359  

1 Os resultados do inteiro ano incluem encargos de depreciação do fundo de comércio de US$ 2,6 bilhões no segundo trimestre de 2011.

Destaques dos negócios

  • O Bank of America financiou US$ 22,5 bilhões em empréstimos residenciais e empréstimos de garantia hipotecária durante o quarto trimestre de 2012, um aumento de 41% em comparação com o quarto trimestre de 2011, excluindo as originações correspondentes de US$ 6,5 bilhões no mesmo trimestre do ano anterior. A empresa deixou o negócio correspondente no final de 2011.
  • O número de empréstimos de primeira residência com inadimplência de mais de 60 dias gerenciados pela Legacy Asset Servicing foi reduzido em 163 mil, ou 17%, durante o quarto trimestre de 2012, indo para 773 mil em relação aos 963 mil no final do terceiro trimestre de 2012 e 1,16 milhões no final do quarto trimestre de 2011.

Panorama financeiro

O segmento Consumer Real Estate Services informou um prejuízo líquido de US$ 3,7 bilhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com um prejuízo líquido de US$ 1,4 bilhão no mesmo período de 2011, principalmente em razão das perdas com serviços bancários hipotecários impulsionados pelas liquidações e despesas mais altas com a Fannie Mae, compensadas parcialmente por uma provisão para perdas de crédito mais baixa.

A receita diminuiu US$ 2,8 bilhões em comparação com o quarto trimestre de 2011, indo para US$ 468 milhões no quarto trimestre de 2012, na maior parte devido a provisões para representações e garantias mais elevadas e menor rendimento de serviços, impulsionados por resultados MSR menos favoráveis, líquidos de fundos de cobertura. Isto foi parcialmente compensado pelo aumento da receita com a produção principal. Os resultados MSR, líquidos de fundos de cobertura, incluem os ajustes de valorização MSR descritos anteriormente, com relação às vendas MSR.

Com exceção do impacto das originações de canais correspondentes, as originações CRES diretas aumentaram 42% e a receita com a produção principal aumentou US$ 472 milhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, principalmente em razão de margens mais altas sobre um maior volume de originações diretas.

A provisão para representações e garantias foi de US$ 3,0 bilhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com US$ 264 milhões no quarto trimestre de 2011, um aumento de US$ 2,7 bilhões. As provisões do quarto trimestre somaram US$ 2,5 bilhões para representações e garantias e US$ 0,5 bilhões para obrigações relativas às rescisões com seguros hipotecários ligados às liquidações da Fannie Mae.

A provisão para perda de crédito no quarto trimestre de 2012 diminuiu US$ 516 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, indo para US$ 485 milhões, impulsionada por uma melhoria nas tendências do portfólio com relação ao portfólio de garantias hipotecárias de crédito prejudicado não adquirido e da redução das reservas dos portfólios de garantia hipotecária de crédito prejudicado adquirido (Purchased Credit-Impaired - PCI), devido à melhoria das perspectivas de preço dos imóveis.

As despesas não decorrentes de juros aumentaram US$ 1,1 bilhão em comparação com o quarto trimestre de 2011, indo para US$ 5,6 bilhões, principalmente em razão da despesa de US$ 1,1 bilhão relativa ao acordo de aceleração de IFR. No âmbito desse acordo, a empresa concordou com uma cessação do processo de IFR e de fazer um pagamento de US$ 1,1 bilhão para um fundo criado para o benefício dos mutuários nos termos de um plano acordado entre o Office of the Comptroller of the Currency e o conselho de diretores do Federal Reserve System. A empresa também irá oferecer US$ 1,8 bilhão em assistência aos mutuários, incluindo mudanças nos empréstimos e outras ações preventivas de execução hipotecária. Além disso, houve um aumento das despesas com serviços relativos a inadimplências com relação ao mesmo trimestre do ano anterior, e um aumento das avaliações de hipotecas, isenções e outros custos similares associados aos atrasos das execuções hipotecárias, incluindo uma provisão de US$ 260 milhões para taxas compensatórias ligadas às liquidações da Fannie Mae. Esses aumentos foram parcialmente compensados pelos US$ 800 milhões em despesas com litígios mais baixas em comparação com o quarto trimestre de 2011.

O ativo MSR foi de US$ 5,7 bilhões em 31 de dezembro de 2012, um aumento de US$ 629 milhões em comparação com 30 de setembro de 2012, devido em parte ao ajuste de valorização MSR descrito anteriormente, em relação às vendas MSR.

Gestão global de fortunas e investimentos (Global Wealth and Investment Management - GWIM)

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(em milhões de dólares)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 4.194   $ 3.943 $ 16.517   $ 16.495
Provisão para perdas de crédito 112 118 266 398
Despesa não decorrente de juros 3.195 3.392 12.755 13.383
Receita líquida $ 578 $ 272 $ 2.223 $ 1.718
Retorno sobre patrimônio médio 12.43 % 6,22 % 12,53 % 9,90 %
Retorno sobre média de capital econômico1 28.46 16,02 30,52 25,46
Média de empréstimos e arrendamentos $ 103.785 $ 97.722 $ 100.456 $ 96.974
Média de depósitos 249.658 237.098 242.384 241.535
 
(em bilhões de dólares)

Em 31 de dezembro de
2012

 

Em 31 de dezembro de 2011

Ativos administrados $ 698,1 $ 635,6
Total de saldos de clientes2             2.166,7     2.030,5  

1 Retorno sobre média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado.

2 O total de saldos de clientes é definido como ativos administrados, ativos em custódia, ativos de corretagem de clientes, depósitos e empréstimos de clientes.

Destaques dos negócios

  • Receita líquida recorde de US$ 578 milhões no trimestre e US$ 2,2 bilhões no ano, um aumento de 29% em relação ao ano de 2011 inteiro.
  • Taxas de administração de ativo recorde de US$ 1,6 bilhão no trimestre e US$ 6,1 bilhões no ano.
  • A atividade com clientes foi forte em 2012. No ano inteiro, os saldos de depósitos de fim de período aumentaram US$ 25,6 bilhões, 11% em comparação ao mesmo trimestre do ano anterior, indo para um recorde de US$ 266,2 bilhões; os saldos de empréstimos de fim de período cresceram US$ 7,3 bilhões, ou 7%, indo para um recorde de US$ 105.9 bilhões; e os fluxos de AUM de longo prazo foram US$ 26.4 bilhões durante o ano. Fluxos AUM de longo prazo de US$ 9,1 bilhões no quarto trimestre de 2012 marcaram o 14° trimestre consecutivo de fluxos positivos.

Panorama financeiro

A receita líquida com Global Wealth and Investment Management aumentou US$ 306 milhões em comparação com o quarto trimestre de 2011, indo para US$ 578 milhões em razão de rendimentos mais altos e despesas não decorrentes de juros mais baixas. Os rendimentos aumentaram 6%, indo para US$ 4,2 bilhões, impulsionados por taxas de administração de ativos mais altas devido ao aumento dos níveis de mercado e dos fluxos AUM de longo prazo, como também do aumento nos rendimentos das transações de corretagem. A margem antes dos impostos foi de 21% tanto para o quarto trimestre de 2012 quanto para o ano de 2012 inteiro, um aumento de 11% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior e 16% para o ano de 2011 inteiro.

As despesas não decorrentes de juros diminuíram 6% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, indo para US$ 3,2 bilhões, em razão da diminuição das despesas de FDIC e de litígio e outras despesas relacionadas, parcialmente compensadas por compensações mais altas relativas aos rendimentos. A provisão para perdas de crédito foi de US$ 112 milhões, ficando praticamente inalterada em comparação com US$ 118 milhões no mesmo trimestre do ano anterior.

Os saldos de clientes aumentaram 7%, indo para US$ 2,17 trilhões, impulsionados por entradas líquidas e níveis de mercado mais altos, impulsionados pela atividade dos clientes com AUM, depósitos e empréstimo de longo prazo. Os ativos geridos cresceram US$ 62,5 bilhões em comparação com o quarto trimestre de 2011, indo para US$ 698,1 bilhões, impulsionados por níveis mais altos de mercados e de fluxos AUM de longo prazo.

Global Banking

  Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(em milhões de dólares)   31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 4.326   $ 4.002 $ 17.207   $ 17.312
Provisão para perdas de crédito 180 (256 ) 103 ) (1.118 )
Despesa não decorrente de juros 1.946 2.136 8.308 8.884
Receita líquida $ 1.432 $ 1.337 $ 5.725 $ 6.046
Retorno sobre patrimônio médio 12,47 % 11,51 % 12,47 % 12,76 %
Retorno sobre média de capital econômico1 27,32 25,06 27,21 26,59
Média de empréstimos e arrendamentos $ 278.218 $ 276.850 $ 272.625 $ 265.568
Média de depósitos   268.045     240.757     249.317     237.312  

1 Retorno sobre média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado.

Destaques dos negócios

  • O BofA Merrill foi classificado em segundo lugar globalmente em tarifas bancárias de investimentos, tanto no quarto trimestre como no ano de 2012 inteiro, segundo o Dealogic. Com base no volume de negócios, o BofA Merrill foi classificado entre os três principais bancos em termos de dívida corporativa de alto rendimento, empréstimos alavancados, dívida corporativa de grau de investimento, títulos lastreados em ativos e empréstimos sindicados. Taxas de emissão de dívida de aproximadamente US$ 1,1 bilhão durante o quarto trimestre de 2012 foram as mais altas desde a fusão entre o Bank of America e Merrill Lynch.
  • Os saldos de empréstimos e arrendamentos de fim de período aumentaram US$ 10,1 bilhões, ou 4% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, indo para US$ 288,3 bilhões no final do quarto trimestre de 2012, com um crescimento nos portfólios comerciais, industriais e de arrendamentos.
  • Os depósitos de fim de período cresceram a US$ 269,7 bilhões no final do quarto trimestre de 2012, comparado aos US$ 246,4 bilhões do final do quarto trimestre de 2011.

Panorama financeiro

Global Banking informou renda líquida de US$ 1,4 bilhão, um aumento de US$ 95 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, com maior receita e uma baixa nas despesas não decorrentes de juros foram parcialmente compensada por um aumento nas despesas de provisão. Um rendimento de US$ 4,3 bilhões, 8% maior em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, devido a maiores taxas de serviços bancários de investimento e às receitas de juros líquidas.

Taxas de serviços bancários de investimento de US$ 1,6 bilhões aplicáveis a todos os setores, excluindo transações autoadministradas, aumentaram US$ 587 milhões, ou 58% em comparação ao mesmo trimestre do ano anterior, principalmente em função de um aumento de 84% das taxas de subscrição de dívidas, um recorde de desempenho desde a fusão entre Bank of America e Merrill Lynch. As taxas de serviços bancários de investimento em Global Banking, excluindo as transações autoadministradas, foram de US$ 842 milhões no quarto trimestre de 2012, comparado com US$ 629 milhões no mesmo trimestre do ano anterior. A receita com Global Corporate Banking de US$ 1,4 bilhão e a receita com Global Commercial Banking de US$ 2,0 bilhões permaneceram relativamente estáveis em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Receitas com Business Lending (concessão de empréstimos) de US$ 1,8 bilhão e receitas com Treasury Services (serviços do tesouro) de US$ 1,6 bilhão permaneceram alinhadas com o mesmo trimestre do ano anterior.

A provisão para perdas de crédito foi de US$ 180 milhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com US$ 68 milhões no terceiro trimestre de 2012 e um benefício de US$ 256 milhões no mesmo trimestre do ano anterior. O aumento em relação ao trimestre anterior foi impulsionado principalmente pelo impacto das orientações regulamentares sobre empréstimos para o financiamento de revenda ao consumidor extintos por falência e pelo crescimento dos empréstimos comerciais. Em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, a despesa com provisões aumentou principalmente devido a menores liberações de reservas enquanto a qualidade dos ativos estabilizou-se no portfólio. A despesa não decorrente de juros foi de US$ 1,9 bilhões, uma queda de 9% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, originada principalmente por menores despesas operacionais e relativas à pessoal.

Global Markets

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(em milhões de dólares)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 2.844   $ 1.807 $ 13.519   $ 14.798
Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE), excluindo DVA(1) 3.120 2.281 15.967 13.797
Provisão para perdas de crédito 16 (18 ) 3 (56 )
Despesa não decorrente de juros 2.498 2.895 10.839 12.244
Receita (perda) líquida $ 152 $ (768 ) $ 1.054 $ 988
Receita líquida (perda), excluindo DVA e o imposto do Reino Unido1 326 (469 ) 3.377 1.131
Retorno sobre patrimônio médio2 3.39 % n/s 5,99 % 4,36 %
Retorno sobre média de capital econômico3 4,63 n/s 8,20 5,54
Total da média dos ativos     $ 628.449     $ 552.911     $ 588.459     $ 590.474  

1 A receita total, líquida de despesa de juros em base FTE, excluindo DVA, é uma medida financeira não GAAP. Os ganhos com DVA (perdas) foram US$ (276) milhões e US$ (474) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (2,4) bilhões e US$ 1,0 bilhão para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. Os ajustes nas tarifas fiscais empresariais no Reino Unido foram de US$ 781 milhões e US$ 774 milhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

2 O retorno sobre o patrimônio médio, excluindo DVA e ajustes nas tarifas fiscais empresariais no Reino Unido, foi de 19,19% e 4,99% para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

3 Retorno sobre a média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. O retorno sobre o capital econômico médio, excluindo DVA e ajustes nas tarifas fiscais empresariais no Reino Unido, foi de 26,14% e 6,34% para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado.

n/s = não significativo

Destaques dos negócios

  • O total dos rendimentos, excluindo o impacto do DVAE, aumentou 37% no quarto trimestre de 2012, indo para US$ 3,1 bilhões em relação a US$ 2,3 bilhões no quarto trimestre de 2011. Os rendimentos com vendas e comercialização, excluindo o impacto de DVAE, foi de US$ 2,5 bilhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com US$ 2,0 bilhões no quarto trimestre de 2011.

Panorama financeiro

Global Markets informou renda líquida de US$ 152 milhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com perda líquida de US$ 768 milhões do mesmo trimestre do ano anterior. Excluindo as perdas de DVAE, a receita líquida foi de US$ 326 milhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com a receita líquida de US$ 789 milhões no terceiro trimestre de 2012 (excluindo o impacto da mudança de tarifa fiscal no Reino Unido) e perda líquida de US$ 469 milhões no mesmo trimestre do ano anterior.

A receita de Global Markets teve um aumento de US$ 1,0 bilhão em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, atingindo US$ 2,8 bilhões. Excluindo DVAE, os rendimentos cresceram US$ 839 milhões indo para US$ 3,1 bilhões impulsionados pelo aumento nos rendimentos de vendas e comercialização e em um aumento da atividade de emissão de dívida. O trimestre atual incluiu perdas de DVA de US$ 276 milhões, em comparação com os ganhos de US$ 474 milhões no mesmo trimestre do ano anterior.

A receita de vendas e comercialização de Fixed Income, Currency and Commodities (FICC), excluindo DVAF, foi de US$ 1,8 bilhões no quarto trimestre de 2012, um aumento de US$ 485 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, impulsionada pelos negócios de crédito que foram beneficiados com a melhoria dos mercados de créditos na Europa e no setor financeiro. A receita de vendas e comercialização de ações, excluindo DVAF, foi de US$ 713 milhões, um aumento de US$ 61 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, devido ao aumento do saldo de clientes com financiamentos e na melhora do desempenho na comercialização de derivativos.

As despesas não decorrentes de juros tiveram uma redução de US$ 2,5 bilhões em comparação com os US$ 2.9 bilhões do mesmo trimestre do ano passado, orientadas principalmente por uma queda na despesa relativa à pessoal.

Todos os demais1

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(em milhões de dólares)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ (145 )   $ 4.513 $ (790 )   $ 16.095
Provisão para perdas de crédito 448 792 2.620 6.172
Despesa não decorrente de juros 971 2.101 6.092 6.253
Receita (perda) líquida $ 864 $ 1.350 $ (3.628 ) $ 4.712
Total da média de empréstimos     245.820     277.744     258.012     289.010

1 Todos os demais consistem de atividade ALM, investimentos de capital, negócios em liquidação e outros. As atividades ALM abrangem todo o portfólio de empréstimos hipotecários residenciais e títulos de investimento, atividades de gestão de risco de moedas estrangeiras, incluindo a alocação do rendimento com juro líquido residual, ganhos/perdas de passivos estruturados, e o impacto de certas ineficácias das metodologias de alocação e coberturas contábeis. Equity Investments inclui Global Principal Investments, investimentos estratégicos e outros. "Outros" inclui certas hipotecas residenciais e empréstimos imobiliários desativados administrados pelo setor de Legacy Assets & Servicing dentro dos CRES.

Os rendimentos líquidos informados em Todos os demais foram de US$ 864 milhões no quarto trimestre de 2012, comparados com o rendimento líquido de US$ 1,4 bilhão para o mesmo trimestre do ano anterior, enquanto uma redução da receita foi parcialmente compensada por provisões de perdas de crédito mais baixas, menor despesa não decorrente de juros e o benefício do imposto sobre a renda relacionado com o reconhecimento de certos créditos fiscais estrangeiros.

A diminuição dos rendimentos foi influenciada principalmente pela receita com investimentos de capital, de US$ 1,2 bilhões em ganhos relativos à comercialização de títulos fiduciários preferenciais no mesmo trimestre do ano anterior e de uma redução de US$ 1,0 bilhão em ganhos com a venda de títulos de dívida com relação ao quarto trimestre de 2011. A baixa foi parcialmente compensada por menores ajustes negativos de FVO no trimestre mais recente em relação ao ano anterior. Os ajustes negativos de FVO totalizaram US$ 442 milhões no quarto trimestre de 2012, comparado com US$ 814 milhões negativos no quarto trimestre de 2011.

A receita com investimentos de capital foi de US$ 570 milhões no quarto trimestre de 2012, comparado com US$3,1 bilhões no mesmo trimestre do ano anterior. O quarto trimestre de 2012 incluiu um ganho de US$ 370 milhões na venda de nossa participação na joint venture japonesa de corretagem e o mesmo período do ano anterior incluiu um ganho de US$ 2,9 bilhões da venda de parte dos investimentos da empresa em CCB. Os ganhos sobre a venda de títulos de dívida totalizaram US$ 116 milhões no quarto trimestre de 2012, uma redução dos US$ 1,1 bilhão do mesmo trimestre do ano anterior.

A redução da provisão para perdas de crédito foi impulsionada principalmente pelo impacto de uma melhoria nas perspectivas de aumento dos preços das residências nos portfólios de PCI descontinuados de hipotecas residenciais e do mercado imobiliário, impulsionando a redução das reservas no trimestre corrente comparado com as reservas construídas um ano atrás. As despesas não decorrentes de juros diminuíram em relação ao quarto trimestre de 2011, enquanto o mesmo período do ano anterior incluiu US$ 581 milhões de encargos de depreciação dos fundos de comércio nos negócios europeus de cartões de consumo.

Panorama corporativo

Receita e despesa

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(Em milhões de dólares exceto por dados de ação)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Renda líquida de juros, base FTE1 $ 10.555   $ 10.959 $ 41.557   $ 45.588
Receita não decorrente de juros 8.336 14.187 42.678 48.838
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE 18.891 25.146 84.235 94.426
Receita total, líquida de despesas de juros, em base FTE, excluindo ajustes de avaliação DVA e FVO2 19.610 26.434 91.819 90.106
Provisão para perdas de crédito 2.204 2.934 8.169 13.410
Despesa não decorrente de juros3 18.360 18.941 72.093 77.090
Encargos de depreciação do fundo de comércio 581 3.184
Receita líquida $ 732 $ 1.991 $ 4.188 $ 1.446
Ganhos diluídos por ação ordinária     $ 0,03     $ 0,15     $ 0,25     $ 0,01

1 Base equivalente totalmente tributável (FTE) é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado. A renda líquida de juros em base GAAP foi de US$ 10,3 bilhões e US$ 10,7 bilhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ 40,7 bilhões e US$ 44,6 bilhões nos anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. A receita total líquida de despesa de juros em base GAAP foi de US$ 18,7 bilhões e US$ 24,9 bilhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ 83,3 bilhões e US$ 93,5 bilhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

2 A receita total líquida de despesa de juros em base FTE, excluindo os ajustes DVA e FVO, é uma medida financeira não GAAP. Os ganhos com DVA (perdas) foram US$ (277) milhões e US$ (474) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (2,5) bilhões e US$ 1,0 bilhão para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. Os ganhos com as valorizações (perdas) relativas a FVO foram US$ (442) milhões e US$ (814) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (5,1) bilhões e US$ 3,3 bilhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

3 Excluem-se encargos de depreciação do fundo de comércio de US$ 581 milhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2011, e US$ 3,2 bilhões no ano encerrado em 31 de dezembro de 2011. As despesas não decorrentes de juros, excluindo os encargos de depreciação do fundo de comércio é uma medida financeira não GAAP.

A receita, líquida de despesas com juros em base FTE foi de US$ 18,9 bilhões, uma redução de US$ 25,1 bilhões no quarto trimestre de 2011, determinada em grande parte pelas perdas bancárias com hipotecas como resultado das liquidações Fannie Mae anunciadas recentemente, receitas com investimentos de capital mais baixas, ganhos reduzidos com a venda de título de dívida e outras reduções da receita. Essas reduções foram parcialmente compensadas pelo aumento da renda de serviços bancários de investimento e do aumento dos lucros com as contas de negociações.

A receita líquida de despesas de juros no quarto trimestre de 2012 em base FTE, excluindo US$ 0,7 bilhão dos ajustes da valorização da dívida e da opção de valor de mercado, foi de US$ 19,6 bilhões; excluindo US$ 3,0 bilhões de provisões relativas às liquidações da Fannie Mae para representações e garantias e para obrigações relativas às rescisões de seguros hipotecários com relação aos acordos de liquidação com a receita líquida de despesas de juros da Fannie Mae em base FTE foi de US$ 22,6 bilhõesB.

A receita líquida de juros, em base FTE, totalizou US$ 10,6 bilhões no quarto trimestre de 2012, em relação a US$ 10,2 bilhões no terceiro trimestre de 2012 e US$ 11,0 bilhões no quarto trimestre de 2011B. A redução do mesmo trimestre do ano anterior aconteceu em função do impacto da redução dos saldos dos empréstimos ao consumidor e do portfólio Asset and Liability Management (ALM) sendo reexecutado (recouponing) com taxas menores, parcialmente compensados pelas reduções em andamento nos saldos da dívida de longo prazo e de menores taxas pagas sobre os depósitos. A receita líquida de juros no quarto trimestre de 2012 também incluiu despesas extras desfavoráveis de amortização relacionadas com o mercado, de US$ 61 milhões.

A margem líquida de juros foi de 2,35% no quarto trimestre de 2012, comparado a 2,32% no terceiro trimestre de 2012 e 2,45% no quarto trimestre de 2011.

As receitas não decorrentes de juros sofreram uma redução de US$ 5,9 bilhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, determinado em grande parte pelas perdas com serviços bancários hipotecários como resultado das provisões relativas às liquidações da Fannie Mae de US$ 0,5 bilhão para obrigações relativas às rescisões de seguros hipotecários, e um ganho de US$ 2,9 bilhões relativo à venda de parte dos investimentos em CCB da empresa no mesmo trimestre do ano anterior.

A receita com investimentos de capital sofreu redução de US$ 2,5 bilhões em comparação com o quarto trimestre de 2011, refletindo um impacto nos ganhos com CCB mencionados acima. Além disso, outras receitas diminuíram quando no mesmo trimestre do ano anterior foi incluído US$ 1,2 bilhão em ganhos relativos às atividades de gestão das responsabilidades, parcialmente compensadas por menores ajustes negativos de FVO, de US$ 442 milhões no quarto trimestre de 2012, comparado a um negativo de US$ 814 milhões no quarto trimestre de 2011. Os resultados do quarto trimestre de 2012 também sofreram um impacto das perdas de DVA de US$ 277 milhões, comparadas com as perdas de US$ 474 milhões no mesmo trimestre do ano anterior. Os ganhos sobre a venda de títulos de dívida totalizaram US$ 171 milhões no quarto trimestre de 2012, uma redução dos US$ 1,2 bilhão do mesmo trimestre do ano anterior.

As despesas não decorrentes de juros reduziram de US$ 1,2 bilhão comparadas com o mesmo trimestre do ano anterior, principalmente como resultado da redução das despesas de pessoal, enquanto a empresa continua a agilizar processos e economizar nos custos. Da mesma forma, o mesmo período do ano anterior incluiu encargos de depreciação do fundo de comércio de US$ 581 milhões. Outras despesas gerais operacionais no trimestre atual inclui US$ 1,1 bilhão para encerrar a IFR. A despesa de litígio foi de US$ 916 milhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com US$ 1,8 bilhão no quarto trimestre de 2011.

O benefício com imposto de renda para o quarto trimestre de 2012 foi de US$ 2,6 bilhões sobre uma perda antes dos impostos de US$ 1,9 bilhão e incluiu US$ 1,3 bilhão de benefício líquido de imposto de renda, obtido principalmente através do reconhecimento de créditos fiscais estrangeiros de algumas subsidiárias não provenientes dos Estados Unidos. Isso se compara a uma despesa de imposto de renda de US$ 441 milhões sobre US$ 2,4 bilhões de lucro antes dos impostos no mesmo trimestre do ano anterior.

Qualidade de crédito

    Três meses encerrados em   Ano encerrado em
(em milhões de dólares)     31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
  31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Provisão para perdas de crédito $ 2.204   $ 2.934 $ 8.169   $ 13.410
Baixas líquidas 3.104 4.054 14.908 20.833
Coeficiente de baixas líquidas1 1.40 % 1,74 % 1,67 % 2,24 %
 
31 de dezembro de
2012
  31 de dezembro de
2011
Empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo $ 23.555 $ 27.708
Coeficiente de empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo2 2,62 % 3,01 %
Provisão para perdas com empréstimos e arrendamentos $ 24.179 $ 33.783
Provisão para coeficiente de perdas de empréstimos e arrendamentos3             2,69 %   3,68 %

1 Os coeficientes líquidos de perdas e baixas são calculados como baixas líquidas divididas pela média de empréstimos e arrendamentos em aberto no período; os resultados trimestrais são anualizados.

2 Os coeficientes de empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo são calculados como empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo divididos por empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas em aberto no fim do período.

3 Os coeficientes de provisão para perdas de empréstimos e arrendamento são calculados como provisão para perdas de empréstimos e arrendamento dividida por empréstimos e arrendamentos em aberto no fim do período.

Nota: Os coeficientes não incluem empréstimos contabilizados de acordo com a opção de justo valor.

A qualidade do crédito continuou a melhorar no quarto trimestre de 2012, com as baixas líquidas sendo reduzidas na maioria dos principais portfólios e a provisão para perdas de crédito sendo reduzidas significativamente em comparação com o ano anterior. Adicionalmente, os empréstimos inadimplentes por mais de 30 dias, excluindo os empréstimos com seguro total, foram reduzidos em todos os principais portfólios de consumo, e os saldos críticos reserváveis também continuaram sendo reduzidos, diminuindo 42% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

As baixas líquidas de US$ 3,1 bilhões no quarto trimestre de 2012, diminuíram em US$ 1,0 bilhão em comparação com o terceiro trimestre de 2012 e sofreram uma queda de US$ 950 milhões em comparação com o quarto trimestre de 2011. A redução em relação ao trimestre anterior deu-se devido à ausência de US$ 435 milhões em baixas líquidas relativas ao National Mortgage Settlement e US$ 478 milhões relativos ao impacto da mudança nas orientações regulamentares com relação ao tratamento dado aos empréstimos extintos por falência. Com exceção desses impactos, a redução foi determinada principalmente por menor inadimplência no portfólio de Card Services. O aumento com relação ao ano anterior foi impulsionado pela melhoria na qualidade do crédito em quase todos os portfólios mais importantes.

A provisão para perdas de crédito aumentou para US$ 430 milhões no quarto trimestre de 2012, indo para US$ 2,2 bilhões em comparação com o terceiro trimestre de 2012 e sofreu redução de US$ 730 milhões em comparação com os US$ 2,9 bilhões do quarto trimestre de 2011. A provisão para perdas de crédito no quarto trimestre de 2012 foi de US$ 900 milhões inferiores às baixas líquidas, resultando numa redução das concessões para perdas de crédito. Isto inclui US$ 430 milhões em benefícios do portfólio de PCI, devido a uma melhoria nas perspectivas dos preços dos imóveis residenciais. As reduções restantes foram impulsionadas principalmente por melhorias em falências e inadimplências em todo o portfólio de Card Services.

A concessão para perdas de arrendamento e empréstimos para o índice anualizado de cobertura das baixas líquidas foi de 1,96 no quarto trimestre de 2012, em comparação com 1,60 no terceiro trimestre de 2012 e 2,10 no quarto trimestre de 2011. O aumento em relação ao terceiro trimestre de 2012 aconteceu em razão das baixas líquidas mencionas acima. Excluindo os empréstimos com PCI, a concessão para o índice anualizado de cobertura das baixas líquidas foi de 1,51, 1,17 e 1,57 nos mesmos períodos, respectivamente.

Os empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo foram de US$ 23,6 bilhões em 31 de dezembro de 2012, uma redução com relação aos US$ 24,9 bilhões em 30 de setembro de 2012 e aos US$ 27,7 bilhões em 31 de dezembro de 2011.

Gestão de capital e liquidez

(Valores expressos em milhões de dólares, exceto para os dados das ações)     Em 31 de dezembro de
2012
 

Em 30 de setembro de
2012

  Em 31 de dezembro de
2011
Patrimônio total dos acionistas     $ 236.956   $ 238.606   $ 230.101
Capital ordinário de nível I 133.403 136.406 126.690
Coeficiente de capital ordinário de nível I 11,06 % 11,41 % 9,86 %
Coeficiente de patrimônio ordinário tangível1 6,74 6,95 6,64
Coeficiente de capital ordinário 9,87 10,15 9,94
Valor patrimonial tangível por ação1 $ 13,36 $ 13,48 $ 12,95
Valor patrimonial por ação     20,24     20,40     20,09  

1 O coeficiente de patrimônio ordinário tangível e o valor contábil tangível por ação são medidas financeiras não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado.

O coeficiente de capital ordinário de nível I do acordo de Basileia I foi de 11,06% em 31 de dezembro de 2012, comparado com 11,41% em 30 de setembro de 2012, e de 9,86% em 31 de dezembro de 2011. O coeficiente de capital ordinário de nível I foi de 12,89% em 31 de dezembro de 2012, comparado com 13,64% em 30 de setembro de 2012, e de 12,40% em 31 de dezembro de 2011. A redução do coeficiente de capital ordinário de nível I (Basileia I) em comparação com o terceiro trimestre de 2012 foi determinada principalmente por uma redução no capital ordinário de nível I devido às perdas antes dos impostos e de maiores ativos ponderados pelo risco sobre o crescimento dos empréstimos comerciais.

Em 31 de dezembro de 2012, o coeficiente de capital ordinário de nível I em base totalmente escalonada do acordo de Basileia III foi estimado em 9,25%, um aumento em relação aos 8,97% em 30 de setembro de 2012A. As estimativas de Basileia III são baseadas na interpretação atual da empresa sobre os NPRs de Basileia III dos Estados Unidos, assumindo todas as aprovações de modelos regulatórios, exceto para a redução potencial dos ativos ponderados pelos riscos que resultam da Comprehensive Risk Measure após um ano. Sob o acordo de Basileia III, o coeficiente de capital ordinário de nível I aumentou com relação à estimativa para o terceiro trimestre de 2012, pois os impactos negativos das perdas antes dos impostos, as perdas não-realizadas com títulos de dívidas disponíveis à venda que foram reconhecidas em outras receitas abrangentes, e o aumento no percentual mínimo das deduções foram mais que compensadas pela redução dos ativos ponderados pelo risco. A redução dos ativos ponderados pelo risco foi determinada principalmente por exposições menores e atualizações de experiências de perdas recentes em nossos modelos de crédito.

Em 31 de dezembro de 2012, as fontes globais de excessos de liquidez foram de US$ 372 bilhões, uma redução modesta de US$ 6 bilhões em comparação com o terceiro trimestre de 2011, enquanto as dívidas de longo prazo diminuíram em US$ 96,7 bilhões em relação ao mesmo período do ano anterior. O financiamento com prazo foi de 33 meses em 31 de dezembro de 2012, comparado com 35 meses em 30 de setembro de 2012 e 29 meses em 31 de dezembro de 2011.

No quarto trimestre de 2012, foram pagos dividendos de caixa de US$ 0,01 por ação ordinária e a empresa registrou US$ 365 milhões em dividendos preferenciais. As ações ordinárias de final de período emitidas e em circulação foram de US$ 10,78 bilhões e US$ 10,54 bilhões no terceiro trimestre de 2012 e 2011.

------------------------------

A O coeficiente de capital ordinário de nível I do acordo de Basileia III é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP na página 21 deste comunicado. As estimativas de Basileia III refletem as interpretações atuais da empresa sobre as NPRs de Basileia III dos Estados Unidos e assumem todas as aprovações dos modelos regulatórios necessárias, exceto para a redução potencial dos ativos ponderados pelos riscos que resultam da Comprehensive Risk Measure após um ano.

B Base equivalente totalmente tributável (FTE) é uma medida financeira não GAAP. A receita líquida de despesas com juros, em base FTE excluindo os ajustes de valorização de dívida e de opção de valor de mercado, e excluindo também as provisões para representações e garantias e às rescisões de seguros hipotecários relacionados com os acordos de liquidação com a Fannie Mae, são medidas financeiras não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado. A renda líquida de juros em base GAAP foi de US$ 10,3 bilhões e US$ 10,7 bilhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ 40,7 bilhões e US$ 44,6 bilhões nos anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. A receita total líquida de despesa de juros em base GAAP foi de US$ 18,7 bilhões e US$ 24,9 bilhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ 83,3 bilhões e US$ 93,5 bilhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

COs montantes de 2006 e 2008 estão em uma base gerida.

D Valor patrimonial tangível por ação ordinária é uma medida financeira não GAAP. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28 deste comunicado.

E Receitas de vendas e negociações, excluindo o impacto do DVA, são uma medida financeira não GAAP. Os ganhos com DVA (perdas) foram US$ (276) milhões e US$ (474) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (2,4) bilhões e US$ 1,0 bilhão para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

F As receitas com vendas e negociações de Renda fixa, Moedas e Commodities, excluindo DVA, é uma medida financeira não GAAP. Os ganhos com DVA (perdas) foram US$ (237) milhões e US$ (495) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (2,2) bilhões e US$ 794 milhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011. Receitas patrimoniais, excluindo DVA, é uma medida financeira não GAAP. Os ganhos com DVA (perdas) foram US$ (39) milhões e US$ (21) milhões para os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011, e US$ (253) milhões e US$ 207 milhões para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011.

Nota: O diretor executivo, Brian Moynihan, e o diretor financeiro, Bruce Thompson, vão discutir os resultados do quarto trimestre de 2012 durante uma teleconferência às 8h30min de hoje, ET. Os materiais de apoio e de apresentação estão acessíveis no site de relações com o investidor do Bank of America em http://investor.bankofamerica.com. Para ouvir o áudio da teleconferência, ligue para 1 (877) 200-4456 (EUA) ou 1 (785) 424-1734 (internacional) e digite o código da conferência: 79795.

Bank of America

O Bank of America é uma das maiores instituições financeiras do mundo, atendendo a consumidores individuais, empresas de pequenos e médios mercados e a grandes organizações, com um conjunto completo de produtos e serviços bancários, de investimentos, gestão de ativos e outros produtos e serviços de gestão financeira e de riscos. A empresa oferece conveniência incomparável nos Estados Unidos, atendendo a aproximadamente 53 milhões de relações de consumo e pequenas empresas, com aproximadamente 5.500 escritórios de serviços bancários de varejo e aproximadamente 16.300 caixas eletrônicos e serviços bancários online premiados, com trinta milhões de usuários ativos. O Bank of America está entre as maiores empresas de gestão de patrimônio do mundo, e é líder global em serviços bancários corporativos, de investimentos e comerciais em um amplo conjunto de classes de ativos, atendendo a organizações, governos, instituições e pessoas físicas em todo o mundo. O Bank of America oferece assistência líder no setor para aproximadamente três milhões de proprietários de pequenas empresas através de um conjunto de produtos e serviços online inovadores e fáceis de usar. A empresa atende clientes com operações em mais de quarenta países. As ações do Bank of America Corporation (NYSE: BAC) é um componente do Dow Jones Industrial Average e estão listadas na Bolsa de Valores de Nova York.

Declarações prospectivas

O Bank of America e sua administração podem fazer declarações entendidas como "declarações prospectivas" de acordo com o significado atribuído ao termo na Private Securities Litigation Reform Act de 1995. Essas declarações podem ser identificadas pelo fato de não se referirem estritamente a fatos históricos ou atuais. As declarações prospectivas geralmente usam palavras como "antecipa", "metas", "espera", "estima", "pretende", "planeja", "objetivos", "acredita" e outras expressões similares ou verbos no futuro ou no condicional tais como "irá", "deveria", "seria" e "poderia". As declarações prospectivas feitas representam as atuais expectativas do Bank of America, planos ou previsões de seus resultados futuros e receitas, incluindo o impulso contínuo em depósitos, criação de penhor de primeira hipoteca, lucros de GWIM, empréstimos comerciais e serviços de bancos de investimento; o foco principal estabelecido pela empresa em 2013 para aumentar a receita; administrar as despesas e conduzir o crescimento dos ganhos principais; as estimativas de responsabilidades e amplitude de possível perda para várias representações e reclamações garantias; ações a serem tomadas nos termos e efeitos das liquidações da Fannie Mae e do acordo de aceleração de IFR, e outros assuntos semelhantes. Estas declarações não são garantias de resultados ou desempenho futuro e envolvem certos riscos, incertezas e hipóteses que são difíceis de prever, e estão, em geral, além do controle do Bank of America. Os resultados reais podem divergir materialmente daqueles expressos ou implícitos em qualquer destas declarações prospectivas.

O leitor não deve depositar confiança indevida em nenhuma declaração prospectiva e deve considerar todas as seguintes incertezas e riscos, além daquelas discutidas em mais detalhes no Item 1A. “Fatores de risco” do relatório anual de 2011 do Bank of America, no formulário 10-K, e nos documentos subsequentes do Bank of America, protocolados na SEC; a capacidade da empresa para obter as aprovações necessárias ou consentimentos de terceiros com relação aos contratos de venda MSR, inclusive que não há garantia de que as aprovações ​​e consentimentos aplicáveis serão obtidos, e que consequentemente algumas dessas transferências não podem ser consumadas; a resolução da empresa de certas obrigações de representações e garantias com empresas patrocinadas pelo governo (GSEs) sobre representações e garantias de recompra de reivindicações, com respeito a rescisões de seguros de hipotecas, e atrasos de encerramento; a capacidade da empresa para resolver representações reivindicações de garantias feitas por monorramos e investidores de marca própria e outros investidores, incluindo como resultado de quaisquer decisões judiciais adversas, e a oportunidade de que a empresa poderia enfrentar serviços, valores mobiliários, fraude, indenização ou outras reivindicações relacionadas de um ou mais dos monorramos ou investidores de marca própria e outros investidores; se representações futuras e perdas de garantias ocorrem em excesso das responsabilidades registradas da empresa para exposições GSE e em excesso das responsabilidades registradas e alcance estimado de perdas possíveis de exposições não-GSE; incertezas sobre a estabilidade financeira de vários países da União Europeia (UE), aumentando o risco de que esses países posam não cumprir sua dívida soberana ou sair da UE e das tensões relacionadas nos mercados financeiros, o euro e a UE e exposições diretas e indiretas da empresa para esses riscos, a incerteza quanto ao momento e substância final de qualquer capital ou padrões de liquidez, incluindo os requisitos finais de Basileia III e sua implementação para os bancos norte-americanos através de regulamentação por parte do Federal Reserve, incluindo os requisitos previstos para manter níveis mais elevados de capital regulatório, liquidez, e cumprir níveis mais elevados de capital regulatório como resultado de Basileia III final ou outros padrões de capital ou liquidez, o impacto negativo do Dodd-Frank Wall Street Reform and Consumer Protection Act sobre os negócios e ganhos da empresa, inclusive como resultado da interpretação de regulamentação adicional e das regulamentação e sucesso das ações da empresa para mitigar esses impactos; satisfação da empresa de seus programas de assistência ao mutuário no âmbito do acordo de solução global com órgãos federais e procuradores gerais do estado, mudanças adversas na classificação de crédito da empresa das principais agências de notação de crédito; estimativas do valor justo de certos ativos e passivos da empresa; reclamações inesperadas, danos e multas resultantes de processos de regulamentação e litígios pendentes ou futuros; e a capacidade da empresa para realizar plenamente as economias de custo e outros benefícios previstos do Projeto New BAC, inclusive em conformidade com os prazos atualmente previstos; e outros assuntos semelhantes

Declarações prospectivas falam apenas da data em que são feitas e o Bank of America não assume nenhuma obrigação de atualizar qualquer declaração prospectiva para refletir o impacto de circunstâncias e eventos que ocorram depois da data em que as declarações prospectivas foram feitas.

BofA Global Capital Management Group, LLC (BofA Global Capital Management) é uma divisão de gestão de ativos do Bank of America Corporation. As entidades do BofA Global Capital Management oferecem serviços e produtos de gestão de investimentos para investidores institucionais e individuais.

Bank of America Merrill Lynch é o nome comercial dos negócios dos mercados globais e de serviços bancários globais do Bank of America Corporation. As atividades de empréstimos, derivativos e outros serviços bancários comerciais são desempenhadas por bancos afiliados ao Bank of America Corporation, incluindo o Bank of America, N.A., membro do FDIC. Títulos mobiliários, consultoria financeira e outras atividades bancárias de investimentos são executadas por afiliadas de serviços bancários de investimentos do Bank of America Corporation (Investment Banking Affiliates), inclusive Merrill Lynch, Pierce, Fenner & Smith Incorporated, que são corretores registrados e membros da FINRA e SIPC. Produtos de investimento oferecidos pelas Investment Banking Affiliates: Não são segurados pelo FDIC * Podem perder valor * Não são garantidos pelo banco. As corretoras do Bank of America Corporation não são bancos, mas pessoas jurídicas separadas das suas afiliadas bancárias. As obrigações das corretoras não são obrigações das suas afiliadas bancárias (salvo se explicitamente disposto em contrário) e essas afiliadas bancárias não são responsáveis pelos títulos mobiliários vendidos, oferecidos ou recomendados pelas corretoras. O disposto acima é também aplicável a outras afiliadas não bancárias.

Para outras notícias sobre o Bank of America, acesse a sala de imprensa do Bank of America, em http://newsroom.bankofamerica.com.

www.bankofamerica.com

                     
Bank of America Corporation e subsidiárias
Dados financeiros selecionados                    
(Valores expressos em milhões de dólares, exceto por dados de ações; ações em milhares)
   

Resumo da declaração financeira

Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011
Receita líquida de juros $ 40.656 $ 44.616 $ 10.324 $ 9.938 $ 10.701
Receita não decorrente de juros 42.678   48.838   8.336   10.490   14.187  
Receita total, líquida de despesa de juros 83.334 93.454 18.660 20.428 24.888
Provisão para perdas de crédito 8.169 13.410 2.204 1.774 2.934
Depreciação do fundo de comércio 3.184 581
Encargos de fusão e reestruturação 638 101
Todas as demais despesas não decorrentes de juros (1) 72.093   76.452   18.360   17.544   18.840  
Receita (perda) antes de imposto de renda 3.072 (230 ) (1.904 ) 1.110 2.432
Despesa (benefício) de imposto de renda (1.116 ) (1.676 ) 2.636 ) 770   441  
Receita líquida $ 4.188   $ 1.446   $ 732   $ 340   $ 1.991  
Dividendos de ações preferenciais 1.428   1.361   365   373   407  
Receita (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários $ 2.760   $ 85   $ 367   $ (33 ) $ 1.584  
 
Ganhos por ação ordinária $ 0,26 $ 0,01 $ 0,03 $ 0,00 $ 0,15
Ganhos diluídos por ação ordinária 0,25 0,01 0,03 0,00 0,15
 

Resumo da média do balanço patrimonial

Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011
Total de empréstimos e arrendamentos $ 898.768 $ 938.096 $ 893.166 $ 888.859 $ 932.898
Títulos de dívida 337.653 337.120 339.779 340.773 332.990
Total de ativos rentáveis 1.769.969 1.834.659 1.788.936 1.750.275 1.783.986
Total de ativos 2.191.356 2.296.322 2.210.365 2.173.312 2.207.567
Total de depósitos 1.047.782 1.035.802 1.078.076 1.049.697 1.032.531
Patrimônio ordinário dos acionistas 216.996 211.709 219.744 217.273 209.324
Patrimônio total dos acionistas 235.677 229.095 238.512 236.039 228.235
 

Coeficientes de desempenho

Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011
Retorno sobre ativos médios 0,19 % 0,06 % 0,13 % 0,06 % 0,36 %
Retorno sobre média de patrimônio tangível dos acionistas (2) 2,60 0,96 1,77 0,84 5,20
 

Qualidade de crédito

Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011
Total de baixas líquidas $ 14.908 $ 20.833 $ 3.104 $ 4.122 $ 4.054
Baixas líquidas como porcentagem de empréstimos e arrendamentos médios em aberto (3) 1,67 % 2,24 % 1.40 % 1,86 % 1,74 %
Provisão para perdas de crédito $ 8.169 $ 13.410 $ 2.204 $ 1.774 $ 2.934
 
31 de dezembro de
2012
30 de setembro de
2012
31 de dezembro de
2011
Total de arrendamentos, empréstimos e propriedades executadas inadimplentes (4) $ 23.555 $ 24.925 $ 27.708
Arrendamentos e empréstimos inadimplentes e propriedades executadas como porcentagem do total de arrendamentos, empréstimos e propriedades executadas (3) 2,62 % 2,81 % 3,01 %
Provisão para perdas com empréstimos e arrendamentos $ 24.179 $ 26.233 $ 33.783
Provisão para perdas com empréstimos e arrendamentos como porcentagem do total de empréstimos e arrendamentos em aberto (3) 2,69 % 2,96 % 3,68 %
                                     
 

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

                 
Bank of America Corporation e subsidiárias

Dados financeiros selecionados

                       
(Valores expressos em milhões de dólares, exceto por dados de ações; ações em milhares)
     

Gestão de capital

31 de dezembro de
2012
30 de setembro de
2012
31 de dezembro de
2011
Capital sujeito a risco (5):
Patrimônio ordinário de nível I (6) $ 133.403 $ 136.406 $ 126.690
Coeficiente de capital ordinário de nível I (6) 11,06 % 11,41 % 9,86 %
Coeficiente de alavancagem de nível I 7,36 7,84 7,53
Coeficiente de patrimônio tangível (7) 7,62 7,85 7,54
Coeficiente de patrimônio ordinário tangível (7) 6,74 6,95 6,64
 
Ações ordinárias emitidas e em circulação ao fim do período 10.778.264 10.777.267 10.535.938
 

Reconciliação do acordo de Basileia I ao Basileia III(8)

31 de dezembro de
2012
30 de setembro de
2012
Capital regulatório do acordo de Basileia I ao Basileia III (completamente escalonado)
Capital de nível I do acordo de Basileia I $ 155.461 $ 163.063
Dedução de ação preferencial, ação preferencial não qualificável e interesse minoritário em contas de patrimônio de subsidiárias consolidadas. (22.058 ) (26.657 )
Capital ordinário de nível I do acordo de Basileia I 133.403 136.406
Dedução dos ativos do fundo de pensão de benefício definido (737 ) (1.709 )
Mudança em ativos tributários diferidos e outros limites de deduções (MSRs e investimentos significativos) (3.020 ) (1.102 )
Mudança em todas as demais deduções, líquidas (1.020 ) 1.040  
Capital ordinário de nível I do acordo de Basileia III (completamente escalonado) $ 128.626   $ 134.635  
 
Ativos ponderados por risco de Basileia I ao Basileia III (completamente escalonados)
Basileia I $ 1.205.660 $ 1.195.722
Mudança líquida em crédito e outros ativos ponderados por risco 103.401 216.244
Aumento devido à emenda de risco de mercado 81.811   88.881  
Basileia III (completamente escalonado) $ 1.390.872   $ 1.500.847  
 
Coeficiente de capital ordinário de nível 1
Basileia I 11,06 % 11,41 %
Basileia III (completamente escalonado) 9,25 8,97
 
Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011
Ações ordinárias emitidas (9) 242.326 450.783 997 398 401.506
Média de ações ordinárias emitidas e em circulação 10.746.028 10.142.625 10.777.204 10.776.173 10.281.397
Média de ações ordinárias diluídas emitidas e em circulação 10.840.854 10.254.824 10.884.921 10.776.173 11.124.523
Dividendos pagos por ação ordinária $ 0,04 $ 0,04 $ 0,01 $ 0,01 $ 0,01
 

Resumo do balancete do fim do período

31 de dezembro de
2012
30 de setembro de
2012
31 de dezembro de
2011
Total de empréstimos e arrendamentos $ 907.819 $ 893.035 $ 926.200
Total de títulos da dívida 336.387 345.847 311.416
Total de ativos rentáveis 1.788.305 1.756.257 1.704.855
Total de ativos 2.209.974 2.166.162 2.129.046
Total de depósitos 1.105.261 1.063.307 1.033.041
Patrimônio total dos acionistas 236.956 238.606 230.101
Patrimônio ordinário dos acionistas 218.188 219.838 211.704
Valor contábil por ação ordinária $ 20,24 $ 20,40 $ 20,09
Valor contábil tangível por ação ordinária (2) 13,36 13,48 12,95

(1) Exclui encargos de fusão e reestruturação e encargos de depreciação do fundo de comércio.

(2) Retorno sobre a média de patrimônio acionário tangível e valor contábil tangível por ação ordinária são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte Conciliação com medidas financeiras GAAP, nas páginas 25 a 28.

(3) Coeficientes não incluem empréstimos contabilizados de acordo com a opção de justo valor durante o período. Os coeficientes de baixas foram anualizados para o demonstrativo trimestral.

(4) Os balanços não incluem cartão de crédito de consumo, empréstimos ao consumidor garantidos por imóveis, quando os pagamentos são garantidos pela Federal Housing Administration e contratos de stand-by de longo prazo individualmente garantidos (empréstimos residenciais totalmente garantidos) e, em geral, outros empréstimos comerciais e de consumo não garantidos por imóveis; empréstimos adquiridos com crédito prejudicado, mesmo com o cliente contratualmente em atraso; empréstimos vencidos mantidos para venda; empréstimos vencidos informados de acordo com a opção de justo valor; empréstimos reestruturados de dívidas problemáticas não acumuladas removidas do portfólio de crédito prejudicado adquirido, antes de 1.° de janeiro de 2010.

(5) Reflete os dados preliminares do capital sujeito a risco do período atual.

(6) Coeficiente de patrimônio ordinário de nível I é igual ao capital de nível I excluindo ações preferenciais, títulos fiduciários preferenciais, títulos híbridos e participação minoritária, dividido por ativos ponderados pelo risco.

(7) Coeficiente de capital tangível é igual ao patrimônio acionário tangível do final do período dividido pelos ativos tangíveis do final do período. Patrimônio ordinário tangível é igual a patrimônio ordinário tangível dos acionistas ao final do período, dividido por ativos tangíveis ao final do período. Patrimônio tangível dos acionistas e ativos tangíveis são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte Conciliação com medidas financeiras GAAP, nas páginas 25 a 28.

(8) As estimativas do Basileia III são baseadas na NPR avançada do Basileia III nos Estados Unidos.

(9) Inclui 400 milhões de ações ordinárias emitidas como parte da troca de títulos fiduciários preferenciais e ações preferenciais no quarto trimestre de 2011.

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

 
Bank of America Corporation e subsidiárias
Resultados trimestrais por segmento de negócios
(Em milhões de dólares)
      Quarto trimestre de 2012

Consumer &

Business

Banking

      Consumer

Real Estate

Services

      Global

Banking

      Global

Markets

      GWIM       Todos

os demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE) (1) $ 7.204 $ 468 $ 4.326 $ 2.844 $ 4.194 $ (145 )
Provisão para perdas de crédito 963 485 180 16 112 448
Despesa não decorrente de juros 4.121 5.629 1.946 2.498 3.195 971
Receita (perda) líquida 1.428 (3.722 ) 1.432 152 578 864
Retorno sobre média de capital alocado 10,48 % n/s 12,47 % 3.39 % 12.43 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 23,94 n/s 27,32 4,63 28.46 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 132.421 $ 97.912 $ 278.218 n/s $ 103.785 $ 245.820
Total de depósitos 486.467 n/s 268.045 n/s 249.658 36.939
Patrimônio alocado 54.194 12.525 45.729 $ 17.859 18.508 89.697
Capital econômico (2) 23.777 12.525 20.880 13.210 8.149 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 134.657 $ 95.972 $ 288.261 n/s $ 105.928 $ 240.667
Total de depósitos 498.669 n/s 269.738 n/s 266.188 36.061
 
Terceiro trimestre de 2012

Consumer &

Business

Banking

Consumer

Real Estate

Services

Global

Banking

Global

Markets

GWIM Todos os

Demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE) (1) $ 7.070 $ 3.096 $ 4.146 $ 3.109 $ 4.083 $ (847 )
Provisão para perdas de crédito 970 264 68 21 61 390
Despesa não decorrente de juros 4.061 4.223 2.021 2.548 3.128 1.563
Receita (perda) líquida 1.285 (876 ) 1.296 (359 ) 562 (1.568 )
Retorno sobre média de capital alocado 9,47 % n/s 11,15 % n/s 12,27 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 21,77 n/s 24,14 n/s 28.81 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 133.881 $ 103.708 $ 267.390 n/s $ 101.016 $ 254.894
Total de depósitos 480.342 n/s 252.226 n/s 241.411 39.262
Patrimônio alocado 53.982 13.332 46.223 $ 17.070 18.229 87.203
Capital econômico (2) 23.535 13.332 21.371 12.419 7.840 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 133.308 $ 99.890 $ 272.052 n/s $ 102.390 $ 251.345
Total de depósitos 486.857 n/s 260.030 n/s 243.518 37.554
 
Quarto trimestre de 2011

Consumer &

Business

Banking

Consumer

Real Estate

Services

Global

Banking

Global

Markets

GWIM Todos os

Demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE) (1) $ 7.606 $ 3.275 $ 4.002 $ 1.807 $ 3.943 $ 4.513
Provisão para perdas de crédito 1.297 1.001 (256 ) (18 ) 118 792
Despesa não decorrente de juros 4.429 4.569 2.136 2.895 3.392 2.101
Receita (perda) líquida 1.242 (1.442 ) 1.337 (768 ) 272 1.350
Retorno sobre média de capital alocado 9,30 % n/s 11,51 % n/s 6,22 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 22,08 n/s 25,06 n/s 16,02 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 147.150 $ 116.993 $ 276.850 n/s $ 97.722 $ 277.744
Total de depósitos 459.819 n/s 240.757 n/s 237.098 58.946
Patrimônio alocado 53.004 14.757 46.087 $ 19.806 17.366 77.215
Capital econômico (2) 22.417 14.757 21.188 15.154 6.914 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 146.378 $ 112.359 $ 278.177 n/s $ 98.654 $ 272.385
Total de depósitos 464.264 n/s 246.360 n/s 240.540 45.532

(1) Base equivalente totalmente tributável é um indicador de desempenho usado pela administração para operar os negócios que acredita dar aos investidores uma visão mais correta da margem de juros para fins comparativos.

(2) O retorno sobre a média do capital econômico é calculado como a receita líquida ajustada para custo de fundos e ganhos de crédito e certas despesas relativas a intangíveis, divididas pela média do capital econômico. O capital econômico representa o patrimônio alocado menos fundo de comércio e uma porcentagem dos ativos intangíveis (excluindo direitos de serviço de hipotecas). Capital econômico e retorno sobre média de capital econômico são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte Conciliação com medidas financeiras GAAP, nas páginas 25 a 28.

n/s = não significativo

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados entre os segmentos para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

 
Bank of America Corporation e subsidiárias
Resultados anuais por segmento de negócio
(Em milhões de dólares)                                
Ano encerrado em 31 de dezembro de 2012
Consumer &

Business

Banking

Consumer

Real Estate

Services

Global

Banking

Global

Markets

GWIM Todos

os demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE) (1) $ 29.023 $ 8.759 $ 17.207 $ 13.519 $ 16.517 $ (790 )
Provisão para perdas de crédito 3.941 1.442 103 ) 3 266 2.620
Despesa não decorrente de juros 16.793 17.306 8.308 10.839 12.755 6.092
Receita (perda) líquida 5.321 (6.507 ) 5.725 1.054 2.223 (3.628 )
Retorno sobre média de capital alocado 9,92 % n/s 12,47 % 5,99 % 12,53 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 23,01 n/s 27,21 8,20 30,52 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 136.171 $ 104.754 $ 272.625 n/s $ 100.456 $ 258.012
Total de depósitos 477.440 n/s 249.317 n/s 242.384 43.083
Patrimônio alocado 53.646 13.687 45.907 $ 17.595 17.739 87.103
Capital econômico (2) 23.178 13.687 21.053 12.956 7.359 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 134.657 $ 95.972 $ 288.261 n/s $ 105.928 $ 240.667
Total de depósitos 498.669 n/s 269.738 n/s 266.188 36.061
 
Ano encerrado em 31 de dezembro de 2011
Consumer &

Business

Banking

Consumer

Real Estate

Services

Global

Banking

Global

Markets

GWIM Todos os

Demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE) (1) $ 32.880 $ (3.154 ) $ 17.312 $ 14.798 $ 16.495 $ 16.095
Provisão para perdas de crédito 3.490 4.524 (1.118 ) (56 ) 398 6.172
Despesa não decorrente de juros 17.719 21.791 8.884 12.244 13.383 6.253
Receita (perda) líquida 7.447 (19.465 ) 6.046 988 1.718 4.712
Retorno sobre média de capital alocado 14,07 % n/s 12,76 % 4,36 % 9,90 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 33,52 n/s 26,59 5,54 25,46 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 153.641 $ 119.820 $ 265.568 n/s $ 96.974 $ 289.010
Total de depósitos 462.087 n/s 237.312 n/s 241.535 62.582
Patrimônio alocado 52.908 16.202 47.384 $ 22.671 17.352 72.578
Capital econômico (2) 22.273 14.852 22.761 18.046 6.866 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 146.378 $ 112.359 $ 278.177 n/s $ 98.654 $ 272.385
Total de depósitos 464.264 n/s 246.360 n/s 240.540 45.532

(1) Base equivalente totalmente tributável é um indicador de desempenho usado pela administração para operar os negócios que acredita dar aos investidores uma visão mais correta da margem de juros para fins comparativos.

(2) O retorno sobre a média do capital econômico é calculado como a receita líquida ajustada para custo de fundos e ganhos de crédito e certas despesas relativas a intangíveis, divididas pela média do capital econômico. O capital econômico representa o patrimônio alocado menos fundo de comércio e uma porcentagem dos ativos intangíveis (excluindo direitos de serviço de hipotecas). Capital econômico e retorno sobre média de capital econômico são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte Conciliação com medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28.

n/s = não significativo

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados entre os segmentos para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

 
Bank of America Corporation e subsidiárias
Dados financeiros complementares                              
(Em milhões de dólares)                    

Dados em base equivalente totalmente tributável (FTE)(1)

Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011
Receita líquida de juros $ 41.557 $ 45.588 $ 10.555 $ 10.167 $ 10.959
Receita total, líquida de despesa de juros 84.235 94.426 18.891 20.657 25.146
Rendimento líquido de juros (2) 2,35 % 2,48 % 2,35 % 2,32 % 2,45 %
Coeficiente de eficiência 85,59 85,01 97,19 84,93 77,64
 
 

Outros dados

31 de dezembro de
2012
30 de setembro de
2012
31 de dezembro de
2011
Número de centros bancários - EUA 5.478 5.540 5.702
Número de caixas eletrônicos exclusivos - EUA 16.347 16.253 17.756
Funcionários equivalentes a tempo integral ao final do período 267.190 272.594 281.791

(1) Base FTE é uma medida financeira não GAAP. Base equivalente totalmente tributável (FTE) é um indicador de desempenho usado pela administração para operar os negócios que acredita dar aos investidores uma visão mais correta da margem de juros para fins comparativos. Consulte Conciliação com medidas financeiras GAAP nas páginas 25 a 28.

(2) O cálculo inclui ganhos sobre depósitos overnight no Federal Reserve e, iniciando no terceiro trimestre de 2012, os depósitos, principalmente os overnight realizados com alguns bancos centrais não norte-americanos, de US$ 189 milhões e US$ 186 milhões nos anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011; US$ 42 milhões e US$ 48 milhões no quarto e no terceiro trimestre de 2012, respectivamente, e US$ 36 milhões no quarto trimestre de 2011.

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias
Conciliação com medidas financeiras GAAP
(Em milhões de dólares)

A empresa avalia seus negócios com base em base equivalente totalmente tributável, uma medida financeira não GAAP. A empresa acredita que administrar os negócios com receita líquida de juros em base equivalente totalmente tributável oferece uma visão mais precisa da margem de juros para fins de comparação. Receita total líquida de despesas de juros inclui a renda líquida de juros em base equivalente totalmente tributável e a renda não decorrente de juros. A empresa considera os coeficientes e as análises correlatas (ou seja, os coeficientes de eficiência e a renda líquida de juros) em base equivalente totalmente tributável. Para gerar a base equivalente totalmente tributável, a receita líquida de juros é ajustada para refletir a receita com isenção fiscal em base equivalente antes dos impostos, com um aumento correspondente na despesa de imposto de renda. Esta medida garante a comparabilidade da receita líquida de juros resultante de fontes tributáveis e fontes com isenção fiscal. O coeficiente de eficiência mede os custos de geração de um dólar de receita, e o rendimento líquido de juros avalia os pontos de base que a empresa ganha sobre o custo de fundos.

A empresa também avalia seus negócios com base nos seguintes coeficientes que utilizam patrimônio tangível, uma medida financeira não GAAP. O retorno sobre o patrimônio ordinário tangível dos acionistas mede a contribuição dos ganhos da empresa como porcentagem da média de capital ordinário médio dos acionistas menos o fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. O retorno sobre o patrimônio tangível médio dos acionistas mede a contribuição dos ganhos da empresa como porcentagem da média de patrimônio dos acionistas menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviços hipotecários), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. O coeficiente de patrimônio ordinário tangível representa o patrimônio ordinário dos acionistas menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços hipotecários), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos, dividido pelo total de ativos menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviços hipotecários), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. O coeficiente de patrimônio tangível representa o patrimônio final total dos acionistas menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços hipotecários), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos, dividido pelo total de ativos menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviços hipotecários), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. Valor contábil tangível por ação ordinária representa o patrimônio ordinário final dos acionistas menos o fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviços hipotecários), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos, dividido por ações ordinárias finais em circulação. Estas medidas são usadas para avaliar o uso patrimonial (ou capital) da empresa. Além disso, lucratividade, relacionamentos e modelos de investimento usam o retorno sobre a média do patrimônio tangível dos acionistas como medidas essenciais para apoiar as metas gerais de crescimento.

Além disso, a empresa avalia os resultados dos seus segmentos de negócios com base no retorno sobre média de capital econômico, uma medida financeira não GAAP. O retorno sobre média de capital econômico para os segmentos é calculado como renda líquida ajustada para custo de fundos e ganhos de crédito e certas despesas relativas a intangíveis, dividida pela média de capital econômico. O capital econômico representa o patrimônio alocado menos o fundo de comércio e uma porcentagem dos ativos intangíveis (excluindo direitos de serviço de hipotecas). Acredita-se também que o uso desta medida financeira não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos segmentos.

Em algumas demonstrações, os ganhos e ganhos diluídos por ação ordinária, o coeficiente de eficiência, o retorno sobre a média de ativos, o retorno sobre o patrimônio ordinário dos acionistas, o retorno sobre o patrimônio ordinário médio tangível dos acionistas e o retorno sobre o patrimônio médio tangível dos acionistas são calculados excluindo o impacto dos encargos de depreciação do fundo de comércio de US$ 581 milhões e US$ 2,6 bilhões registrados no quarto e no segundo trimestres de 2011. Da mesma forma, estas são medidas financeiras não GAAP.

Confira as conciliações destas medidas financeiras não GAAP com as medidas financeiras definidas pela GAAP nos três meses encerrados em 31 de dezembro de 2012, 30 de setembro de 2012 e 31 de dezembro de 2011, e os anos encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011 nas tabelas abaixo e nas páginas 26 a 28. A empresa acredita que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para avaliação dos resultados da empresa. Outras empresas podem definir ou calcular dados financeiros complementares de outra maneira.

  Ano encerrado em
31 de dezembro de
        Quarto
trimestre de
2012
      Terceiro
trimestre de
2012
      Quarto
trimestre de
2011
2012   2011

Reconciliação da receita líquida de juros com receita líquida de juros em base equivalente totalmente tributável

 
Receita líquida de juros $ 40.656 $ 44.616 $ 10.324 $ 9.938 $ 10.701
Ajuste equivalente totalmente tributável 901   972   231   229   258  
Receita líquida de juros em base equivalente totalmente tributável $ 41.557   $ 45.588   $ 10.555   $ 10.167   $ 10.959  
 

Reconciliação de receita total, líquida de despesa de juros, com a receita total, líquida de despesa de juros em base equivalente totalmente tributável

 
Receita total, líquida de despesa de juros $ 83.334 $ 93.454 $ 18.660 $ 20.428 $ 24.888
Ajuste equivalente totalmente tributável 901   972   231   229   258  
Receita total, líquida de despesas de juros, em base equivalente totalmente tributável $ 84.235   $ 94.426   $ 18.891   $ 20.657   $ 25.146  
 

Conciliação de despesa total não decorrente de juros com a despesa total não decorrente de juros, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio

 
Despesa total não decorrente de juros $ 72.093 $ 80.274 $ 18.360 $ 17.544 $ 19.522
Encargos de depreciação do fundo de comércio   (3.184 )     (581 )
Despesa total não decorrente de juros, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio $ 72.093   $ 77.090   $ 18.360   $ 17.544   $ 18.941  
 

Reconciliação de despesa de imposto de renda (benefício) com despesa de imposto de renda (benefício) em base equivalente totalmente tributável

 
Despesa (benefício) de imposto de renda $ (1.116 ) $ (1.676 ) $ 2.636 ) $ 770 $ 441
Ajuste equivalente totalmente tributável 901   972   231   229   258  
Despesa com imposto de renda (benefício) em base equivalente totalmente tributável $ (215 ) $ (704 ) $ (2.405 ) $ 999   $ 699  
 

Conciliação entre renda líquida com renda líquida, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio

 
Receita líquida $ 4.188 $ 1.446 $ 732 $ 340 $ 1.991
Encargos de depreciação do fundo de comércio   3.184       581  
Renda líquida, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio $ 4.188   $ 4.630   $ 732   $ 340   $ 2.572  
 

Reconciliação entre receita (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários com receita (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários, excluindo os encargos de depreciação do fundo de comércio

 
Receita (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários $ 2.760 $ 85 $ 367 $ (33 ) $ 1.584
Encargos de depreciação do fundo de comércio   3.184       581  
Renda (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio $ 2.760   $ 3.269   $ 367   $ (33 ) $ 2.165  
 

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

 

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias                        
Reconciliações com medidas financeiras GAAP (continuação)
(Em milhões de dólares)
Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012   2011

Reconciliação entre a média de patrimônio ordinário dos acionistas com a média de patrimônio ordinário tangível dos acionistas

 
Patrimônio ordinário dos acionistas $ 216.996 $ 211.709 $ 219.744 $ 217.273 $ 209.324
Fundo de comércio (69.974 ) (72.334 ) (69.976 ) (69.976 ) (70.647 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços de hipoteca) 7.366 ) (9.180 ) (6.874 ) (7.194 ) (8.566 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.593   2.898   2.490   2.556   2.775  
Patrimônio ordinário tangível dos acionistas $ 142.249   $ 133.093   $ 145.384   $ 142.659   $ 132.886  
 

Reconciliação entre a média de patrimônio dos acionistas com o patrimônio médio tangível dos acionistas

 
Patrimônio dos acionistas $ 235.677 $ 229.095 $ 238.512 $ 236.039 $ 228.235
Fundo de comércio (69.974 ) (72.334 ) (69.976 ) (69.976 ) (70.647 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços de hipoteca) 7.366 ) (9.180 ) (6.874 ) (7.194 ) (8.566 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.593   2.898   2.490   2.556   2.775  
Patrimônio tangível dos acionistas $ 160.930   $ 150.479   $ 164.152   $ 161.425   $ 151.797  
 

Reconciliação entre patrimônio ordinário dos acionistas ao final do período com patrimônio ordinário tangível dos acionistas ao final do período

 
Patrimônio ordinário dos acionistas $ 218.188 $ 211.704 $ 218.188 $ 219.838 $ 211.704
Fundo de comércio (69.976 ) (69.967 ) (69.976 ) (69.976 ) (69.967 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços de hipoteca) (6.684 ) (8.021 ) (6.684 ) (7.030 ) (8.021 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.428   2.702   2.428   2.494   2.702  
Patrimônio ordinário tangível dos acionistas $ 143.956   $ 136.418   $ 143.956   $ 145.326   $ 136.418  
 

Reconciliação de patrimônio dos acionistas ao final do período com patrimônio tangível dos acionistas ao final do período

 
Patrimônio dos acionistas $ 236.956 $ 230.101 $ 236.956 $ 238.606 $ 230.101
Fundo de comércio (69.976 ) (69.967 ) (69.976 ) (69.976 ) (69.967 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços de hipoteca) (6.684 ) (8.021 ) (6.684 ) (7.030 ) (8.021 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.428   2.702   2.428   2.494   2.702  
Patrimônio tangível dos acionistas $ 162.724   $ 154.815   $ 162.724   $ 164.094   $ 154.815  
 

Reconciliação de ativos ao final do período com ativos tangíveis ao final do período

 
Ativos $ 2.209.974 $ 2.129.046 $ 2.209.974 $ 2.166.162 $ 2.129.046
Fundo de comércio (69.976 ) (69.967 ) (69.976 ) (69.976 ) (69.967 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços de hipoteca) (6.684 ) (8.021 ) (6.684 ) (7.030 ) (8.021 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.428   2.702   2.428   2.494   2.702  
Ativos tangíveis $ 2.135.742   $ 2.053.760   $ 2.135.742   $ 2.091.650   $ 2.053.760  
 

Valor contábil por ação ordinária

 
Patrimônio ordinário dos acionistas $ 218.188 $ 211.704 $ 218.188 $ 219.838 $ 211.704
Ações ordinárias emitidas e em circulação no final do período 10.778.264   10.535.938   10.778.264   10.777.267   10.535.938  
Valor contábil por ação ordinária $ 20,24   $ 20,09   $ 20,24   $ 20,40   $ 20,09  
 

Valor contábil tangível por ação ordinária

 
Patrimônio ordinário tangível dos acionistas $ 143.956 $ 136.418 $ 143.956 $ 145.326 $ 136.418
Ações ordinárias emitidas e em circulação no final do período 10.778.264   10.535.938   10.778.264   10.777.267   10.535.938  
Valor contábil tangível por ação ordinária $ 13,36   $ 12,95   $ 13,36   $ 13,48   $ 12,95  
 

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

 

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias                        
Reconciliações com medidas financeiras GAAP (continuação)                              
(Em milhões de dólares)
Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011

Reconciliação de retorno sobre média de capital econômico

 

Consumer & Business Banking

 
Receita líquida informada $ 5.321 $ 7.447 $ 1.428 $ 1.285 $ 1.242
Ajuste relativo a intangíveis (1) 13   20   3   3   5  
Receita líquida ajustada $ 5.334   $ 7.467   $ 1.431   $ 1.288   $ 1.247  
 
Média do patrimônio alocado $ 53.646 $ 52.908 $ 54.194 $ 53.982 $ 53.004
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis (30.468 ) (30.635 ) (30.417 ) (30.447 ) (30.587 )
Média de capital econômico $ 23.178   $ 22.273   $ 23.777   $ 23.535   $ 22.417  
 

Consumer Real Estate Services

 
Perda líquida informada $ (6.507 ) $ (19.465 ) $ (3.722 ) $ (876 ) $ (1.442 )
Ajuste relativo a intangíveis (1)
Encargos de depreciação do fundo de comércio   2.603        
Perda líquida ajustada $ (6.507 ) $ (16.862 ) $ (3.722 ) $ (876 ) $ (1.442 )
 
Média do patrimônio alocado $ 13.687 $ 16.202 $ 12.525 $ 13.332 $ 14.757
Ajuste relativo a fundo de comércio e porcentagem de intangíveis (excluindo direitos de serviços de hipotecas)   (1.350 )      
Média de capital econômico $ 13.687   $ 14.852   $ 12.525   $ 13.332   $ 14.757  
 

Global Banking

 
Receita líquida informada $ 5.725 $ 6.046 $ 1.432 $ 1.296 $ 1.337
Ajuste relativo a intangíveis (1) 4   6   1   1   1  
Receita líquida ajustada $ 5.729   $ 6.052   $ 1.433   $ 1.297   $ 1.338  
 
Média do patrimônio alocado $ 45.907 $ 47.384 $ 45.729 $ 46.223 $ 46.087
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis (24.854 ) (24.623 ) (24.849 ) (24.852 ) (24.899 )
Média de capital econômico $ 21.053   $ 22.761   $ 20.880   $ 21.371   $ 21.188  
 

Global Markets

 
Renda (perda) líquida informada $ 1.054 $ 988 $ 152 $ (359 ) $ (768 )
Ajuste relativo a intangíveis (1) 9   12   2   2   3  
Receita (perda) líquida ajustada $ 1.063   $ 1.000   $ 154   $ (357 ) $ (765 )
 
Média do patrimônio alocado $ 17.595 $ 22.671 $ 17.859 $ 17.070 $ 19.806
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis 4.639 ) (4.625 ) (4.649 ) (4.651 ) (4.652 )
Média de capital econômico $ 12.956   $ 18.046   $ 13.210   $ 12.419   $ 15.154  
 

Global Wealth and Investment Management

 
Receita líquida informada $ 2.223 $ 1.718 $ 578 $ 562 $ 272
Ajuste relativo a intangíveis (1) 23   30   5   6   7  
Receita líquida ajustada $ 2.246   $ 1.748   $ 583   $ 568   $ 279  
 
Média do patrimônio alocado $ 17.739 $ 17.352 $ 18.508 $ 18.229 $ 17.366
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis (10.380 ) (10.486 ) (10.359 ) (10.389 ) (10.452 )
Média de capital econômico $ 7.359   $ 6.866   $ 8.149   $ 7.840   $ 6.914  
 

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

 

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias                      
Reconciliações com medidas financeiras GAAP (continuação)                                
(Em milhões de dólares)
Ano encerrado em
31 de dezembro de
Quarto
trimestre de
2012
Terceiro
trimestre de
2012
Quarto
trimestre de
2011
2012 2011

Consumer & Business Banking

 

Depósitos

 
Receita líquida informada $ 917 $ 1.217 $ 216 $ 207 $ 154
Ajuste relativo a intangíveis (1) 1   3       1  
Receita líquida ajustada $ 918   $ 1.220   $ 216   $ 207   $ 155  
 
Média do patrimônio alocado $ 24.329 $ 23.734 $ 25.076 $ 25.047 $ 23.861
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis 17.924 ) 17.948 ) 17.915 ) 17.920 ) (17.939 )
Média de capital econômico $ 6.405   $ 5.786   $ 7.161   $ 7.127   $ 5.922  
 

Card Services

 
Receita líquida informada $ 4.061 $ 5.811 $ 1.099 $ 994 $ 1.028
Ajuste relativo a intangíveis (1) 12   17   3   3   4  
Receita líquida ajustada $ 4.073   $ 5.828   $ 1.102   $ 997   $ 1.032  
 
Média do patrimônio alocado $ 20.578 $ 21.127 $ 20.652 $ 20.463 $ 20.610
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis (10.447 ) (10.589 ) (10.405 ) 10.429 ) (10.549 )
Média de capital econômico $ 10.131   $ 10.538   $ 10.247   $ 10.034   $ 10.061  
 

Business Banking

 
Receita líquida informada $ 343 $ 419 $ 113 $ 84 $ 60
Ajuste relativo a intangíveis (1)          
Receita líquida ajustada $ 343   $ 419   $ 113   $ 84   $ 60  
 
Média do patrimônio alocado $ 8.739 $ 8.047 $ 8.466 $ 8.472 $ 8.533
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis 2.097 ) (2.098 ) 2.097 ) (2.098 ) (2.099 )
Média de capital econômico $ 6.642   $ 5.949   $ 6.369   $ 6.374   $ 6.434  

(1) Representa custo de fundos, créditos de ganhos e despesas específicas relativas a intangíveis.

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Os investidores podem entrar em contato com:
Kevin Stitt, Bank of America. 1 (980) 386-5667
Lee McEntire. Bank of America, 1 (980) 388-678
Repórteres podem entrar em contato com:
Jerry Dubrowski, Bank of America, 1 (980) 388-2840
jerome.f.dubrowski@bankofamerica.com

Sharing

Contacts

Os investidores podem entrar em contato com:
Kevin Stitt, Bank of America. 1 (980) 386-5667
Lee McEntire. Bank of America, 1 (980) 388-678
Repórteres podem entrar em contato com:
Jerry Dubrowski, Bank of America, 1 (980) 388-2840
jerome.f.dubrowski@bankofamerica.com