O Bank of America informa rendimento líquido de US$ 2,5 bilhões em 2012, ou US$ 0,19 por ação diluída

Coeficiente de patrimônio comum de nível 1 recorde de 11,24%, com base no acordo Basileia I, um aumento de 46 pontos base desde 31 de março de 2012.

Índice de patrimônio comum de nível 1, com base no acordo Basileia III, estimado em 8,10% em 30 de junho de 20121

Redução da dívida de longo prazo em US$53 bilhões desde o primeiro trimestre de 2012, conduzida por ações de gestão de responsabilidade e vencimentos; tempo exigido para financiamento ampliado para um recorde de 37 meses

Banco de investimentos classificado como n.º 2 em taxas bancárias líquidas globais de investimentos na primeira metade de 2012.

Gestão global de investimentos e fortunas informou taxas recorde de gestão de ativos de US$1,6 bilhão, conduzidas por ganhos de mercado e sólidos ativos de longo prazo sob fluxos de gestão

Originações hipotecárias de primeiro grau de até 18% a partir do primeiro trimestre de 2012

Saldos médios de depósitos de serviços bancários comerciais e de consumo aumentados em até US$10,3 bilhões, ou 2,2% desde o primeiro trimestre de 2012

Provisão para perdas de crédito reduzida para o nível mais baixo desde o primeiro trimestre de 2007, enquanto a qualidade do crédito continua a crescer.

Fase 2 do novo BAC deve produzir economias de custos anualizadas de US$3 bilhões até meados de 2015, com total das economias de custos anualizadas do novo BAC agora projetadas para atingir US$8 bilhões.

CHARLOTTE, Carolina do Norte - USA--()--O Bank of America Corporation informou hoje rendimentos líquidos de US$ 2,5 bilhões, ou US$ 0,19 por ação diluída no segundo trimestre de 2012, em comparação com um prejuízo líquido de US$ 8,8 bilhões, ou US$ 0,90 por ação diluída no segundo trimestre de 2011. O trimestre do ano anterior incluiu um total de US$18,2 bilhões em encargos antes dos impostos para certos itens de hipotecas e outros ajustes selecionados, incluindo provisões para representações e garantias e depreciação de fundo de comércio.2

Em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, os resultados do segundo trimestre de 2012 refletem maior renda do serviço bancário de hipoteca, conduzida em grande parte por menores provisões de representação, ausência de encargos de depreciação do fundo de comércio e maior qualidade de crédito na maioria dos principais portfólios. Além disso, a empresa tem sólidas contribuições dos negócios de serviços bancários comerciais e corporativos e de gestão patrimonial. Isto foi parcialmente compensado por menor renda líquida de juros do contínuo ambiente de taxas baixas e menores níveis de empréstimos.

"Numa economia global desafiadora, ainda vemos oportunidades de fazer mais com nossos clientes. Os empréstimos para empresas comerciais aumentaram pelo sexto trimestre consecutivo -- com empréstimos e compromissos com pequenas empresas subindo 23% em um ano -- e o crédito de consumo na sua melhor forma em anos", disse Brian Moynihan, diretor executivo. "Nesse trimestre ultrapassamos os dez milhões de clientes de serviços bancários móveis, um aumento de 34% em um ano. Com cerca de 45 mil novos clientes móveis por semana, estamos adaptando para atender às necessidades do cliente e fazer ainda mais com eles".

"Mais uma vez, tivemos uma forte geração de capital nesse trimestre através da combinação de aumento de ganhos e redução dos ativos ponderados por risco", disse o diretor financeiro Bruce Thompson. "Em um ano, nossos índices de patrimônio comum de nível 1 passaram do mais baixo dos principais bancos americanos para os mais altos, e vimos mantendo nossos fortes níveis de liquidez mesmo quando reduzimos nossa dívida de longo prazo em US$125 bilhões".

Em 30 de junho de 2012, o coeficiente de capital comum de nível 1, de acordo com Basilea III em base inteiramente gradual foi estimado em 8,10%. Isso é comparável com a orientação anterior da empresa de atingir um coeficiente de patrimônio comum de nível 1 com base no acordo Basileia III, de mais de 7,5% em base inteiramente gradual, até o final de 2012.

"O fato de termos ultrapassado nossa orientação anterior para Basileia III, seis meses antes de atribuir pontos para o progresso significativo que fizemos nesse ano para criar capital, reduz ativos ponderados por risco e posiciona a empresa para o crescimento a longo prazo", acrescentou Thompson.

1

  O coeficiente de capital comum de Basileia I é baseado em hipóteses relativas às regras finais do Basileia III e devem evoluir com o tempo, à medida que as regras do Basileia III evoluem e os negócios da empresa mudam. Para outras informações, confira a seção sobre capital e liquidez deste comunicado à imprensa, na página 15.
2 Consulte as páginas 15-16 do comunicado à imprensa sobre o segundo trimestre de 2011, datado de 19 de julho de 2011, para a tabela indicativa dos itens de hipoteca e outros ajustes selecionados.
 

Destaques financeiros selecionados

 
    Três meses encerrados
(Em milhões de dólares exceto por dados de ação)    

30 de junho de
2012

   

31 de março de
2012

   

30 de junho de
2011

Renda líquida de juros, base FTE1 $ 9.782     $ 11.053     $ 11.493
Receita não decorrente de juros 12.420 11.432 1.990
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE 22.202 22.485 13.483
Provisão para perdas de crédito 1.773 2.418 3.255
Despesa não decorrente de juros2 17.048 19.141 22.856
Receita (perda) líquida 2.463 653 (8.826 )
Ganhos diluídos por ação ordinária     $ 0,19     $ 0,03     $ (0,90 )

1

  1 Base equivalente totalmente tributável (FTE) é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27 deste comunicado. A renda líquida de juros em base GAAP foi de US$ 9,5 bilhões, US$ 10,8 bilhões e US$ 11,2 bilhões nos três meses encerrados em 30 de junho de 2012, 31 de março de 2012, 30 de junho de 2011. Receita total, líquida de despesas com juros, em base GAAP foi de US$22,0 bilhões, US$22,3 bilhões e US$13,2 bilhões nos três meses encerrados em 30 de junho de 2012, 31 de março, 2012 e 30 de junho de 2011.
2 Inclui um encargo de depreciação do fundo de comércio de US$ 2,6 bilhões no segundo trimestre de 2011.
 

Principais destaques dos negócios

Durante o segundo trimestre de 2012, a empresa alcançou progresso significativo, em linha com seus princípios operacionais, incluindo os seguintes desenvolvimentos:

Ser orientada para o cliente

  • O Bank of America ampliou aproximadamente US$107 bilhões em crédito no segundo trimestre de 2012 Isso incluiu US$68,4 bilhões em empréstimos comerciais não relativos a imóveis, US$18,0 bilhões em hipotecas residenciais iniciais, US$8,2 bilhões em empréstimos de imóveis comerciais, US$4,3 bilhões em cartões de consumo e cartões de pequenas empresas nos Estados Unidos, US$930 milhões em produtos de empréstimo com garantia hipotecária e US$6,7 bilhões em outros créditos de consumo.
  • Os US$ 18,0 bilhões em hipotecas iniciais residenciais financiadas no segundo trimestre ajudaram a mais de setenta e dois mil proprietários de residências a comprar uma casa ou refinanciar a hipoteca existente. Isto incluiu aproximadamente cinco mil hipotecas iniciais de compradores de residências originadas por canais de varejo e mais de 22.000 hipotecas para tomadores de empréstimo de média ou baixa renda. Aproximadamente 19% das hipotecas iniciais financiadas foram para aquisição de residências e 81% foram refinanciamentos.
  • A empresa originou aproximadamente US$4,0 bilhões em empréstimos e compromissos com pequenas empresas nos primeiros seis meses de 2012, um aumento de 23% em comparação com o mesmo período do ano anterior, refletindo seu contínuo foco no apoio a pequenas empresas.
  • A empresa levantou US$125 bilhões em capital para clientes no segundo trimestre de 2012, o que ajudou os clientes a apoiar a economia.
  • Os saldos de empréstimos de fim de período em Gestão global de investimentos e fortunas aumentou US$2,5 bilhões, ou 2,4% em comparação com o primeiro trimestre de 2012, atingindo um recorde de US$105,4 bilhões em maiores empréstimos baseados em valores mobiliários.
  • O Bank of America continuou a aumentar sua equipe de mais de dezessete mil e quinhentos consultores financeiros durante o segundo trimestre de 2012. O número total de profissionais de atendimento direto ao cliente em gestão global de investimentos e fortunas, incluindo os consultores financeiros dos serviços bancários de negócios e consumo, cresceu pelo 12° trimestre consecutivo.
  • A empresa continuou a aprofundar as relações com os clientes. O número de clientes de serviços bancários móveis aumentou 34% desde o primeiro trimestre do ano anterior, para dez milhões e trezentos mil clientes, e o número de contas de cartões de crédito de consumo nos EUA, abertas no segundo trimestre de 2012, cresceu 7% desde o mesmo trimestre do ano anterior.
  • A empresa continuou a expandir os relacionamentos com os clientes de serviços bancários corporativos e comerciais, com a média de empréstimos e arrendamentos industriais atingindo 11,5% em comparação com o segundo trimestre de 2011.
  • O Bank of America Merrill Lynch (BofA Merrill) continuou classificado como o n.º 2 globalmente em taxas bancárias de investimento líquidas na segunda metade de 2012, incluindo as negociações auto conduzidas, de acordo com a Dealogic.

Continuar a criar um balanço patrimonial fortalecido

  • Os coeficientes de capital regulatório aumentaram significativamente, com o coeficiente de capital comum de nível 1 do acordo de Basileia I aumentando para 11,24% no segundo trimestre de 2012, atingindo 46 pontos base em relação ao primeiro trimestre de 2012 e 301 pontos base a mais do que no segundo trimestre de 2011.
  • O coeficiente de capital comum de nível 1 do acordo de Basileia III em base inteiramente gradual foi estimado em 8,10% em 30 de junho de 2012. Isso é comparável à orientação prévia da empresa de atingir um coeficiente de capital comum de nível 1 do acordo de Basileia III de mais de 7,50% em base inteiramente gradual no final do ano de 2012.1
  • A empresa continuou a manter forte liquidez no segundo trimestre de 2012, ao mesmo tempo reduzindo a dívida de longo prazo. As fontes globais de excesso de liquidez totalizaram US$378 bilhões em 30 de junho de 2012, em comparação com os US$406 bilhões de 31 de março de 2012, e os US$402 bilhões de 30 de junho de 2011 A dívida de longo prazo foi reduzida para US$302 bilhões em 30 de junho de 2012, dos US$355 bilhões de 31 de março de 2012 e os US$427 bilhões de 30 de junho de 2011.
  • O financiamento com prazo aumento para um recorde de 37 meses em 30 de junho de 2012, em comparação com os 31 meses em 31 de março de 2012 e 22 meses em 30 de junho de 2011.

1

 

O coeficiente de capital comum de nível 1 do acordo de Basileia é baseado em hipóteses relativas às regras finais do referido acordo de Basileia III, e deve evoluir com o tempo, à medida que as regras acordo de Basileia III evoluem e os negócios da empresa mudam. Para outras informações, confira a seção sobre capital e liquidez desse comunicado à imprensa, na página 15.

 

Boa administração de riscos

  • As provisões para perdas de crédito foram reduzidas em 46% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, refletindo uma melhor qualidade de crédito em todos os principais portfólios comerciais e de consumo e o impacto das mudanças de subscrição implementadas durante os últimos anos.
  • A provisão de perdas de empréstimos e arrendamentos para o coeficiente de cobertura de baixas líquidas anualizadas foi de 2,08 vezes no segundo trimestre de 2012, em comparação com 1,97 vezes no primeiro trimestre de 2012 e 1,64 vezes no segundo trimestre de 2011. Excluindo os empréstimos com crédito prejudicado adquiridos, as provisões para o coeficiente de cobertura anualizada líquida de baixas atingiu 1,46 vezes, 1,43 vezes e 1,28 vezes nos mesmos períodos, respectivamente.
  • A empresa continuou a administrar com prudência suas exposições soberanas e não soberanas na Europa. A exposição total para Grécia, Itália, Irlanda, Portugal e Espanha, excluindo a proteção de inadimplência líquida de crédito, foi reduzida para US$9,6 bilhões em 30 de junho de 2012, em comparação com os US$9,8 bilhões de 31 de março de 2012 e os US$16,7 bilhões de 30 de junho de 2011.

Distribuição para nossos acionistas

  • A empresa continuou a focalizar o fortalecimento do balanço através do aumento de capital e manutenção de forte liquidez e níveis de reserva.
  • O valor contábil tangível por ação1 aumentou para US$13,22 em 30 de junho de 2012, em comparação com os US$12,87 de 31 de março de 2012 e os US$12,65 de 30 de junho de 2011. O valor contábil por ação foi de US$20,16 em 30 de junho de 2012, em comparação com os US$19,83 de 31 de março de 2012 e os US$20,29 de 30 de junho de 2011.
  • Durante o trimestre, a empresa retirou US$5,5 bilhões de dívidas e títulos mobiliários preferenciais de caixa que resultaram em ganhos totais de US$505 milhões. Essas ações, combinadas com os vencimentos da dívida no segundo trimestre de 2012 e as ações de gestão de responsabilidade anunciadas para o terceiro trimestre de 2012, devem beneficiar a renda de juros líquida trimestral em aproximadamente US$300 milhões, dos quais US$60 milhões foram reconhecidos no segundo trimestre de 2012.
1   Valor patrimonial tangível por ação ordinária é uma medida não GAAP. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Para saber sobre a conciliação com as medidas GAAP, consulte as páginas 24 a 27 desse comunicado.
 

Boa administração da eficiência

  • As despesas não decorrentes de juros caíram para US$ 17,0 bilhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com os US$ 19,1 bilhões do primeiro trimestre de 2011 e os US$ 22,9 bilhões do segundo trimestre de 2011, enquanto a empresa continuou a se concentrar na simplificação e na dinamização dos negócios.
  • A empresa continuou a aprovar e a implementar ideias geradas pelos funcionários como parte do projeto Novo BAC. Até esta data, mais de 3.100 ideias enviadas por funcionários foram aceitas como iniciativas.
  • O Bank of America continua no caminho para ultrapassar sua meta anteriormente anunciada de atingir 20% dos US$5 bilhões em economias de custo anualizadas objetivados da Fase 1 até o final de 2012. Com as avaliações da Fase 2 agora completadas, a empresa espera obter um total de US$8 bilhões em economias de custo anualizadas a partir do Novo BAC, até meados de 2015.
  • Em 30 de junho de 2012, a empresa tinha 275.460 funcionários em tempo integral, uma redução de 3.288 funcionários, em comparação com o final do trimestre anterior, e 12.624 menos que em 30 de junho de 2011. Excluindo os aumentos de FTE para formar a equipe de serviços e ativos legados para lidar com os crescentes programas governamentais e privados de habitação, o número de funcionários em tempo integral foi reduzido em quase vinte mil em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

Resultados por segmento de negócios

A empresa informa resultados através de cinco segmentos de negócios: Consumer and Business Banking (CBB), Consumer Real Estate Services (CRES), Global Banking, Global Markets e Global Wealth and Investment Management (GWIM), com as operações remanescentes registradas em Todas as demais (All Other).

Consumer and Business Banking

 
    Três meses encerrados em
(em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

   

31 de março de
2012

   

30 de junho de
2011

Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 7.326     $ 7.422     $ 8.681
Provisão para perdas de crédito 1.131 877 400
Despesa não decorrente de juros 4.359 4.247 4.377
Receita líquida 1.156 1.455 2.502
Retorno sobre patrimônio médio 8,70 % 11,05 % 19,10 %
Retorno sobre média de capital econômico1 20,31 26,16 45.87
Média de empréstimos $ 136.872 $ 141.578 $ 155.122
Média de depósitos 476.580 466.240 467.179
 

Em 30 de junho de
2012

   

Em 31 de março de
2012

   

Em 30 de junho de
2011

Ativos de corretagem de clientes     $ 72.226       $ 73.422       $ 69.000  
1   Retorno sobre média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27 deste comunicado.
 

Destaques dos negócios

  • Integração com sucesso de onze milhões de clientes e 18,5 milhões de contas de depósito em uma plataforma bancária, que oferece aos clientes uma rede de serviços bancários consistentes e conveniente em toda a franquia.
  • O número das contas de cartões de crédito dos EUA abertas no segundo trimestre de 2012 subiu até 7% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Durante o segundo trimestre de 2012, o número de cartões BankAmericard Cash Rewards cresceu 37%, atingindo um 1,4 milhão.
  • O balanço da média de depósitos aumentou 2,0% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, conduzido pelo crescimento dos produtos líquidos num ambiente de baixas taxas. As taxas pagas sobre depósitos foram reduzidas em oito pontos base no segundo trimestre de 2012, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, em razão da disciplina de preços e da mudança no mix de depósitos.

Panorama financeiro

Consumer and Business Banking (serviços bancários de negócios e consumo) informaram receita líquida de US$1,2 bilhão, uma redução de US$1,3 bilhão em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, em razão da redução da receita e maiores custos de crédito.

A receita de US$7,3 bilhões foi reduzida em US$1,4 bilhão em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. O rendimento líquido de juros de US$4,7 bilhões foi reduzida em US$845 milhões, principalmente em razão de menores empréstimos médios e o contínuo ambiente de baixas taxas.

A receita não juros foi reduzida em US$510 milhões, para US$2,6 bilhões, principalmente em razão da implementação das regras de taxa de intercâmbio de cartões de crédito como resultado da Emenda Durbin, e um ganho sobre a venda de certos portfólios no segundo trimestre de 2011. As provisões para perdas de crédito, principalmente nos negócios de serviços de cartão aumentaram US$731 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, atingindo US$1,1 bilhão, já que as tendências do portfólio começaram a estabilizar. As baixas líquidas foram reduzidas para US$1,7 bilhão no segundo trimestre de 2012, em comparação com os US$2,6 bilhões do mesmo trimestre do ano anterior.

A despesa sem juros de US$4,4 bilhões continuou relativamente inalterada desde o mesmo trimestre do ano anterior, enquanto despesas operacionais menores foram compensadas por um aumento da despesa com litígios.

Consumer Real Estate Services (Serviços de imóveis de consumo)

 
    Três meses encerrados em
(em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

   

31 de março de
2012

   

30 de junho de
2011

Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 2.521     $ 2,674     $ (11.315 )
Provisão para perdas de crédito 186 507 1.507
Despesa não decorrente de juros1 3.556 3.905 8.625
Perda líquida (768 ) (1.145 ) (14.506 )
Média de empréstimos 106.725 110.755 121.683
 

Em 30 de junho de
2012

   

Em 31 de março de
2012

   

Em 30 de junho de
2011

Empréstimos do final de período     $ 105.304       $ 109.264       $ 121.553  

1 Inclui encargos de depreciação do fundo de comércio de US$ 2,6 bilhões no segundo trimestre de 2011.

Destaques dos negócios

  • O Bank of America financiou US$18,9 bilhões em empréstimos residenciais e empréstimos de garantia hipotecária durante o segundo trimestre de 2012, em comparação com os US$16,0 bilhões do primeiro trimestre de 2012 e os US$19,6 bilhões do segundo trimestre de 2011, excluindo as originações correspondentes.
  • O portfólio hipotecário oferecido aos investidores foi reduzido para US$1,2 trilhão no final do segundo trimestre de 2012 em comparação com US$1,3 trilhão do final do primeiro trimestre de 2012 e US$1,6 trilhão do final do segundo trimestre de 2011. Os direitos de serviço de hipoteca capitalizados (MSR) como porcentagem do portfólio foram reduzidos para 47 pontos base em 30 de junho de 2012 em comparação com os 58 pontos base de 31 de março de 2012 e os 78 pontos base de 30 de junho de 2011. O balanço MSR foi de US$ 5,7 bilhões em 30 de junho de 2012, em comparação com US$ 7,6 bilhões de 31 de março de 2012 e US$ 12,4 bilhões em 30 de junho de 2011.
  • O número de empréstimos hipotecários iniciais com atraso de mais de sessenta dias gerenciados pela Legacy Asset Servicing foi reduzido para 1,06 milhão no final do segundo trimestre de 2012, em comparação com um 1,09 milhão do final do primeiro trimestre de 2012 e um 1,28 milhão do final do segundo trimestre de 2011.

Panorama financeiro

Consumer Real Estate Services informou perda líquida de US$ 768 milhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com uma perda líquida de US$ 14,5 bilhões no mesmo período de 2011. A melhoria resultou principalmente de maiores encargos hipotecários no mesmo período do ano anterior, incluindo US$14,0 bilhões em provisão de representações e garantias, um encargo de depreciação de fundo de comércio não caixa de US$2,6 bilhões e US$2,6 bilhões em outros custos hipotecários.

Enquanto os negócios de produção de empréstimos domésticos continuaram lucrativos, o contínuo aumento dos custos de gestão de empréstimos em atraso e devedores no portfólio de serviços combinado com os custos correlatos, com a administração de outras exposições hipotecárias herdadas resultaram na perda líquida geral do CRES (Commercial Real Estate Services) no trimestre.

A receita aumentou US$13,8 bilhões em comparação com o segundo trimestre de 2011, atingindo US$2,5 bilhões no segundo trimestre de 2012, conduzida por um maior rendimento de hipoteca bancária, parcialmente compensada pela menor renda de seguros resultante da venda da Balboa Insurance em meados de 2011. Os serviços hipotecários e a receita aumentaram em razão de menores provisões de garantias e representações e maior rendimento de serviços, impulsionados por resultados MSR mais favoráveis, líquidos de fundos de cobertura.

Com a redução de 62% dos financiamentos de empréstimos CRES, em comparação com o mesmo período de 2011, principalmente em razão da saída do canal correspondente no final de 2011, a receita da produção básica aumentou ligeiramente como resultado de aumento das margens sobre originações diretas.

A provisão para representações e garantias foi de US$ 395 milhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$14,0 bilhões no segundo trimestre de 2011. No mesmo período do ano anterior, a empresa registrou US$8,6 bilhões em provisões e outras despesas relativas ao acordo para resolver quase todas as exposições de recompra RMBS não GSE de crédito privilegiado emitido pela Countrywide, e US$5,4 bilhões em provisões relativos a outros não GSE, e em menor escala, a exposições GSE.

As provisões para perdas de crédito no segundo trimestre de 2012 foram reduzidas em US$1,3 bilhão no mesmo período do ano anterior, atingindo US$186 milhões, conduzidas pela melhoria das tendências do portfólio.

A despesa não juros, excluindo os US$2,6 bilhões do encargo de depreciação do fundo de comércio não caixa no segundo trimestre de 2011, foi reduzida em 41%, atingindo US$3,6 bilhões, principalmente em razão de menores despesas com litígios e avaliações hipotecárias, renúncias e outros custos semelhantes associados a atrasos de execução de hipoteca, além de menores despesas de produção direta resultantes de menor volume e da saída do empréstimo correspondente. Essas reduções foram parcialmente compensadas por maiores despesas de serviços relativos à inadimplência.

Global Banking

 
    Três meses encerrados em
(em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

   

31 de março de
2012

   

30 de junho de
2011

Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 4.285     $ 4.450     $ 4.659
Provisão para perdas de crédito (113 ) (238 ) (557 )
Despesa não decorrente de juros 2.165 2.177 2.221
Receita líquida 1.406 1.590 1.921
Retorno sobre patrimônio médio 12,31 % 13,98 % 16,37 %
Retorno sobre média de capital econômico1 26,83 30,67 34,06
Média de empréstimos e arrendamentos $ 267.812 $ 277.074 $ 260.144
Média de depósitos     239.054       237.531       235.662  
1   1 Retorno sobre média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27 deste comunicado.
 

Destaques dos negócios

  • O Bank of America Merrill Lynch (BAML) foi classificado globalmente como o n.º 2 em taxas líquidas bancárias de investimentos, incluindo negociações auto-conduzidas, na primeira metade de 2012, de acordo com a Dealogic. Durante o segundo trimestre de 2012, com base no volume de negócios, o BofA Merrill foi classificado globalmente como o n.º 1 em mercados de capital social e ficou entre os três principais bancos de dívida corporativa de alto rendimento, empréstimos alavancados, dívida conversível, subscrição de ações ordinárias, dívida corporativa de grau de investimento, títulos mobiliários apoiados em ativos e empréstimos em consórcio.
  • A média de arrendamentos e empréstimos aumentou US$ 7,7 bilhões, ou 3%, e a média de depósitos aumentou US$ 3,4 bilhões, ou 1% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.
  • A qualidade de crédito continuou a melhorar, enquanto os ativos não produtivos foram reduzidos em US$ 2,7 bilhões, ou 45%, e o total dos empréstimos críticos reserváveis foi reduzido em US$ 12,0 bilhões, ou 45%, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

Panorama financeiro

Global Banking informou renda líquida de US$1,4 bilhão, uma redução de US$515 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, como resultado de receitas mais baixas e benefícios de despesas de provisão compensadas por redução de despesas sem juros. A receita foi de US$4,8 bilhões, menos 8% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, principalmente em razão de menores taxas de serviços bancários de investimentos e majoração de certos portfólios adquiridos.

A receita do Global Corporate Banking aumentou para US$1,5 bilhão no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$1,4 bilhão do mesmo trimestre do ano anterior, enquanto a receita do Global Commercial Banking foi reduzida para US$2,0 bilhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$2,3 bilhões do segundo trimestre de 2011. A receita do Business Lending foi de US$2,0 bilhões no segundo trimestre de 2012, abaixo dos US$2,2 bilhões do mesmo trimestre do ano anterior. A receita dos Treasury Services - serviços do tesouro - foi de US$1,5 bilhão no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$1,6 bilhão no segundo trimestre de 2011. As taxas bancárias de investimentos em toda a empresa, incluindo negócios auto-conduzidos, foram reduzidas para US$ 1,2 bilhão, dos US$ 1,7 bilhão do mesmo trimestre do ano anterior, principalmente em razão de menor receita de taxas de subscrição.

As provisões para perdas de crédito tiveram um benefício de US$113 milhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com um benefício de US$557 milhões no mesmo trimestre do ano anterior. A qualidade dos ativos continuou a melhorar em todos os principais portfólios, com reduções em balanços de empréstimos críticos reserváveis. A despesa não decorrente de juros foi de US$2,2 bilhões, uma redução de 3% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, principalmente em razão de menores despesas com pessoal.

A média de empréstimos e arrendamentos aumentou US$ 7,7 bilhões, ou 3% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, em razão do crescimento dos empréstimos comerciais domésticos e internacionais e das finanças comerciais internacionais. A média de depósitos aumentou US$3,4 bilhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, enquanto os balanços continuaram a crescer a partir de excesso de liquidez do mercado e das opções limitadas de investimento alternativo.

Global Markets

 
    Três meses encerrados em
(em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

   

31 de março de
2012

   

30 de junho de
2011

Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 3.365     $ 4.193     $ 4.413
Provisão para perdas de crédito (14 ) (20 ) (8 )
Despesa não decorrente de juros 2.711 3.076 3.263
Receita líquida 462 798 911
Retorno sobre patrimônio médio 10,84 % 17,52 % 15,90 %
Retorno sobre média de capital econômico1 14,92 23,54 19,99
Total da média dos ativos     $ 581.952       $ 558.594       $ 622.915  
1   Retorno sobre média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27 deste comunicado.
 

Destaques dos negócios

  • A receita de vendas e comércio atingiu US$3,2 bilhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$3,8 bilhões do primeiro trimestre de 2012 e US$3,7 bilhões no segundo trimestre de 2011. A receita de vendas e comércio, excluindo as perdas de DVA, atingiu US$3,3 bilhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$5,2 bilhões do primeiro trimestre de 2012 e US$3,60 bilhões no segundo trimestre de 2011.
  • Os ativos ponderados por risco nos negócios de Global Markets foram reduzidos para US$196 bilhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com os US$243 bilhões do segundo trimestre de 2011, enquanto a empresa continuou a reduzir as exposições de risco herdadas.

Panorama financeiro

A receita de Global Markets foi reduzida em US$1,0 bilhão em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, para US$3,4 bilhões, em razão de menores volumes comerciais, nova atividade de emissão e fluxos de clientes. O trimestre atual incluiu perdas de DVA de US$156 milhões, em comparação com os ganhos de US$123 milhões no mesmo trimestre do ano anterior.

A renda líquida foi de US$462 milhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com a renda líquida de US$911 milhões no mesmo trimestre do ano anterior. A despesa sem juros de US$2,7 bilhões foi reduzida em US$552 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, principalmente conduzida por uma redução das despesas com pessoal.

A receita de negócios e da venda de commodities, moeda e renda fixa, excluindo DVA, foi de US$2,6 bilhões no segundo trimestre de 2012, mantida em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior e US$1,6 bilhão menor do que no primeiro trimestre de 2012. A incerteza do mercado resultante da crise da zona do Euro e o menor crescimento econômico contribuíram para uma redução dos volumes comerciais e menor apetite por risco entre os investidores. A receita de negócios e da venda de ações, excluindo as perdas de DVA, foi de US$759 milhões, uma redução de US$318 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Os volumes continuaram em níveis baixos, com impacto sobre as receitas de comissões e de negócios.

Global Wealth and Investment Management (gestão global de investimento e fortuna)

 
    Três meses encerrados em
(em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

   

31 de março de
2012

   

30 de junho de
2011

Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 4.317     $ 4.360     $ 4.495
Provisão para perdas de crédito 47 46 72
Despesa não decorrente de juros 3.408 3.450 3.624
Receita líquida 543 547 513
Retorno sobre patrimônio médio 12,15 % 12,78 % 11,71 %
Retorno sobre média de capital econômico1 30,03 33,81 30,45
Média de empréstimos $ 104.102 $ 103.036 $ 102.201
Média de depósitos 251.121 252.705 255.432
 
(em bilhões de dólares)

Em 30 de junho de
2012

   

Em 31 de março de
2012

   

Em 30 de junho de
2011

Ativos administrados $ 682,2 $ 693,0 $ 661,0
Total de saldos de clientes2     2.192,1       2.241,3       2.205,7  
1   1 Retorno sobre média de capital econômico é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27 deste comunicado.
2 O total de saldos de clientes é definido como ativos administrados, ativos em custódia, ativos de corretagem de clientes, depósitos e empréstimos de clientes (incluindo as margens a receber).
 

Destaques dos negócios

  • A margem antes de impostos para o primeiro trimestre de 2012 foi de 20%, em comparação com 18% do mesmo trimestre do ano anterior.
  • As taxas recorde de gestão de ativos de US$1,6 bilhão foram conduzidas por ganhos de mercado e ativos sólidos de longo prazo de acordo com fluxos de gestão.
  • Os balanços de empréstimo de fim de período de Global Wealth and Investment Management - Gestão global de investimentos e fortunas - cresceu US$2,5 bilhões, ou 2,4% em comparação com o mesmo trimestre de 2012, atingindo um recorde de US$105,4 bilhões em maiores empréstimos baseados em títulos mobiliários.
  • O número de Consultores de Fortunas cresceu pelo 12° trimestre consecutivo, incluindo Consultores Financeiros, no segmento de serviços bancários de negócios e de consumo da empresa.

Panorama financeiro

A renda líquida de Global Wealth and Investment Management cresceu 6% em comparação com o mesmo período do ano anterior, atingindo US$543 milhões, enquanto a receita reduzida foi mais que compensada por reduções da despesa não juros e as menores provisões para perdas de crédito. A receita foi reduzida em 4%, atingindo US$4,3 bilhões, amplamente como resultado de menores rendas líquidas de juros, principalmente em razão do contínuo ambiente de taxas baixas, e menor atividade transacional.

A despesa não juros foi reduzido em 6% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, atingindo US$3,4 bilhões, em razão de menores despesas de FDIC e outras despesas conduzidas por volume, além de menores custos de litígios e custas judiciais. As provisões para perdas de crédito foram reduzidas em US$25 milhões, atingindo US$47 milhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, para melhorar as tendências do portfólio no portfólio de hipotecas residenciais.

Os ativos administrados aumentaram US$ 21,2 bilhões, atingindo US$ 682,2 bilhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, conduzidos por fluxos AUM de longo prazo, enquanto a média dos balanços de empréstimos aumentou US$ 2,5 bilhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, atingindo US$ 105,4 bilhões.

Todos os demais1

 
    Três meses encerrados em
(Em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

    31 de março de
2012
    30 de junho de
2011
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE $ 388     $ (614 )     $ 2.550
Provisão para perdas de crédito 536 1.246 1.841
Despesa não decorrente de juros 849 2.286 746
Perda líquida (336 ) (2.592 ) (167 )
Total da média de empréstimos     257.341       264.112       287.840  
1   Todos os demais inclui dois amplos grupos, Equity Investments and Other - Investimentos de capital e outros. Equity Investments inclui Global Principal Investments, investimentos estratégicos e outros. "Outros" inclui os negócios de liquidação, encargos de reestruturação e fusão, funções AML como portfólio de hipotecas residenciais e títulos de investimentos e atividades que incluem coberturas econômicas, ganhos/perdas sobre passivos estruturados, impacto de certas metodologias de alocação e ineficácia de contabilidade de cobertura. "Outros" inclui ainda certas hipotecas residenciais e empréstimos imobiliários desativados administrados pelo setor de Legacy Assets and Servicing dentro dos Serviços de imóveis de consumo.
 

Todos os demais informaram perda líquida de US$336 milhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com uma perda líquida de US$167 milhões no mesmo período do ano anterior, enquanto a redução da receita foi parcialmente compensada por menores provisões para perdas de crédito.

Os resultados da renda de investimento de capital refletiram uma perda de US$63 milhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com a renda de US$1,1 bilhão no mesmo trimestre do ano anterior, já que o trimestre do ano anterior incluiu dividendos e ganhos sobre vendas de certos investimentos de capital. Os ganhos sobre a venda de títulos da dívida totalizaram R$354 milhões no segundo trimestre de 2012, uma redução dos US$831 milhões do mesmo período do ano anterior.

O segundo trimestre de 2012 também incluiu ganhos líquidos de US$505 milhões resultantes da recompra de certos títulos da dívida e títulos preferenciais e ajustes negativos de justo valor sobre passivos estruturados de US$62 milhões, em comparação com ajustes positivos de justo valor de US$214 milhões no segundo trimestre de 2011. O primeiro trimestre de 2012 incluiu ajustes negativos de justo valor de US$3,3 bilhões.

A redução nas provisões por perdas de crédito foi conduzida principalmente por melhoria contínua da qualidade de crédito no portfólio de hipotecas residenciais, além de menores provisões relativas aos portfólios de hipoteca residencial e imóveis descontinuados com crédito prejudicado adquiridos pela Countrywide.

Panorama corporativo

Receita e despesa

 
    Três meses encerrados em
(em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

    31 de março de
2012
    30 de junho de
2011
Renda líquida de juros, base FTE1 $ 9.782     $ 11.053     $ 11.493
Receita não decorrente de juros 12.420 11.432 1.990
Receita total, líquida de despesas de juros em base FTE 22.202 22.485 13.483
Provisão para perdas de crédito 1.773 2.418 3.255
Despesa não decorrente de juros2 17.048 19.141 22.856
Receita líquida     2.463       653       (8.826 )
1   Base equivalente totalmente tributável (FTE) é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27 deste comunicado. A renda líquida de juros em base GAAP foi de US$ 9,5 bilhões, US$ 10,8 bilhões e US$ 11,2 bilhões nos três meses encerrados em 30 de junho de 2012, 31 de março de 2012 e 30 de junho de 2011. Receita total, líquida de despesas de juros, em base GAAP foi de US$ 22,0 bilhões e US$ 22,3 bilhões e US$13,2 bilhões nos três meses encerrados em 30 de junho de 2012, 31 de março de 2012 e 30 de junho de 2011.
2 Inclui um encargos de depreciação do fundo de comércio de US$ 2,6 bilhões no segundo trimestre de 2011.
 

Receita líquida de despesas de juros, em base FTE, cresceu US$8,7 bilhões ou 65% em comparação com o segundo trimestre de 2011, conduzida principalmente por US$14 bilhões em provisões de garantias e representações registradas no mesmo trimestre do ano anterior, parcialmente compensadas por menor renda líquida de juros, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

A renda líquida de juros em base FTE foi reduzida em 15% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. O resultado líquido de juros foi reduzido em 29 pontos base em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Essas reduções foram principalmente conduzidas por menor balanço de empréstimos de consumo e rendimentos de títulos de investimento, parcialmente compensados por reduções contínuas dos balanços da dívida de longo prazo. A renda líquida de juros para o segundo trimestre de 2012 incluiu os impactos desfavoráveis relacionados com o mercado de amortização premium de US$319 milhões e ineficácia de cobertura de US$182 milhões.

A renda não decorrente de juros aumentou US$10,4 bilhões em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, conduzida principalmente por uma redução significativa nas provisões para representações e garantias, parcialmente compensadas por outra renda menor no segundo trimestre de 2012. O trimestre do ano anterior incluiu US$14,0 bilhões em provisões de representações e garantias e um ganho líquido sobre a venda dos negócios de seguros colocados pelo emprestador da Balboa, de US$752 milhões.

A despesa não decorrente de juros foi reduzida em US$5,8 bilhões, ou 25 % em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, atingindo US$17,0 bilhões. Isto resultou principalmente de encargos de depreciação de fundo de comércio dedutíveis não impostos, não caixa de US$2,6 bilhões registrados no mesmo trimestre do ano anterior, menor despesa de litígios e redução em avaliações de hipotecas, renúncias e custos semelhantes relativos a atraso de execução de hipoteca. A despesa de litígio foi de US$963 milhões no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$2,2 bilhões do mesmo trimestre do ano anterior.

A despesa com imposto de renda no segundo trimestre de 2012 foi de US$ 684 milhões, resultando em taxa de otimização fiscal de 22%. Isto é comparável a um benefício de imposto de renda de US$4,0 bilhões sobre uma perda pré-imposto de US$12,9 bilhões no mesmo trimestre do ano anterior.

Qualidade de crédito

 
    Três meses encerrados em
(em milhões de dólares)    

30 de junho de
2012

    31 de março de
2012
    30 de junho de
2011
Provisão para perdas de crédito $ 1.773     $ 2.418     $ 3.255
Baixas líquidas 3.626 4.056 5.665
Coeficiente de baixas líquidas1 1.64 % 1,80 % 2,44 %
 

Em 30 de junho de
2012

    Em 31 de março de
2012
    Em 30 de junho de
2011
Empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo $ 25.377 $ 27.790 $ 30.058
Coeficiente de empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo2 2,87 % 3,10 % 3,22 %
Provisão para perdas de empréstimos e arrendamentos $ 30.288 $ 32.211 $ 37.312
Provisão para coeficiente de perdas de empréstimos e arrendamentos3     3,43 %     3,61 %     4,00 %
1   Os coeficientes líquidos de perdas e baixas são calculados como baixas líquidas divididas pela média de empréstimos e arrendamentos em aberto no período. Os resultados trimestrais são anualizados.
2 Os coeficientes de empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo são calculados como empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo divididos por empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas em aberto no fim do período.
3 Os coeficientes de provisão para perdas de empréstimos e arrendamento são calculados como provisão para perdas de empréstimos e arrendamento dividida por empréstimos e arrendamentos em aberto no fim do período.
 

Nota: Os coeficientes não incluem empréstimos contabilizados de acordo com a opção de justo valor.

A qualidade do crédito continuou a melhorar no primeiro trimestre de 2012, com as baixas líquidas sendo reduzidas na maioria dos principais portfólios e a provisão para perdas de crédito sendo reduzidas significativamente, em comparação com o segundo trimestre de 2011. Adicionalmente, os empréstimos inadimplentes por mais de trinta dias, excluindo os empréstimos garantidos, foram reduzidos em todos os principais portfólios e os balanços críticos reserváveis também continuaram sendo reduzidos, atingindo 42% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

As baixas líquidas foram mantidas em US$ 3,6 bilhões no segundo trimestre de 2012, reduzidas em US$430 milhões em comparação com o primeiro trimestre de 2012 e US$ 2,0 bilhões em comparação com o segundo trimestre de 2011. O crescimento em comparação com os dois períodos anteriores foi afetado pelos portfólios de Card Services no CBB, em razão de menos empréstimos em atraso. A redução dos pedidos de falência também afetou o crescimento desde o período do ano anterior. Além disso, houve redução das baixas líquidas nos portfólios de imóveis de consumo desde o primeiro trimestre de 2012 e do mesmo trimestre do ano anterior, conduzidas por menos empréstimos em atraso e menores perdas de avaliação atualizada sobre empréstimos vencidos a mais de 180 dias.

As provisões para perdas de crédito foram reduzidas para US$ 1,8 bilhão no segundo trimestre de 2012, em comparação com US$ 2,4 bilhões do primeiro trimestre de 2012 e US$ 3,3 bilhões do segundo trimestre de 2011. As provisões para perdas de crédito no segundo trimestre de 2012 atingiram US$ 1,9 bilhão abaixo das baixas líquidas, resultando numa redução das provisões para perda de crédito. Isso foi conduzido principalmente por reduções do portfólio de garantia hipotecária, principalmente em razão da contínua estabilização do portfólio, além de melhoria das falências e dos atrasos no portfólio Card Services, no CBB. A redução da reserva resultou também da melhoria das condições econômicas que afetaram o principal portfólio comercial, conforme comprovado pelas contínuas reduções dos balanços reserváveis não produtivos comerciais e críticos .

A provisão de perdas de empréstimos e arrendamentos para o coeficiente de cobertura anualizada líquida de baixas aumentou no segundo trimestre de 2012 para 2,08 vezes, em comparação com 1,97 vezes no primeiro trimestre de 2012 e 1,64 vezes no segundo trimestre de 2011. Excluindo os empréstimos com crédito prejudicado adquiridos, as provisões para coeficiente anualizado de cobertura líquida de baixas atingiu 1,46 vezes, 1,43 vezes e 1,28 vezes nos mesmos períodos, respectivamente.

Os empréstimos, arrendamentos e propriedades executadas com desempenho negativo foram de US$ 25,4 bilhões em 30 de junho de 2012, uma redução dos US$ 27,8 bilhões de 31 de março de 2012 e US$ 30,1 bilhões de 30 de junho de 2011.

Gestão de capital e liquidez

 
(Valores expressos em milhões de dólares, exceto por dados de ação)    

Em 30 de junho de
2012

    Em 31 de março de
2012
    Em 30 de junho de
2011
Patrimônio acionário total     $ 235.975     $ 232.499     $ 222.176
Patrimônio comum de nível 1 134.082 131.602 114.684
Coeficiente de capital comum de nível 1 11,24 % 10,78 % 8,23 %
Coeficiente de capital de nível 1 13,80 13,37 11,00
Coeficiente de capital comum 10,05 9,80 9,09
Valor patrimonial tangível por ação1 $ 13,22 $ 12,87 $ 12,65
Valor patrimonial por ação     20,16       19,83       20,29  
1   3 Valor contábil tangível por ação é uma medida financeira não GAAP. Saiba mais sobre conciliação com as medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27 deste comunicado.
 

O coeficiente de capital comum de nível 1 do acordo de Basileia I aumentou significativamente durante o segundo trimestre, para 11,24%, em comparação com 10,78% em 31 de março de 2012 e 8,23% de 30 de junho de 2011. O coeficiente de capital de nível 1 atingiu 13,80% em 30 de junho de 2012. Isso em comparação com 13,37% em 31 de março de 2012 e 11,00% em 30 de junho de 2011.

No final de 2012, o Comitê de Supervisão Bancária da Basileia propôs as regras do acordo Basileia III, com data de implementação definida para janeiro de 2013. Os reguladores dos EUA emitiram as regras propostas para o acordo Basileia III e as regras finais sobre risco de mercado, em junho de 2012. Entre outras coisas, o acordo Basileia III aumentou substancialmente os requisitos de capital mínimo a ser levantado, mudou a definição do capital regulatório, introduziu novos coeficientes de cobertura e liquidez e propôs uma implementação gradual dessas medidas durante vários anos, com implementação total agendada para 2019.

As estimativas da empresa de acordo com as regras do Basileia III, não refletem as regras propostas pelo Basileia III nos Estados Unidos, mas são baseadas no seu atual entendimento das regras finais sobre risco de mercado nos E.U.A. e as diretrizes do BIS Basileia III, considerando todas as aprovações relevantes do modelo regulatório. Estas estimativas, de acordo com Basileia III vão evoluir com o tempo, enquanto os negócios da empresa mudam e como resultado de novas formulações de regras ou esclarecimento pelas agências regulatórias dos EUA. As regras finais de risco do mercado norte-americano e as diretrizes BIS Basileia III exigem aprovação pelas agências reguladoras bancárias de certos modelos usados como parte dos cálculos de ativos ponderados por risco. Se esses modelos não forem aprovados, o coeficiente de capital da empresa provavelmente seria afetado adversamente, que em alguns casos, pode ser significativo. Além dos requisitos e dos coeficientes de capital do acordo Basileia I, essas estimativas ajudam a gestão, os investidores e os analistas em avaliar a adequação e a comparabilidade do capital de acordo com os padrões de capital do Basileia III para outras empresas de serviços financeiros. A empresa continua a avaliar o impacto potencial das regras propostas e prevê que estará em conformidade com quaisquer regras finais nas datas efetivas propostas.

Em 30 de junho de 2012, o coeficiente de capital comum de Nível 1 da empresa, em base inteiramente gradual do acordo Basileia III, foi estimado em 8,10%.

Em 30 de junho de 2012, as fontes totais de excesso de liquidez global atingiram US$378 bilhões, uma redução de US$28 bilhões em comparação com o primeiro trimestre de 2012, mesmo quando a empresa reduziu a dívida de longo prazo em US$53 bilhões. Em 30 de junho de 2011, as fontes de excesso de liquidez global atingiram US$402 bilhões. O financiamento com prazo foi aumentado para um recorde de 37 meses em 30 de junho de 2012, em comparação com 31 meses em 31 de março de 2012 e 22 meses em 30 de junho de 2011.

No segundo trimestre de 2012, foram pagos dividendos de caixa de US$ 0,01 por ação ordinária e a empresa registrou US$ 365 milhões em dividendos preferenciais. As ações ordinárias de final de período emitidas e em circulação eram 10,78 bilhões e 10,13 bilhões no segundo trimestre de 2012 e 2011 respectivamente.

Nota: O diretor executivo Brian Moynihan e o diretor financeiro Bruce Thompson conversarão sobre os resultados do segundo trimestre de 2012 durante uma teleconferência, às 9:30h de hoje, horário de Brasília. Os materiais de apoio e apresentação estão acessíveis no site de Relações com o investidor do Bank of America em http://investor.bankofamerica.com. Para ouvir o áudio da teleconferência, ligue para +1 (877) 200-4456 (EUA) ou +1 (785) 424-1734 (internacional) e conferência ID: 79795.

Bank of America

O Bank of America é uma das maiores instituições financeiras do mundo, atendendo a consumidores individuais, empresas de mercados pequenos e intermediários e a grandes organizações, com um conjunto completo de produtos e serviços bancários, de investimentos, gestão de ativos e outros produtos e serviços de gestão financeira e de riscos. A empresa oferece conveniência incomparável nos Estados Unidos, atendendo a aproximadamente 56 milhões de relações de consumo e pequenas empresas, com aproximadamente 5.600 escritórios de serviços bancários de varejo e aproximadamente 16.200 caixas eletrônicos e serviços bancários premiados online, com trinta milhões de usuários ativos. O Bank of America está entre as maiores empresas de gestão de patrimônio do mundo, e é líder global em serviços bancários corporativos, de investimentos e comerciais em um amplo conjunto de classes de ativos, atendendo a organizações, governos, instituições e pessoas físicas em todo o mundo. O Bank of America oferece assistência líder no setor para aproximadamente quatro milhões de proprietários de pequenas empresas através de um conjunto de produtos e serviços online inovadores e fáceis de usar. A empresa atende clientes com operações em mais de quarenta países. O estoque de ações do Bank of America Corporation (NYSE: BAC) é um componente do Dow Jones Industrial Media e está listado na Bolsa de Valores de Nova York.

O Bank of America e sua administração podem fazer declarações entendidas como "declarações prospectivas" de acordo com o significado atribuído ao termo na Private Securities Litigation Reform Act de 1995. Essas declarações podem ser identificadas pelo fato de não se referirem estritamente a fatos históricos ou atuais. Declarações prospectivas geralmente usam palavras como "prevê", "metas", "espera", "estima", "pretende", "planos", "objetivos", "acredita" e outras expressões semelhantes, ou modais indicadores de futuridade, condição, probabilidade, além de outros. As declarações prospectivas aqui encontradas representam expectativas atuais, planos ou previsões do Bank of America sobre seus resultados e receitas futuras, incluindo a expectativa de que a Fase 2 do Projeto New BAC produza economias de custo anualizadas de US3 bilhões até 2015 e economias totais do New BAC de US$8 bilhões; a expectativa de que a empresa ultrapasse as economias de custos de 20% objetivadas para a Fase 1 até o final de 2012; o posicionamento da empresa para o crescimento de longo prazo; a previsão da empresa de estar em conformidade com todas as regras finais de capital até as datas efetivas propostas; as estimativas do coeficiente comum de Nível 1 do acordo Basileia III devem evoluir com o tempo, junto com as regras do Basileia III, e mudanças nas condições econômicas e de negócios vão impactar estas estimativas; e as ações de gestão de passivo da empresa no segundo trimestre de 2012, e ações adicionais anunciadas no terceiro trimestre de 2012 devem beneficiar a renda de juros líquida trimestralmente em aproximadamente US$300 milhões, e outras questões semelhantes. Estas declarações não são garantias de resultados ou desempenho futuro e envolvem certos riscos, incertezas e hipóteses que são difíceis de prever, e estão, em geral, além do controle do Bank of America. O produto e os resultados reais podem divergir materialmente daqueles expressos ou implícitos em qualquer destas declarações prospectivas.

O leitor não deve depositar confiança indevida em nenhuma declaração prospectiva e deve considerar todas as seguintes incertezas e riscos, além daquelas discutidas em mais detalhes no Item 1A. “Fatores de risco” do relatório anual de 2011 do Bank of America, no formulário 10-K, e nos documento subsequentes do Bank of America, protocolados na SEC: a resolução da empresa de certas obrigações de representações e garantias com empresas patrocinadas pelo governo (GSEs) sobre representações e garantias recompra de reivindicações, com respeito a rescisões de seguros de hipotecas, e atrasos de encerramento, a capacidade da empresa para resolver representações reivindicações de garantias feitas por monolinhas e investidores de marca própria e outros investidores, incluindo como resultado de quaisquer decisões judiciais adversas, e a oportunidade de que a empresa poderia enfrentar serviços, valores mobiliários, fraude, indenização ou outras reivindicações relacionadas de uma ou mais das monolinhas ou investidores de marca própria e outros investidores; se representações futuras e perdas de garantias ocorrem em excesso da responsabilidade registrada da empresa para exposições GSE e em excesso da responsabilidade registrada e alcance estimado de perdas possíveis de exposições não-GSE; incertezas sobre a estabilidade financeira de vários países da União Europeia (UE), o risco aumentando de que esses países podem não cumprir sua dívida soberana ou sair da UE e das tensões relacionadas nos mercados financeiros, o euro e a UE e exposições diretas e indiretas da empresa para esses riscos, a incerteza quanto ao momento e substância final de qualquer capital ou padrões de liquidez, incluindo os requisitos finais de Basileia III e sua implementação para os bancos norte-americanos através de regulamentação por parte da Reserva Federal, incluindo os requisitos previstos para manter níveis mais elevados de capital regulatório, liquidez, e cumprir níveis mais elevados de capital regulatório como resultado de Basileia III final ou outros padrões de capital ou liquidez, o impacto negativo do Dodd-Frank Wall Street Reform and Consumer Protection Act sobre os negócios da empresa e ganhos, inclusive como resultado da interpretação de regulamentação adicional e regulamentação e do sucesso das ações da empresa para mitigar esses impactos; satisfação da empresa de seu programas de assistência ao mutuário no âmbito do acordo de solução global com órgãos federais e procuradores gerais do estado, mudanças adversas na classificação de crédito da empresa das principais agências de notação de crédito; estimativas do valor justo de certos ativos e passivos da empresa; reclamações inesperadas, danos e multas resultantes de processos de regulamentação e litígios pendentes ou futuros, e , a capacidade da empresa para realizar plenamente as economias de custo e outros benefícios previstos do Projeto New BAC, incluindo, em conformidade com os prazos atualmente previstos;. e outros assuntos semelhantes

Declarações prospectivas falam apenas da data em que são feitas e o Bank of America não assume nenhuma obrigação de atualizar qualquer declaração prospectiva para refletir o impacto de circunstâncias e eventos que ocorram depois da data em que as declarações prospectivas foram feitas.

BofA Global Capital Management Group. LLC ("BofA Global Capital Management") é uma divisão da gestão de ativos do Bank of America Corporation. As entidades do BofA Global Capital Management oferecem serviços e produtos de gestão de investimentos para investidores institucionais e individuais.

Bank of America Merrill Lynch é o nome comercial dos negócios dos mercados globais e de serviços bancários globais do Bank of America Corporation. As atividades de empréstimos, derivativos e outros serviços bancários comerciais são desempenhadas por bancos afiliados do Bank of America Corporation, incluindo o Bank of America, N.A., membro do FDIC. Valores mobiliários, consultoria financeira e outras atividades bancárias de investimentos são executados por afiliadas de serviços bancários de investimentos do Bank of America Corporation ("Investment Banking Affiliates"), inclusive Merrill Lynch, Pierce, Fenner & Smith Incorporated, que são corretores registrados e membros da FINRA e SIPC. Produtos de investimento oferecidos pelas Investment Banking Affiliates: Não são segurados pelo FDIC * Podem perder valor * Não são garantidos pelo banco. Os corretores do Bank of America Corporation não são bancos, mas pessoas jurídicas separadas das suas afiliadas bancárias. As obrigações dos corretores não são obrigações das suas afiliadas bancárias (salvo se explicitamente disposto em contrário) e essas afiliadas bancárias não são responsáveis por títulos mobiliários vendidos, oferecidos ou recomendados pelos corretores. O disposto acima é também aplicável a outras afiliadas não bancárias.

Para outras notícias sobre o Bank of America, acesse a sala de imprensa do Bank of America, em http://newsroom.bankofamerica.com.

www.bankofamerica.com

Bank of America Corporation e subsidiárias    
Dados financeiros selecionados    
(Valores expressos em milhões de dólares, exceto por dados de ações; ações em milhares)

Resumo da declaração de rendas

Seis meses encerrados em
30 de junho
  Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012   2011
Receita líquida de juros $ 20.394 $ 23.425 $ 9.548 $ 10.846 $ 11.246
Receita não decorrente de juros 23.852   16.688   12,420   11.432   1.990  
Receita total, líquida de despesa de juros 44.246 40.113 21.968 22.278 13.236
Provisão para perdas de crédito 4.191 7.069 1.773 2.418 3.255
Depreciação do fundo de comércio 2.603 2.603
Encargos de fusão e reestruturação 361 159
Todas as outras despesas não decorrentes de juros (1) 36.189   40.175   17.048   19.141   20.094  
Receita (perda) antes de imposto de renda 3.866 (10.095 ) 3.147 719 (12.875 )
Despesa (benefício) de imposto de renda 750   (3.318 ) 684   66   (4.049 )
Receita (perda) líquida $ 3.116   $ (6.777 ) $ 2.463   $ 653   $ (8.826 )
Dividendos de ações preferenciais 690   611   365   325   301  
Renda (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários $ 2.426   $ (7.388 ) $ 2.098   $ 328   $ (9.127 )
 
Ganhos (perda) por ação ordinária $ 0,23 $ (0,73 ) $ 0,19 $ 0,03 $ (0,90 )
Ganhos diluídos (perda) por ação ordinária 0,22 (0,73 ) 0,19 0,03 (0,90 )
 

Resumo da média do balanço patrimonial

Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012 2011
Total de empréstimos e arrendamentos $ 906.610 $ 938.738 $ 899.498 $ 913.722 $ 938.513
Títulos de dívida 335.001 335.556 342.244 327.758 335.269
Total de ativos rentáveis 1.770.336 1.857.124 1.772.568 1.768.105 1.844.525
Total de ativos 2.190.868 2.338.826 2.194.563 2.187.174 2.339.110
Total de depósitos 1.031.500 1.029.578 1.032.888 1.030.112 1.035.944
Patrimônio acionário comum 215.466 216.367 216.782 214.150 218.505
Patrimônio líquido total 234.062 232.930 235.558 232.566 235.067
 

Coeficientes de desempenho

Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012 2011
Retorno sobre capital médio 0,29 % n/s 0,45 % 0,12 % n/s
Retorno sobre média de patrimônio acionário tangível (2) 3,94 n/s 6,25 1,67 n/s
 

Qualidade de crédito

Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012 2011
Total de baixas líquidas $ 7.682 $ 11.693 $ 3.626 $ 4.056 $ 5.665
Baixas líquidas como porcentagem de empréstimos e arrendamentos médios em aberto (3) 1,72 % 2,53 % 1,64 % 1,80 % 2,44 %
Provisão para perdas de crédito $ 4.191 $ 7.069 $ 1.773 $ 2.418 $ 3.255
 
30 de junho de
2012
31 de março de
2012
30 de junho de
2011
Total de arrendamentos, empréstimos e propriedades executadas não produtivas (4) $ 25.377 $ 27.790 $ 30.058
Arrendamentos e empréstimos não produtivos e propriedades executadas como porcentagem do total de arrendamentos, empréstimos e propriedades executadas (3) 2,87 % 3,10 % 3,22 %
Provisão para perdas de empréstimos e arrendamentos $ 30.288 $ 32.211 $ 37.312
Provisão para perdas de empréstimos e arrendamentos como porcentagem do total de empréstimos e arrendamentos em aberto (3) 3,43 % 3,61 % 4,00 %
                   
Confira as notas de pé de página na página 20.
 

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias  
Dados financeiros selecionados (continuação)    
(Valores expressos em milhões de dólares, exceto por dados de ações; ações em milhares)
       

Gestão de capital

30 de junho de
2012
31 de março de
2012
30 de junho de
2011
Capital sujeito a risco (5):
Patrimônio comum de nível 1(6) $ 134.082 $ 131.602 $ 114.684
Coeficiente de capital comum de nível 1(6) 11,24 % 10,78 % 8,23 %
Coeficiente de alavancagem de nível 1 7,82 7,79 6,86
Coeficiente de capital próprio tangível (7) 7,73 7,48 6,63
Coeficiente de capital comum tangível (7) 6,83 6,58 5,87
 
Ações ordinárias emitidas e em circulação de fim do período 10.776.869 10.775.604 10.133.190
 
Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012 2011
Ações ordinárias emitidas 240.931 48.035 1.265 239.666 1.387
Média de ações ordinárias emitidas e em circulação 10.714.881 10.085.479 10.775.695 10.651.367 10.094.928
Média de ações ordinárias diluídas emitidas e em circulação 11.509.945 10.085.479 11.556.011 10.761.917 10.094.928
Dividendos pagos por ação ordinária $ 0,02 $ 0,02 $ 0,01 $ 0,01 $ 0,01
 

Balanço resumido do fim do período

30 de junho de
2012
31 de março de
2012
30 de junho de
2011
Total de empréstimos e arrendamentos $ 892.315 $ 902.294 $ 941.257
Total de títulos da dívida 335.217 331.245 331.052
Total de ativos rentáveis 1.737.809 1.744.452 1.772.293
Total de ativos 2.160.854 2.181.449 2.261.319
Total de depósitos 1.035.225 1.041.311 1.038.408
Patrimônio líquido total 235.975 232.499 222.176
Patrimônio acionário comum 217.213 213.711 205.614
Valor patrimonial por ação ordinária $ 20,16 $ 19,83 $ 20,29
Valor patrimonial tangível por ação ordinária (2) 13,22 12,87 12,65

(1) Exclui encargos de fusão e reestruturação e encargos de depreciação do fundo de comércio.

(2) Retorno sobre a média de patrimônio acionário tangível e valor contábil tangível por ação ordinária são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte a seção Conciliação com medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27.

(3) Coeficientes não incluem empréstimos contabilizados de acordo com a opção de justo valor durante o período. Os coeficientes de baixas foram anualizados para o demonstrativo trimestral.

(4) Os balanços não incluem cartão de crédito de consumo, empréstimos ao consumidor garantidos por imóveis, quando os pagamentos são garantidos pela Federal Housing Administration e contratos de stand-by de longo prazo individualmente garantidos (empréstimos residenciais totalmente garantidos) e, em geral, outros empréstimos comerciais e de consumo não garantidos por imóveis; empréstimos adquiridos com crédito prejudicado, mesmo com o cliente contratualmente em atraso; empréstimos vencidos mantidos para venda; empréstimos vencidos informados de acordo com a opção de justo valor; empréstimos reestruturados de dívidas problemáticas não acumuladas removidas do portfólio de crédito prejudicado adquirido, antes de 1.° de janeiro de 2010.

(5) Reflete os dados preliminares do capital sujeito a risco do período atual.

(6) O coeficiente de capital comum de nível 1 é igual ao capital de nível 1 excluindo ações preferenciais, títulos preferenciais, títulos híbridos e participação minoritária, dividido por ativos ponderados por risco.

(7) Coeficiente de capital tangível é igual ao patrimônio acionário tangível do final do período dividido pelos ativos tangíveis do final do período. Patrimônio comum tangível é igual a patrimônio comum tangível de fim de período dividido por ativos tangíveis de fim de período. Patrimônio acionário tangível e ativos tangíveis são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte a seção Conciliação com medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27.

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias
Resultados trimestrais por segmento de negócios
(Em milhões de dólares)
        Segundo trimestre 2012

Consumer &

Business

Banking

    Consumer

Real Estate

Services

    Global

Banking

    Global

Markets

    GWIM     Todos

os demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE)(1) $ 7.326 $ 2.521 $ 4.285 $ 3.365 $ 4.317 $ 388
Provisão para perdas de crédito 1.131 186 (113 ) (14 ) 47 536
Despesa não decorrente de juros 4.359 3.556 2.165 2.711 3.408 849
Receita (perda) líquida 1.156 (768 ) 1.406 462 543 (336 )
Retorno sobre média de capital alocado 8,70 % n/s 12,31 % 10,84 % 12,15 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 20,31 n/s 26,83 14,92 30,03 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 136.872 $ 106.725 $ 267.812 n/s $ 104.102 $ 257.341
Total de depósitos 476.580 n/s 239.054 n/s 251.121 31.274
Patrimônio alocado 53.452 14.116 45.958 $ 17.132 17.974 86.926
Capital econômico (2) 22.967 14.116 21.102 12.524 7.353 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 135.523 $ 105.304 $ 265.393 n/s $ 105.395 $ 253.505
Total de depósitos 481.939 n/s 241.344 n/s 249.755 27.157
 
Primeiro trimestre de 2011

Consumer &

Business

Banking

Consumer

Real Estate

Services

Global

Banking

Global

Markets

GWIM Todos os

demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE)(1) $ 7.422 $ 2.674 $ 4.450 $ 4.193 $ 4.360 $ (614 )
Provisão para perdas de crédito 877 507 (238 ) (20 ) 46 1.426
Despesa não decorrente de juros 4.247 3.905 2.177 3.076 3.450 2.286
Receita (perda) líquida 1.455 (1.145 ) 1.590 798 547 (2.592 )
Retorno sobre média de capital alocado 11,05 % n/s 13,98 % 17,52 % 12,78 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 26,16 n/s 30,67 23,54 33,81 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 141.578 $ 110.755 $ 277.074 n/s $ 103.036 $ 264.112
Total de depósitos 466.240 n/s 237.531 n/s 252.705 39.774
Patrimônio alocado 52.947 14.791 45.719 $ 18.317 17.228 83.564
Capital econômico (2) 22.425 14.791 20.858 13.669 6.587 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 138.909 $ 109.264 $ 272.279 n/s $ 102.903 $ 260.005
Total de depósitos 486.162 n/s 237.602 n/s 252.755 30.150

Segundo trimestre 2011

Consumer &

Business

Banking

Consumer

Real Estate

Services

Global

Banking

Global

Markets

GWIM Todos os

demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE)(1) $ 8.681 $ (11.315 ) $ 4.659 $ 4.413 $ 4.495 $ 2.550
Provisão para perdas de crédito 400 1.507 (557 ) (8 ) 72 1.841
Despesa não decorrente de juros 4.377 8.625 2.221 3.263 3.624 746
Receita (perda) líquida 2.502 (14.506 ) 1.921 911 513 (167 )
Retorno sobre média de capital alocado 19,10 % n/s 16,37 % 15,90 % 11,71 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 45,87 n/s 34,06 19,99 30,45 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 155.122 $ 121.683 $ 260.144 n/s $ 102.201 $ 287.840
Total de depósitos 467.179 n/s 235.662 n/s 255.432 48.109
Patrimônio alocado 52.559 17.139 47.060 $ 22.990 17.560 77.759
Capital econômico (2) 21.903 14.437 22.632 18.344 6.854 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 153.391 $ 121.553 $ 263.065 n/s $ 102.878 $ 287.424
Total de depósitos 465.457 n/s 244.025 n/s 255.796 43.768

(1) Base equivalente totalmente tributável (FTE) é um indicador de desempenho usado pela administração para operar os negócios que acredita dar aos investidores uma visão mais correta da margem de juros para fins comparativos.

(2) O retorno sobre a média do capital econômico é calculado como a renda líquida ajustada para custo de fundos e ganhos de crédito e certas despesas relativas a intangíveis, divididas pela média do capital econômico. O capital econômico representa o patrimônio alocado menos o fundo de comércio e uma porcentagem dos ativos intangíveis (excluindo direitos de hipotecas). Capital econômico e retorno sobre média de capital econômico são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte a seção Conciliação com medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27.

n/s = não significativo

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados entre os segmentos para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

bBank of America Corporation e subsidiárias
Resultados acumulados no ano por segmento de negócios
(Em milhões de dólares)
  Seis meses encerrados em 30 de junho de 2012

Consumer &

Business

Banking

  Consumer

Real Estate

Services

  Global

Banking

  Global

Markets

  GWIM   Todos

os demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE)(1) $ 14.748 $ 5.195 $ 8.735 $ 7.558 $ 8.677 $ (226 )
Provisão para perdas de crédito 2.008 693 (351 ) (34 ) 93 1.782
Despesa não decorrente de juros 8.606 7.461 4.342 5.787 6.858 3.135
Receita (perda) líquida 2.611 (1.913 ) 2.996 1.260 1.090 (2.928 )
Retorno sobre média de capital alocado 9,87 % n/s 13,14 % 14,29 % 12,46 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 23,20 n/s 28,74 19,42 31,81 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 139.225 $ 108.740 $ 272.443 n/s $ 103.569 $ 260.727
Total de depósitos 471.410 n/s 238.292 n/s 251.913 35.524
Patrimônio alocado 53.199 14.454 45.838 $ 17.725 17.601 85.245
Capital econômico (2) 22.696 14.454 20.980 13.096 6.970 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 135.523 $ 105.304 $ 265.393 n/s $ 105.395 $ 253.505
Total de depósitos 481.939 n/s 241.344 n/s 249.755 27.157
 
Seis meses encerrados em 30 de junho de 2011

Consumer &

Business

Banking

Consumer

Real Estate

Services

Global

Banking

Global

Markets

GWIM Todos os

demais

Receita total, líquida de despesas de juros, base equivalente totalmente tributável (FTE)(1) $ 17.147 $ (9.252 ) $ 9.360 $ 9.685 $ 8.991 $ 4.647
Provisão para perdas de crédito 1.061 2.605 (681 ) (41 ) 118 4.007
Despesa não decorrente de juros 8.938 13.402 4.531 6.376 7.213 2.679
Receita (perda) líquida 4.544 (16.906 ) 3.504 2.306 1.055 (1.280 )
Retorno sobre média de capital alocado 17,25 % n/s 14,75 % 18,85 % 11,98 % n/s
Retorno sobre média de capital econômico (2) 40,90 n/s 30,14 23,23 30,72 n/s

Balanço patrimonial

médio
Total de empréstimos e arrendamentos $ 158.033 $ 121.125 $ 258.508 n/s $ 101.530 $ 288.068
Total de depósitos 462.136 n/s 230.744 n/s 257.066 49.110
Patrimônio alocado 53.126 17.933 47.891 $ 24.667 17.745 71.568
Capital econômico (2) 22.450 15.211 23.461 20.069 7.028 n/s
Final do período
Total de empréstimos e arrendamentos $ 153.391 $ 121.553 $ 263.065 n/s $ 102.878 $ 287.424
Total de depósitos 465.457 n/s 244.025 n/s 255.796 43.768

(1) Base equivalente totalmente tributável (FTE) é um indicador de desempenho usado pela administração para operar os negócios que acredita dar aos investidores uma visão mais correta da margem de juros para fins comparativos.

(2) O retorno sobre a média do capital econômico é calculado como a renda líquida ajustada para custo de fundos e ganhos de crédito e certas despesas relativas a intangíveis, divididas pela média do capital econômico. O capital econômico representa o patrimônio alocado menos o fundo de comércio e uma porcentagem dos ativos intangíveis (excluindo direitos de hipotecas). Capital econômico e retorno sobre média de capital econômico são medidas financeiras não GAAP. Acreditamos que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos resultados dos segmentos. Outras empresas podem definir ou calcular esses indicadores de outra maneira. Consulte a seção Conciliação com medidas financeiras GAAP nas páginas 24 a 27.

n/s = não significativo

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados entre os segmentos para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias
Dados financeiros complementares                    
(Em milhões de dólares)          
 

Dados em base equivalente totalmente tributável (1)

Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012 2011
Receita líquida de juros $ 20.835 23.890 $ 9.782 $ 11.053 $ 11.493
Receita total, líquida de despesa de juros 44.687 40.578 22.202 22.485 13.483
Rendimento líquido de juros (2) 2,36 % 2,58 % 2,21 % 2,51 % 2,50 %
Coeficiente de eficiência 80,98 n/s 76,79 85,13 n/s
 
 

Outros dados

30 de junho de
2012
31 de março de
2012
30 de junho de
2011
Número de centros bancários - EUA 5.594 5.651 5.742
Número de caixas eletrônicos de marca - EUA 16.779 17.255 17.817
Funcionários equivalentes a tempo integral em final de período 275.460 278.688 288.084

(1) Base FTE é uma medida financeira não GAAP. Base equivalente totalmente tributável (FTE) é um indicador de desempenho usado pela administração para operar os negócios que acredita dar aos investidores uma visão mais correta da margem de juros para fins comparativos. Consulte "Conciliação com medidas financeiras GAAP" nas páginas 24 a 27.

(2) O cálculo inclui contas recebidas em operações de depósitos overnight na Reserva Federal de US$ 99 milhões e US$ 112 milhões nos seis meses encerrados em 30 de junho de 2012 e 2011; US$ 52 milhões e US$ 7 milhões no segundo e terceiro trimestres de 2012, e US$ 49 milhões no segundo trimestre de 2011, respectivamente.

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias
Conciliação com medidas financeiras GAAP
(Em milhões de dólares)

A empresa avalia seus negócios com base em base equivalente totalmente tributável, uma medida financeira não GAAP. A empresa acredita que administrar os negócios com renda líquida de juros em base equivalente totalmente tributável oferece uma visão mais precisa da margem de juros para fins de comparação. Receita total líquida de despesas de juros inclui a renda líquida de juros em base equivalente totalmente tributável e a renda não decorrente de juros. A empresa considera os coeficientes e as análises correlatas (ou seja, os coeficientes de eficiência e a renda líquida de juros) em base equivalente totalmente tributável. Para gerar a base equivalente totalmente tributável, a renda líquida de juros é ajustada para refletir a receita com isenção fiscal em base equivalente antes dos impostos, com um aumento correspondente na despesa de imposto de renda. Esta medida garante a comparabilidade da receita líquida de juros resultante de fontes tributáveis e fontes com isenção fiscal. O coeficiente de eficiência mede os custos de geração de um dólar de receita, e o rendimento líquido de juros avalia os pontos de base que a empresa ganha sobre o custo de fundos.

A empresa também avalia seus negócios com base nos seguintes coeficientes que utilizam patrimônio tangível, uma medida financeira não GAAP. O retorno sobre patrimônio acionário tangível mede a contribuição dos ganhos da empresa como porcentagem da média de patrimônio acionário comum menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. O retorno sobre patrimônio acionário tangível mede a contribuição dos ganhos da empresa como porcentagem da média de patrimônio acionário menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. O coeficiente de capital tangível representa o patrimônio acionário comum final menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos, dividido pelo total de ativos menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. O coeficiente de capital tangível representa o patrimônio acionário final total menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos, dividido pelo total de ativos menos fundo de comércio e ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos. Valor contábil tangível por ação ordinária representa o patrimônio acionário comum de final de período menos o fundo de comércio e os ativos intangíveis (excluindo os direitos de serviço hipotecário), líquido de passivos fiscais diferidos correlatos, dividido por ações ordinárias finais em circulação. Estas medidas são usadas para avaliar o uso patrimonial (ou capital) da empresa. Além disso, lucratividade, relacionamentos e modelos de investimento usam o retorno sobre a média do patrimônio acionário tangível como medidas essenciais para apoiar as metas gerais de crescimento.

Além disso, a empresa avalia os resultados dos seus segmentos de negócios com base no retorno sobre média de capital econômico, uma medida financeira não GAAP. O retorno sobre média de capital econômico dos segmentos é calculado como renda líquida ajustada para custo de fundos e ganhos de crédito e certas despesas relativa a intangíveis, dividida por média de capital econômico. O capital econômico representa o patrimônio médio alocado menos o fundo de comércio e uma porcentagem de ativos intangíveis. Acredita-se também que o uso desta medida financeira não GAAP oferece clareza adicional para a avaliação dos segmentos.

Em algumas demonstrações, os ganhos e ganhos diluídos por ação ordinária, o coeficiente de eficiência, o retorno sobre a média de ativos, o retorno sobre o patrimônio líquido comum, o retorno sobre patrimônio líquido comum tangível médio e o retorno sobre o patrimônio líquido tangível médio são calculados excluindo o impacto dos encargos de depreciação de fundo de comércio de US$ 2,6 bilhões registrado no segundo trimestre de 2011. Da mesma forma, estas são medidas financeiras não GAAP.

Confira nas tabelas abaixo e nas páginas 25 a 27 as conciliações destas medidas financeiras não GAAP com as medidas financeiras definidas pela GAAP para os três meses encerrados em 30 de junho de 2012, 31 de março de 2012, e 30 de junho de 2011 e os seis meses encerrados em 30 de junho de 2012 e 2011. A empresa acredita que o uso destas medidas financeiras não GAAP oferece clareza adicional para avaliação dos resultados da empresa. Outras empresas podem definir ou calcular dados financeiros complementares de outra maneira.

  Seis meses encerrados em
30 de junho
    Segundo
trimestre de
2012
  Primeiro
trimestre de
2012
  Segundo
trimestre de
2011
2012   2011

Conciliação de renda líquida de juros com renda líquida de juros em base equivalente totalmente tributável

 
Receita líquida de juros $ 20.394 $ 23.425 $ 9.548 $ 10.846 $ 11.246
Ajuste equivalente totalmente tributável 441   465   234   207   247  
Receita líquida de juros em base equivalente totalmente tributável $ 20.835   $ 23.890   $ 9.782   $ 11.053   $ 11.493  
 

Conciliação de receita total, líquida de despesa de juros com receita total, líquida de despesa de juros em base equivalente totalmente tributável

 
Receita total, líquida de despesa de juros $ 44.246 $ 40.113 $ 21.968 $ 22.278 $ 13.236
Ajuste equivalente totalmente tributável 441   465   234   207   247  
Receita total, líquida de despesas de juros em base equivalente totalmente tributável $ 44.687   $ 40.578   $ 22.202   $ 22.485   $ 13.483  
 

Conciliação de despesa total não decorrente de juros com a despesa total não decorrente de juros, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio

 
Despesa total não decorrente de juros $ 36.189 $ 43.139 $ 17.048 $ 19.141 $ 22.856
Encargos de depreciação do fundo de comércio   (2.603 )     (2.603 )
Despesa total não decorrente de juros, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio $ 36.189   $ 40.536   $ 17.048   $ 19.141   $ 20.253  
 

Conciliação de despesa de imposto de renda (benefício) com despesa de imposto de renda (benefício) em base equivalente totalmente tributável

 
Despesa (benefício) de imposto de renda $ 750 $ (3.318 ) $ 684 $ 66 $ (4.049 )
Ajuste equivalente totalmente tributável 441   465   234   207   247  
Despesa com imposto de renda (benefício) em base equivalente totalmente tributável $ 1.191   $ (2.853 ) $ 918   $ 273   $ (3.802 )
 

Conciliação entre renda líquida (perda) com renda líquida (perda), excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio

 
Receita (perda) líquida $ 3.116 $ (6.777 ) $ 2.463 $ 653 $ (8.826 )
Encargos de depreciação do fundo de comércio   2.603       2.603  
Renda (perda) líquida, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio $ 3.116   $ (4.174 ) $ 2.463   $ 653   $ (6.223 )
 

Conciliação entre renda líquida (perda) aplicável a acionistas ordinários com renda líquida (perda) aplicável a acionistas ordinários excluindo os encargos de depreciação do fundo de comércio

 
Renda (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários $ 2.426 $ (7.388 ) $ 2.098 $ 328 $ (9.127 )
Encargos de depreciação do fundo de comércio   2.603       2.603  
Renda (perda) líquida aplicável a acionistas ordinários, excluindo encargos de depreciação do fundo de comércio $ 2.426   $ (4.785 ) $ 2.098   $ 328   $ (6.524 )

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias            
Conciliações com medidas financeiras GAAP (continuação)                    
(Em milhões de dólares)
Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012 2011

Conciliação entre a média de patrimônio acionário comum com a média de patrimônio acionário comum tangível

 
Patrimônio acionário comum $ 215.466 $ 216.367 $ 216.782 $ 214.150 $ 218.505
Fundo de comércio (69.971 ) (73.834 ) (69.976 ) (69.967 ) (73.748 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços hipotecários) (7.701 ) (9.580 ) (7.533 ) (7.869 ) (9.394 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.663   2.983   2.626   2.700   2.932  
Patrimônio acionário comum tangível $ 140.457   $ 135.936   $ 141.899   $ 139.014   $ 138.295  
 

Conciliação entre a média de patrimônio acionário com a média de patrimônio acionário tangível

 
Patrimônio acionário $ 234.062 $ 232.930 $ 235.558 $ 232.566 $ 235.067
Fundo de comércio (69.971 ) (73.834 ) (69.976 ) (69.967 ) (73.748 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços hipotecários) (7.701 ) (9.580 ) (7.533 ) (7.869 ) (9.394 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.663   2.983   2.626   2.700   2.932  
Patrimônio acionário tangível $ 159.053   $ 152.499   $ 160.675   $ 157.430   $ 154.857  
 

Conciliação entre patrimônio acionário de fim de período com patrimônio acionário comum tangível de fim de período

 
Patrimônio acionário comum $ 217.213 $ 205.614 $ 217.213 $ 213.711 $ 205.614
Fundo de comércio (69.976 ) (71.074 ) (69.976 ) (69.976 ) (71.074 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços hipotecários) (7.335 ) (9.176 ) (7.335 ) (7.696 ) (9.176 )
Passivos por impostos diferidos relacionados 2.559   2.853   2.559   2.628   2.853  
Patrimônio acionário comum tangível $ 142.461   $ 128.217   $ 142.461   $ 138.667   $ 128.217  
 

Conciliação de patrimônio acionário de fim de período com patrimônio acionário tangível de fim de período

 
Patrimônio acionário $ 235.975 $ 222.176 $ 235.975 $ 232.499 $ 222.176
Fundo de comércio (69.976 ) (71.074 ) (69.976 ) (69.976 ) (71.074 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de hipotecas) (7.335 ) (9.176 ) (7.335 ) (7.696 ) (9.176 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.559   2.853   2.559   2.628   2.853  
Patrimônio acionário tangível $ 161.223   $ 144.779   $ 161.223   $ 157.455   $ 144.779  
 

Conciliação de ativos de final de período com ativos tangíveis de final de período

 
Ativos $ 2.160.854 $ 2.261.319 $ 2.160.854 $ 2.181.449 $ 2.261.319
Fundo de comércio (69.976 ) (71.074 ) (69.976 ) (69.976 ) (71.074 )
Ativos intangíveis (excluindo direitos de serviços hipotecários) (7.335 ) (9.176 ) (7.335 ) (7.696 ) (9.176 )
Passivos fiscais diferidos correlatos 2.559   2.853   2.559   2.628   2.853  
Ativos tangíveis $ 2.086.102   $ 2.183.922   $ 2.086.102   $ 2.106.405   $ 2.183.922  
 

Valor contábil por ação ordinária

 
Patrimônio acionário comum $ 217.213 $ 205.614 $ 217.213 $ 213.711 $ 205.614
Ações ordinárias emitidas e em circulação no final do período 10.776.869   10.133.190   10.776.869   10.775.604   10.133.190  
Valor patrimonial por ação ordinária $ 20,16   $ 20,29   $ 20,16   $ 19,83   $ 20,29  
 

Valor contábil tangível por ação ordinária

 
Patrimônio acionário comum tangível $ 142.461 $ 128.217 $ 142.461 $ 138.667 $ 128.217
Ações ordinárias emitidas e em circulação no final do período 10.776.869   10.133.190   10.776.869   10.775.604   10.133.190  
Valor patrimonial tangível por ação ordinária $ 13,22   $ 12,65   $ 13,22   $ 12,87   $ 12,65  

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias            
Conciliações com medidas financeiras GAAP (continuação)                  
(Em milhões de dólares)
Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2012
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012   2011

Conciliação de retorno sobre média de capital econômico

 

Consumer & Business Banking

 
Receita líquida informada $ 2.611 $ 4.544 $ 1.156 $ 1.455 $ 2.502
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1) 7     9   4     3     2  
Receita líquida ajustada $ 2.618     $ 4.553   $ 1.160     $ 1.458     $ 2.504  
 
Média do patrimônio alocado $ 53.199 $ 53.126 $ 53.452 $ 52.947 $ 52.559
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de intangíveis (30.503 ) (30.676 ) (30.485 ) (30.522 ) (30.656 )
Média de capital econômico $ 22.696   $ 22.450   $ 22.967   $ 22.425   $ 21.903  
 

Consumer Real Estate Services (Serviços de imóveis de consumo)

 
Perda líquida informada $ (1.913 ) $ (16.906 ) $ (768 ) $ (1.145 ) $ (14.506 )
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1)
Encargos de depreciação do fundo de comércio   2.603       2.603  
Perda líquida ajustada $ (1.913 ) $ (14.303 ) $ (768 ) $ (1.145 ) $ (11.903 )
 
Média do patrimônio alocado $ 14.454 $ 17.933 $ 14.116 $ 14.791 $ 17.139
Ajuste relativo a fundo de comércio e porcentagem de intangíveis (excluindo direitos hipotecários)   (2.722 )     (2.702 )
Média de capital econômico $ 14.454   $ 15.211   $ 14.116   $ 14.791   $ 14.437  
 

Global Banking

 
Receita líquida informada $ 2.996 $ 3.504 $ 1.406 $ 1.590 $ 1.921
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1) 2   3   1   1   1  
Receita líquida ajustada $ 2.998   $ 3.507   $ 1.407   $ 1.591   $ 1.922  
 
Média do patrimônio alocado $ 45.838 $ 47.891 $ 45.958 $ 45.719 $ 47.060
Ajuste relativo ao fundo de comércio e a um porcentual de ativos intangíveis (24.858 ) (24.430 ) (24.856 ) (24.861 ) (24.428 )
Média de capital econômico $ 20.980   $ 23.461   $ 21.102   $ 20.858   $ 22.632  
 

Global Markets

 
Receita líquida informada $ 1.260 $ 2.306 $ 462 $ 798 $ 911
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1) 5   6   3   2   3  
Receita líquida ajustada $ 1.265   $ 2.312   $ 465   $ 800   $ 914  
 
Média do patrimônio alocado $ 17.725 $ 24.667 $ 17.132 $ 18.317 $ 22.990
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de ativos intangíveis (4.629 ) (4.598 ) (4.608 ) (4.648 ) (4.646 )
Média de capital econômico $ 13.096   $ 20.069   $ 12.524   $ 13.669   $ 18.344  
 

Global Wealth and Investment Management (Gestão global de investimento e fortuna)

 
Receita líquida informada $ 1.090 $ 1.055 $ 543 $ 547 $ 513
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1) 12   16   6   6   7  
Receita líquida ajustada $ 1.102   $ 1.071   $ 549   $ 553   $ 520  
 
Média do patrimônio alocado $ 17.601 $ 17.745 $ 17.974 $ 17.228 $ 17.560
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de ativos intangíveis (10.631 ) (10.717 ) (10.621 ) (10.641 ) (10.706 )
Média de capital econômico $ 6.970   $ 7.028   $ 7.353   $ 6.587   $ 6.854  

Confira as notas de pé de página na página 27.

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

Bank of America Corporation e subsidiárias            
Conciliações com medidas financeiras GAAP (continuação)                      
(Em milhões de dólares)
Seis meses encerrados em
30 de junho
Segundo
trimestre de
2011
Primeiro
trimestre de
2012
Segundo
trimestre de
2011
2012 2011

Consumer & Business Banking

 

Depósitos

 
Receita líquida informada $ 500 $ 795 $ 190 $ 310 $ (433
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1) 1   1   1      
Receita líquida ajustada $ 501   $ 796   $ 191   $ 310   $ (433  
 
Média do patrimônio alocado $ 23.588 $ 23.627 $ 23.982 $ 23.194 $ 23.612
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de ativos intangíveis (17.929 ) (17.955 ) (17.926 ) (17.932 ) (17.951 )
Média de capital econômico $ 5.659   $ 5.672   $ 6.056   $ 5.262   $ 5.661  
 

Serviços de cartão

 
Receita líquida informada $ 1.967 $ 3.516 $ 929 $ 1.038 $ 1.944
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1) 6   8   3   3   2  
Receita líquida ajustada $ 1.973   $ 3.524   $ 932   $ 1.041   $ 1.946  
 
Média do patrimônio alocado $ 20.598 $ 21.580 $ 20.525 $ 20.671 $ 21.016
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de ativos intangíveis (10.476 ) (10.624 ) (10.460 ) (10.492 ) (10.607 )
Média de capital econômico $ 10.122   $ 10.956   $ 10.065   $ 10.179   $ 10.409  
 

Business Banking

 
Receita líquida informada $ 144 $ 233 $ 37 $ 107 $ 125
Ajuste relativo a ativos intangíveis (1)          
Receita líquida ajustada $ 144   $ 233   $ 37   $ 107   $ 125  
 
Média do patrimônio alocado $ 9.013 $ 7.919 $ 8.945 $ 9.082 $ 7.931
Ajuste relativo a fundo de comércio e uma porcentagem de ativos intangíveis (2.098 ) (2.097 ) (2.099 ) (2.098 ) (2.098 )
Média de capital econômico $ 6.915   $ 5.822   $ 6.846   $ 6.984   $ 5.833  

(1) Representa custo de fundos, créditos de ganhos e despesas específicas relativas a intangíveis.

Os valores de alguns períodos anteriores foram reclassificados para manter conformidade com o demonstrativo do período atual.

Estas informações são preliminares e baseadas em dados da empresa disponíveis à época deste demonstrativo.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contacts

Os investidores podem entrar em contato com:
Kevin Stitt, Bank of America. +1 (980) 386.5667
Lee McEntire. Bank of America. +1 (980) 388.6780
Repórteres podem contatar:
Jerry Dubrowski, Bank of America, +1 (980) 388-2840
jerome.f.dubrowski@bankofamerica.com

Sharing

Contacts

Os investidores podem entrar em contato com:
Kevin Stitt, Bank of America. +1 (980) 386.5667
Lee McEntire. Bank of America. +1 (980) 388.6780
Repórteres podem contatar:
Jerry Dubrowski, Bank of America, +1 (980) 388-2840
jerome.f.dubrowski@bankofamerica.com